13 escândalos de Jaques Wagner fazem sucesso na internet

Wagner assumiu a Defesa com currículo invejável

Carlos Newton

Diante da confirmação do envolvimento do ministro Jaques Wagner com o empreiteiro da OAS, Leo Pinheiro (o mesmo do apartamento triplex de Lula), voltou a ser muito acessado este artigo que a Tribuna da Internet publicou em 29 de dezembro de 2014, antes de Wagner ser nomeado para o Ministério da Defesa do governo de Dilma Rousseff. Como sempre, vale a pena ler de novo, porque recordar é viver… Mas atentem para um detalhes: os números estão defasados, porque a denúncia é antiga.

###
LEMBRANÇAS DE UM GOVERNADOR BAIANO

Manoel Vidal

Faz sucesso nas redes sociais, nas trocas de e-mails e em diversos sites e blogs um texto relacionando os 13 escândalos do governo da Bahia, conduzido pelo petista Jaques Wagner, que será nomeado ministro da Defesa no próximo dia 1º. Confira a lista, que até agora não sofreu contestação pelo governador nem pelo partido:

ESCÂNDALO Nº 01: Wagner contrata ONG de aliado para fornecer mão de obra à saúde: O governo da Bahia firmou contratos sem licitação na área da saúde no valor de R$ 272 milhões com ONG ligada a aliado político de Wagner. Segundo o TCE, R$39 milhões desse montante foram superfaturados. Os contratos são para fornecimento de mão de obra médica, assinados após dispensa de licitação entre a Secretaria Estadual da Saúde e a Fundação José Silveira, no período de 2007 a 2011. A fundação teve como superintendente, de 1997 a 2008, o deputado federal Antônio Brito (PTB). Hoje, a mulher dele, Leila, ocupa o cargo. O PTB apoiou Wagner em sua eleição para governador, em 2006.

Na Secretaria de Saúde, o pagamento tinha o aval do diretor-geral Amauri Teixeira (PT), hoje também deputado. Dos R$272 milhões de 2007 a 2011, o relatório aponta que o governo da Bahia pagou indevidamente R$ 39,2 milhões, que correspondem aos encargos ao INSS que a fundação não precisa pagar.

ESCÂNDALO Nº 02: Wagner envolvido no lobby para trocar o sistema BRT pelo VLT – Os governadores Wagner (PT-BA) e Silval Barbosa (PMDB-MT) capitanearam o lobby para que nas cidades de Salvador (BA) e Cuiabá (MT) pudesse ser trocado o BRT (ônibus em corredores exclusivos) por sistemas mais caros e demorados, como metrô e VLT, o Veículo Leve sobre Trilhos.

A assessoria do governador Jaques Wagner (BA) defendeu as mudanças, dizendo que eram tecnicamente adequadas e informou que um técnico entraria em contato com a imprensa para explicar as mudanças. Todavia o técnico jamais apareceu.

Essa mudança foi o que originou o escândalo envolvendo o então ministro das Cidades, Mário Negromonte. O círculo do peculato e da corrupção fecha-se quando se sabe que Negromonte seria afilhado político de Jacques Wagner, responsável por sua escolha.

ESCÂNDALO Nº 03: Wagner contrata ONG por 13 milhões para dar palestra sobre o pré-sal – O governo de Jaques Wagner é um dos mais envolvidos com gastos escandalosos e obscuros. Só como exemplo, o governo chegou a gastar R$ 13 milhões para que uma ONG ministrasse palestras sobre o pré-sal no interior do Estado, sem que se conheça em quais locais foram ministradas tais palestras.

ESCÂNDALO Nª 04: Secretaria faz convênio com ONG para construir unidades habitacionais nunca entregues – A ONG Instituto Brasil, firmou com a Sedur um convênio no valor de R$ 17,9 milhões para a construção de 1.120 unidades habitacionais em 18 municípios. O coordenador do Movimento Sem Teto da Bahia, João da Hora, pediu à Assembleia para investigar a não construção de 400 casas na região de Irecê.

