Os assombros poticos que Affonso Romano de Sant’Anna sentia

Paulo Peres
S
ite Poemas & Canes

Resultado de imagem para affonso romano de sant'annaO jornalista e poeta mineiro Affonso Romano de SantAnna, no poema Assombros, confessa os abalos que lhe ocorrem, mas que os outros nem percebem.

ASSOMBROS
Affonso Romano de SantAnna

s vezes, pequenos grandes terremotos
ocorrem do lado esquerdo do meu peito.
Fora, no se do conta os desatentos.
Entre a aorta e o omoplata rolam
alquebrados sentimentos.
Entre as vrtebras e as costelas
h vrios esmagamentos.
Os mais ntimos
j me viram remexendo escombros.
Em mim h algo imvel e soterrado
em permanente assombro.

2 thoughts on “Os assombros poticos que Affonso Romano de Sant’Anna sentia

  1. Est entre os mineiros da pesada o poeta Affonso Romano de Sant’Anna. Poeta e cronista. Por muito tempo li crnicas dele no Estado de Minas.
    * Este poema foi recitado na voz de Tnia Carrero no CD “Affonso Romano de Sant’Anna por Tnia Carrero” da Coleo “Poesia Falada”.
    Eu de vez em quando, me pego remexendo meus escombros – sentimentos do passados, bons e nem to bons.

  2. Esse foco no prprio eu e o discurso do silncio como fuga so doentios. No vejo nada de grande nisso. Alm disso, no acredito ser de interesse o que o poeta pensa de si. Cantem poesias que encantam, como essa:

    De tudo, ao meu amor serei atento
    Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
    Que mesmo em face do maior encanto
    Dele se encante mais meu pensamento

    Quero viv-lo em cada vo momento
    E em seu louvor hei de espalhar meu canto
    E rir meu riso e derramar meu pranto
    Ao seu pesar ou seu contentamento

    E assim quando mais tarde me procure
    Quem sabe a morte, angstia de quem vive
    Quem sabe a solido, fim de quem ama

    Eu possa me dizer do amor (que tive):
    Que no seja imortal, posto que chama
    Mas que seja infinito enquanto dure

    Tenham um bom domingo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.