Foram descobertas pelo Ministério Público da Bahia, por exemplo, a existência de 39 notas frias, num valor total de R$ 3,7 milhões, usadas para justificar serviços, compra de produtos e obras não realizadas.

ESCÂNDALO Nº 05: No sistema de licitação na Bahia, só ganha Odebrecht, OAS e Camargo Corrêa – No curioso ’sistema de licitação’ da Bahia, sempre Odebrecht, OAS e Camargo Corrêa ganham. E todos os projetos acabam (se acabam) com atrasos, erros técnicos e aumentos astronômicos no orçamento final, sem punições.

ESCÂNDALO Nº 06: esposa de Wagner é funcionária fantasma do TJ-BA, com salário de 14,6 mil – Além de Maria De Fátima Carneiro De Mendonça, a primeira-dama do estado da Bahia, também aparece o nome de Maria das Mercês Carneiro de Mendonça. Diante do alto salário de Maria das Mercês, que tem o mesmo sobrenome da esposa do governador Jaques Wagner, a pergunta que precisa ser respondida pelo chefe do Executivo Estadual é se elas são irmãs ou não. Ou se existe algum grau de parentesco.

  1. Maria de Fátima Carneiro de Mendonça (enfermeira, esposa de Jaques Wagner). Locação: Coordenação de Assistência Médica – Salvador. Cargo: Assessora de Supervisão Geral. Salário: R$ 14.632,88 (Bruto).
  2. Maria das Mercês Carneiro de Mendonça. Locação: Coordenadoria da Infância e da Juventude -Salvador. Cargo: Técnico nível superior. Salário R$23.702,72 (Bruto). Salário de um Desembargador R$ 23.995,40.

ESCÂNDALO Nº 07: Nome de Wagner é citado na Operação Porto Seguro – Alvo da ação, a chefe de gabinete da presidência, Rosemary Noronha, fez a ponte para uma reunião entre Wagner e o empresário Alípio Gusmão, conselheiro da Bracelpa, entidade que reúne os produtores de papel e celulose. Gusmão está preso.

ESCÂNDALO Nº 08: Interesse de Wagner em criar pedágios – Quando o PT assumiu o governo da Bahia pela primeira vez (2007), existia apenas uma praça de pedágio no estado. Quando o governo anterior anunciou a construção da praça, o então deputado federal Jaques Wagner fez um discurso na Câmara (10 de maio de 2001) com duras críticas à decisão. Dez anos depois, o governador mudou de opinião e, incentivado pelo prefeito Luiz Caetano, resolveu instalar mais 12 pedágios no Estado. Somente no sistema da BA-093, são cinco novas praças. É importante ressaltar que este sistema faz a ligação entre os principais polos industriais da Bahia.

ESCÂNDALO Nº 09: Wagner cria cartão corporativo – A criação do Cartão Governo, o cartão corporativo do estado, para substituir às contas de suprimentos e para o pagamentos de pequenas despesas, cujo convênio foi firmado pelo governador Jaques Wagner com o Banco do Brasil, é mais uma fonte de desvio de recursos nunca explicados, a começar pela falta de transparência no uso destes cartões.

Sob o argumento de “segredo de Estado”, o governo Wagner utiliza os mesmos métodos do governo federal governo que se diz republicano, democrático e transparente, usa um método pouco confiável e nada transparente para efetuar pagamentos do governo e cujos gastos não podem ser acompanhados pelo Legislativo. Além do pagamento de contas nada ortodoxas, os cartões corporativos ainda permitem saques em dinheiro, que não deixam rastro dos gastos.

ESCÂNDALO Nº 10: Acesso ao serviço público apenas pelo regime do REDA – Apesar de ter sido um dos temas de campanha a crítica que o PT e seu candidato faziam ao acesso ao serviço público pelo regime conhecido por REDA (contratação temporária) nos governos carlistas, após a ascensão de Wagner ao governo, ninguém ouve falar em concurso público. Só se entra no Estado pelo REDA. Interessante que inovaram, criaram uma seleção fajuta, onde os indicados por bilhetes políticos não conseguem ser reprovados. E além do REDA, ainda criaram os tais PSTs, contratos temporários utilizados em larga escala nos períodos eleitorais. Os dois regimes precarizam as relações trabalhistas e servem como obstáculo às reivindicações dos servidores efetivos.

ESCÂNDALO Nº 11: Entrega da saúde pública a exploração de ONGs – Este é outro escândalo que precisa ser averiguado, quais interesses estão escondidos por trás deste jogo. Não se entende o Estado investir na construção de hospitais, equipá-los e depois num jogo de carta marcada entregar a sua “exploração” a ONGs ou instituições amigas, repassando fortunas a estas organizações.

ESCÂNDALO Nº 12: O jogo de abafa do rombo da EBAL – Quando assumiu o governo do Estado, os novos dirigentes descobriram um rombo escandaloso na Ebal, que à época acusaram ser comandada pelo então conselheiro do Tribunal de Contas, o ex-deputado e vice-governador Otto Alencar. Na Assembleia foi criada uma CPI que apurou os desmandos e chegou à conclusão de comprovação dos fatos. Mas foi só Otto Alencar aderir ao governo Wagner que tudo foi jogado pra debaixo do tapete dos escândalos sem satisfação à sociedade pelo PT. Ninguém foi punido, pelo contrário, alguns dos envolvidos hoje fazem parte do governo Wagner, inclusive Otto Alencar, que novamente é vice-governador.

ESCÂNDALO Nº 13: Caso das comissões da Agerba – Ainda tendo o PMDB como aliado, surgiu na Agerba, órgão responsável pela concessão das linhas de transporte intermunicipal e pela sua fiscalização, o escândalo das propinas. Fizeram um drama, afirmaram que tudo seria apurado e que a sociedade seria informada das medidas tomadas. Passado alguns meses, mais um escândalo do governo Wagner foi para a lata do lixo. Alguém foi punido? Alguém sabe o que aconteceu com as apurações. E Jaques Wagner será o novo ministro da Defesa.

57 thoughts on “13 escândalos de Jaques Wagner fazem sucesso na internet

  1. Pensei que o Eletrolão só fosse começar em fevereiro, me enganei… Vão pegar o Consórcia Siemens/Alston/José Carlos Bunlai ?
    “ANDRÉ BORGES / BRASÍLIA – O ESTADO DE S.PAULO
    29 Dezembro 2014 | 02h 01

    Sócios tentam convencer a Aneel de que não foram responsáveis pelo atraso da hidrelétrica, que deveria iniciar operação em 2015. O atraso de mais de um ano nas obras de Belo Monte deixou de ser apenas um problema de ordem operacional para o governo e o setor elétrico. Passados quase cinco anos desde que a hidrelétrica foi a leilão, em abril de 2010, o maior projeto de geração de energia do País se vê hoje transformado em uma enorme confusão financeira, com sérios riscos de tornar-se economicamente inviável.

    A gravidade da situação foi descrita em detalhes pelo próprio consórcio Norte Energia, dono da usina, em uma carta encaminhada à diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no fim de novembro. No documento, ao qual o Estado teve acesso, o consórcio afirma que a rejeição de seu pedido de prorrogação dos prazos e a consequente obrigação de comprar energia de outras usinas para garantir a entrega daquilo que não produziu custariam ao consórcio “somas vultosas, capazes de inviabilizar o empreendimento”.

    Por contrato, Belo Monte, em construção na região de Altamira, no Pará, teria de começar a gerar energia a partir de fevereiro de 2015, o que efetivamente só ocorrerá no primeiro trimestre de 2016. Nesse período, argumentou o diretor-presidente da Norte Energia, Duilio Diniz de Figueiredo, seria precisa desembolsar a preços atuais cerca de R$ 370 milhões por mês para cobrir o rombo. A usina tem previsão de conclusão para fevereiro de 2019.

  2. O Instituto Brasil…
    “O Instituto Brasil que firmou convênio com a Secretaria Estadual do Desenvolvimento Urbano (Sedur) é acusado de utilizar notas fiscais falsas no valor de 3,7 milhões. Segundo dados do Ministério Público, 39 notas fiscais frias foram apuradas após denuncias à justiça em relação a Organização Civil de Interesse da Sociedade (Oscip).

    Os responsáveis justificavam as notas fiscais, clonadas da empresa Guapo Recursos Humanos, que nega qualquer tipo de envolvimento contratual com o Instituto Brasil, como pagamentos de prestação de serviços, compra de produtos e até mesmo treinamento de mão de obra para a realização de um projeto que, segundo o MP-BA, nunca foi executado.

    As notas referem-se a diversos serviços previstos no convênio, que implicaram num gasto 90% maior em relação ao aprovado inicialmente, revelando a saída de recursos sem que houvesse a devida prestação de serviços.

    De acordo com informações cedidas pelo MP, a ação foi instaurada com base no inquérito civil aberto para investigar possíveis irregularidades em convênio firmado entre o Instituto Brasil Preservação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável e o Estado da Bahia, através da Sedur, no valor total de R$ 17.964.304,38, que teria por objetivo construir 1.120 unidades habitacionais, além de capacitar 510 beneficiários para a construção civil e a geração de renda.

    Entretanto, após apuração, foi verificado que o convênio não foi precedido de chamamento público e que, na única prestação de contas apresentada, não existiam notas fiscais num valor de R$ 1.178.075,21.

  3. Mais um que ia ‘processar’ a Veja !.
    ” Um novo escândalo atinge em cheio o PT, dessa vez na Bahia. Dalva Sele Paiva, presidente da ONG Instituto Brasil, revela à revista Veja – na edição desta semana – detalhes de como funcionaria esquema de corrupção que teria abastecido o caixa dois eleitoral do PT na Bahia e teria beneficiado, entre outros políticos, o atual candidato a governador Rui Costa, que segundo Dalva, constou “durante muito tempo” na folha de pagamento da ONG.
    “Com os recursos dos convênios para construção de casas populares, a gente empregava as pessoas do PT, dava apoio a militantes que estivessem passando por dificuldades e alimentava as campanhas”, afirma Dalva à Veja, na reportagem que tem como título “A arte de roubar dos pobres”. Ela diz ainda que quem definia a distribuição do dinheiro era a cúpula do PT.
    Mais petistas – Além de Rui, que teria recebido pagamentos entre R$ 3 e 5 mil do Instituto Brasil, outros políticos do PT baiano teriam sido beneficiados: o senador Walter Pinheiro e os deputados Nelson Pelegrino e Afonso Florence. A denúncia é gravíssima e levou a Dalva a deixar o estado temendo represália.
    Rui nega – A entrevista deve abalar o entusiasmo dos governistas nesta reta final da campanha eleitoral, quando o candidato petista vem subindo nas pesquisas e ameaçando a liderança do opositor, o ex-governador Paulo Souto (DEM). Rui Costa nega as acusações e acusa a revista de estar a serviço dos partidos de oposição. Segundo o jornal Correio, o candidato teria dito que vai acionar a Veja na Justiça.
    ( Isto É ).

  4. Criaram a “unidade monetária” Barusco …
    Funcionários da Petrobras adotaram uma nova unidade de medida em conversas internas: o barusco.

    Trata-se, é claro, de uma singela homenagem a Pedro Barusco, o gerente de Engenharia que era braço-direito de Renato Duque e é suspeito de ter recebido pelo menos 100 milhões de dólares de propina.

    Agora, na estatal, cada barusco vale 100 milhões de dólares. Ou seja: um negócio de 1 bilhão de dólares passou a ser, na gíria da petroleira, uma transação de… dez baruscos.

    Por Lauro Jardim

  5. Nenhum Militar das FFAA, de todas as patentes e hierarquia, Profissionalizado, Culto, com uma vida inteira dedicado á Pátria, diuturnamente, não irá gostar de prestar continência a um “mal-assombro do petralhismo” desses ! Vejam a que ponto chegamos, ver nossas Gloriosas Forças Armadas comandada por gente de tão baixo nível !!!!!! O Brasil tá desmoralizado internacionalmente, tenho vergonha de ler a mídia internacional quando fala do Brasil e o desgoverno que finge comandar alguma coisa !

  6. Cartel da Petrobras tinha contato direto com a Casa Civil ! E agora Dilma Youssef?
    REDAÇÃO
    29 dezembro 2014 | 05:00 ( O Estadão ).
    Polícia Federal apreendeu em computador do número 1 da OAS textos que revelam trânsito de alvos da Lava
    Jato em setores estratégicos da administração federal
    Por Ricardo Brandt, Fausto Macedo e Julia Affonso
    Emails
    apreendidos durante as buscas e apreensão na casa do presidente do Grupo OAS, José Aldemário Pinheiro Filho, o Léo Pinheiro,
    indicam que as empresas do suposto cartel acusado de pagar propina a altos funcionários da Petrobrás em troca de contratos bilionários
    tratava diretamente com a Casa Civil e Ministério da Fazenda sobre as obras e contratos de seus interesses na área de infraestrutura.
    “Acertada, finalmente, com a Casa Civil nossa atuação direta junto aos diversos ministérios. Casa Civil continuará atuando diretamente
    no processo, mas as iniciativas serão nossas. O que nos dá liberdade e agilidade”, escreve Raphael Tourinho Neto, no dia 3 de julho deste
    ano, quando já havia sido deflagrada a Operação Lava Jato e as maiores empreiteiras do País eram alvo notório de investigações da
    Polícia Federal.
    O autor do email
    foi ministro de Minas e Energia no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), é político ligado ao DEM e atual
    presidente da Associação Brasileira de Infraestrutura e Industrias de Base (Abdib).
    Seus interlocutores são os alvos centrais da Lava Jato dentro do braço empresarial do esquema, principais executivos das gigantes da
    construção: o presidente e o vicepresidente
    da Andrade Gutierrez, Otávio Azevedo e Gustavo Barreto; o presidente do Grupo OAS, Léo
    Pinheiro; os presidentes da Camargo Corrêa, João Ricardo Auler (Construtora) e Dalton Avancini (Conselho de Administração); o vice
    presidente executivo da Mendes Júnior, Sérgio Mendes; o presidente da Galvão Engenharia, Dário Galvão Filho; e o presidente da UTC
    Engenharia, Ricardo Ribeiro Pessoa. Além deles, representantes da Associação Brasileira de Infraestrutura e Industrias de Base (Abdib)e
    do Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada (Sinicon).
    Os emails
    escritos por Tourinho Neto foram interceptados pela PF nos computadores de Léo Pinheiro, número 1 da OAS, quando ele e
    outros executivos foram capturados por ordem judicial. Pinheiro pediu a um funcionário da empresa que imprimisse o material e o
    guardasse.
    O arquivo de Léo Pinheiro abarca temas como obras, nomes de contatos nos ministérios da Casa Civil e da Fazenda, bem como
    indicativos de que o grupo era consultado por setores do governo antes que decisões internas fossem tomadas – todas relacionadas a
    obras de infraestrutura no País.
    No espaço “assunto”, o autor do email
    escreveu “Comunicado GT Interministerial”. Seus interlocutores são 13 executivos das
    empreiteiras – a maioria deles a Lava Jato mandou para a cadeia no dia 14 de novembro, quando foi desencadeada a histórica Operação
    Juízo Final.

  7. Onde chegamos e pra onde vamos?
    Ter como comandante em chefe das forças armadas um homem deste quilate.
    As tres forças singulares batento, perfilados, continência pra essa catrefada!
    Não tdemos que descer mais. Ja estamos chafurdando na lama do fundo do poço!
    E, podem crer, ainda vão expandir o diametro do poço pra comportar o monturo que esta por vir,…..é só futucar!

  8. Repetindo a pergunta do Bonner:
    __Porque é tão difícil escolher gente honesta “presidenta” Dilma?

    Ela pensou mas não falou:
    Temos que ser coerentes . Temos que prestigiar os membros da quadrilha…

  9. Com esta medida, finalmente podemos seguir o exemplo da Costa Rica: extinguir as Forças Armadas como costurado por FHC, Lula, Dilma e pacifistas, pois, NÃO PRECISAMOS MAIS DE INIMIGOS, já que os amigos tomaram conta da casa…

  10. Senhores, PT aprofunda mais o fundo do poço de lama.
    Após ler, o artigo e comentários, nomear esse cara, para chefiar as F.Armadas é escárnio, afronta ao “milicos”, e ao próprio povo Brasileiro, que as tem em alta estima e conceito, pelo que representa, em Defesa da Soberania Nacional.
    Dª Dilma, que “arrota” combate à “corrupção”, se desmente, ao anunciar esse futuro ministério( dos esportes acusado, defendido por Crivella, Wagner, da cúpula petista, com 13 acusações), e os outros que serão citados, quais as condições morais!?!???.
    Pobre Brasil, nesse caminhar, teu destino é o precipício.
    39 ministérios visíveis, o 40 é invisível- Ministério da Corrupção, devastador da Honra e Dignidade Nacional, Ali Babá é o Rei ou Rainha, comandantes em “simbiose”.
    Se o Brasil fosse sério, e não corrupto, 15 ministérios, administraria o PAÍS, com eficiência e probidade, afinal, somos escorchados em impostos, portanto não é falta de dinheiro( bastaria não ser roubado aos bilhões), e a gestão básica da Cidadania seria atendida com DIGNIDADE: Educação, Saúde, Segurança, Transporte.
    Para 2015, a Esperança continua na UTI; que DEUS proteja a Equipe Médica do Paraná, na tentativa de salvá-la.

  11. Confesso que o título do artigo não me chamou à atenção:
    “Os treze escândalos de Jaques Wagner”.
    A primeira pergunta que me veio à mente foi:
    SÓ ISSO?!
    Com base na atuação do PT por onde anda neste Brasil, o comportamento desse indivíduo é absolutamente aquele que devemos esperar dos petistas.
    Aonde a surpresa?
    Agora, se fossem publicados, As Treze Obras Meritórias do PT, então eu iria me surpreender, eu ficaria perplexo.
    Wagner até que é modesto na sua devastação consigo mesmo, e em seus ímpetos corruptos e desonestos.
    Nessas alturas, que vê-lo ministro da Defesa, e como vai se ver perante às Forças Armadas, sem autoridade moral para comandar nossas tropas que, em caso de sermos invadidos pelo bufão Maduro, que nos ameaçou com esta possibilidade qual será a sua determinação.
    Também não sei por que cargas d’água faço este questionamento, se antecipadamente sei a resposta:
    Nada, é claro!

  12. Valeu os comentários dos leitores sobre as 13 pragas…
    Todavia, é para se imaginar o que devem estar sentindo os militares de carreira com a designação do novo ministro da defesa…

    Sei não…

    Acho que estão mexendo na onça com vara curta… não aprenderam?

  13. Sempre disse e reafirmo: ONGs, pelos diversos privilégios que tem,
    é ideal para servir a corrupção. . Porque ONG, se o governo pode
    fazer com menor custo, com mais eficiência e responsabilidade o que elas fazem.

  14. Prezado Carlos Newton, tem um cidadão que fez uma postagem as 9,37 usando o meu pseudônimo, e redigindo de uma maneira similar, esclareço que já tenho este pseudônimo neste blog faz tempo, se este cidadão continuar, não farei mais comentários. Constatei hoje. Abraços

  15. O jeito PT de “governar”

    Uma das primeiras “medidas” de Jacques Wagner à frente do Governo da Bahia foi contratar serviço de helicóptero para “transportar” do referido agente público, e sua “comitiva”.

    Para dar efetividade à “inovação”, à época, construiu-se um heliponto no Centro Administrativo, a mais ou menos 600 metros da Governadoria. Do heliponto à governadoria, e vice-versa, seguia um comboio de carros oficiais e motos/batedores da PM. “Sobrava” dinheiro…

    Que república (HF). Triste Bahia, triste Brasil…

  16. Quem pode votar em sub seres, restos fecais que escrevem em nome dos outros ?
    Quem vota em sub quadrilha merece. Prefirto votar direto no PCC, do ex aliado do PT, que rompeu com o partido por falta de ética.

  17. O Chico vai contribuir ???

    ” Na campanha que farão por sua autonomia administrativa e financeira, delegados da Polícia Federal buscarão o apoio de entidades da sociedade civil.

    O alvo são entidades como o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral e grupos que trabalham com a transparência de dados públicos.

    Até mesmo da Ordem dos Advogados do Brasil e o Ministério Público Federal, que colecionam desavenças com a PF, serão buscados.

    A lista não para por aí. Os delegados que encabeçam o movimento vão ainda buscar o apoio de artistas e blogueiros famosos para apoiar o fortalecimento da instituição.

  18. Fora disso eu falei do ‘Fofão’ Bumlai bem antes da imprensa, da mesma forma que ontem eu falei sibre os advogados das empresas aerias.

    Digo mais, em 2016, vamos ter 3 prisões, em média, a cada 2 dias…..

  19. O “São Jaques Wgner ”

    É preciso ainda ter um pouco de memória. Em 2007, a Polícia Federal deflagrou a Operação Navalha, que colocou na cadeia 46 pessoas. O centro do escândalo era a empreiteira Gautama, da Bahia. Seu proprietário, Zuleido Veras, tinha uma carteira enorme de amigos poderosos. Entre eles, contavam-se, por exemplo, José Sarney, Renan Calheiros e, sim!, Jaques Wagner.

    No dia 25 de novembro de 2006, Zuleido emprestou sua lancha, batizada de Clara — um espetáculo de US$ 1,5 milhão, com 52 pés e três suítes — ao então governador da Bahia. Sim, era Jaques Wagner. Ele resolveu oferecer um passeio pelas águas da Baía de Todos os Santos à então ministra da Casa Civil. Ela atendia pelo nome de Dilma Rousseff.

    Seis meses depois, Zuleido estava na cadeia. E o PT vendeu a patacoada de que isso só havia acontecido porque o partido combatia a corrupção. Entenderam?

  20. Nota que vou postar na minha rede social até 2018, também na tribuna, se o CN permitir. Postagens diárias…

    ” O Ministério da Saúde Mental adverte :
    O Ciro Gomes é o plano B do PT ! Promete mudar tudo, para ficar tudo na mesma !
    Ele está com um forte apoio dos 2.º e 3.ºs escalões, pois as operações da PF vão começar ‘ a descer os degraus’. Mais uma FARSA do mesmo sistema de poder !”

  21. Cabe também ao J. Wagner a criação de pedágios nas estradas baianas, entre esses pedágios que não fizeram nada além de tapar alguns buracos nas dita estradas, está a BR 324 no trecho entre Salvador e feira de Santana, são cerca de 100 Km, e portanto coube a instalação de dois postos de pedágio, é uma empresa chamada Viabahia que faz o milagre de extorquir o dinheiro dos viajantes e não fazer nada, ainda vamos ouvir falar dessa empresa. Sr. Wagner tem um relacionamento tipo unha e cutícula com a UTC, inclusive o pretenso aeroporto de Feira de Santana é gerida por essa empresa, que tem como padrinho o deputado estadual líder do governo na Assembléia Legislativa da Bahia.
    Ao longo dessa novela vamos ter capítulos dedicados a esses novos casos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *