Governo sonha em mudar a previdência dos militares, mas ainda falta coragem

Resultado de imagem para nivaldo rossato

Rossato, da Aeronáutica, não aceita a reforma

Carlos Newton

A incerteza é geral. Os comandantes de Exército, Marinha e Aeronáutica já se pronunciaram contra mudanças no sistema de aposentadoria dos militares. Mais recentemente, o general Eduardo Villas Bôas deu uma aliviada, mas só manifestou concordância em relação ao aumento da idade mínima para aposentadoria do militar, enquanto o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Rossato, continua inflexível, alegando que os militares estão em uma situação econômica inferior a outras categorias do serviço público e já foram alcançados pela reforma realizada em 2001, no governo FHC. E o comandante da Marinha, almirante Eduardo Leal Ferreira, também faz pé firme e diz que a manutenção da previdência dos militares não significa privilégio em relação a outras categorias de funcionalismo civil.

Em meio a esse quadro, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, que no ano passado se pronunciava contra mudanças na aposentadoria das Forças Armadas, de repente mudou de ideia e já anunciou que o projeto será anunciado em maio. Mas será que alguém acredita nisso?

SEM CREDIBILIDADE – Na verdade, desde Pandiá Calógeras que não aparece um civil que realmente fale em nome dos militares. O indefectível Nelson Jobim até tentou tirar uma onda, se fantasiando de uniforme militar, mas a camuflagem não adiantou nada, vejam que há homens públicos que não tem medo do ridículo.

No caso de Jungmann, o ministro está apenas ganhando tempo, jogando verde para facilitar a aprovação da reforma civil, que já está muito complicada, quanto mais a mudança na aposentadoria dos militares.

Na verdade, ainda não há projeto algum sobre as Forças Armadas, só intenções, tanto assim que o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, somente agora está dizendo que o governo federal “pensa” em colocar os militares também na reforma da Previdência. Ou seja, um diz uma coisa, o outro diz outra.

DESEQUILÍBRIO – O fato concreto é que Previdência Social está completamente desequilibrada. O déficit é provocado, basicamente, por dois fatores principais:

1) a aposentadoria mínima rural, daqueles 9 milhões de trabalhadores que jamais contribuíram e não poderiam estar inseridos na Previdência, pois deveriam ser incluídos na rubrica Assistência Social, e neste ano eles causarão um déficit estimado em R$ 85 bilhões;

2) a aposentadoria plena dos servidores civis e militares, com valores muito altos e que, provocará déficit previsto em R$ 75 bilhões, embora atenda a apenas 1,25 milhão de funcionários.

Quanto aos trabalhadores urbanos, que são cerca de 23 milhões, sempre há superávit em tempos de crescimento econômico, e o déficit previsto é provocado exclusivamente pela prolongada recessão. Mas serão os primeiros a ser atingidos.

EQUAÇÃO – Bem, esta é a equação a ser resolvida pelo governo, que desta vez incluiu na reforma os servidores federais civis, mas estrategicamente não chega a uma conclusão sobre o que vai fazer em relação aos militares, aqueles que são destinados a manter a paz e a ordem no país, de acordo com a Constituição, caso sejam acionados por um dos três Poderes ou decidam chutar o balde democrático.

O presidente Temer não toca no assunto e o secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano, diz que as mudanças estão sendo analisadas pelo Ministério da Defesa, mas ressalva que as transformações devem atingir apenas os reformados e as pensionistas, o que será uma ilegalidade, porque o artífice da reforma certamente nunca ouviu falar em direitos adquiridos. Mas quem se interessa?

###
PSConforme anunciamos semana passada, aos domingos estamos fazendo uma edição mitigada, para descanso da tropa e dos leitores , que já estão cheios de tanta podridão. Uma Feliz Páscoa a todos. (C.N.)

14 thoughts on “Governo sonha em mudar a previdência dos militares, mas ainda falta coragem

  1. 9 milhões de trabalhadores que jamais contribuíram com a Previdência, poderiam causar um déficit estimado em R$ 85 bilhões? Quanto custa à previdência um trabalhador rural? Bom dia e feliz pascoa a todos.

    • Realmente, é muito esquisita essa conta da Secretaria da Previdência. O secretário Marcelo Caetano, do dia 25 de janeiro, anunciou que o déficit a Previdência rural foi responsável por dois terços do déficit de 2016. Disse ele que Previdência rural é responsável por dois terços do déficit de 2016, que foi de R$ 149,7 bilhões, dos quais R$ 103,3 bilhões corresponderiam ao déficit da Previdência rural. Os números não batem, é uma bagunça institucionalizada, não há auditoria nem cálculos atuariais.

      Abs.

      CN

    • “Esses 9 milhões de trabalhadores rurais que jamais contribuíram causam um déficit de R$ 85 bilhões anuais” …
      … é porque eles receberam, em média, cada um, R$ 9.444,00 ou seja: R$ 726 mensais + 13º, abaixo dos R$ 937 do salário mínimo.

      Os números estão compatíveis.
      O problema é a contabilidade.
      Escriturar 85 bi na conta da Previdência para pagar a um grupo que nunca contribuiu, distorce qualquer análise.

      Aí, pra resolver mais um problema social, é simples: joga na conta de quem contribuiu, depois junta com os grandes devedores e está armada a confusão.

      Esta previdência, sem uma boa auditoria, sem um estudo profundo de seus ativos e passivos e os cálculos atuariais necessários é uma bomba, maior do que a mãe das bombas do Trump.

  2. Para jogar os militares na vala comum, o governo terá que estender aos mesmos o fundo de garantia, hora extra, adicional noturno, insalubridade, jornada de 8 horas de trabalho diário, não poderá exigir a dedicação exclusiva de 24 horas de segunda a segunda, não usar os militares em enchentes, segurança de grandes eventos, matar mosquito, carro pipa, segurança em eleições, tomada de morro, etc, etc, etc.. O prejuízo será maior.

  3. Realmente, os militares tem que ter uma previdência diferenciada senão o nível intelectual da tropa vai diminuir muito. Hoje, já fica claro dentro dos quartéis Oficiais e Graduados correm para fazer concursos públicos para outras carreiras devido aos baixos salários, além claro, de não terem os mesmos direitos dos outros funcionários civis, como FGTS, jornada de 8 horas, etc. Tenho Oficiais no último posto que não conseguem adquirir um imóvel próprio. Regras que são possíveis é aumentar o tempo de serviço e diminuir o efetivo, fechando Unidades Militares que não são estratégicas. Tenho certeza que poderíamos diminuir o efetivo militar em pelo menos 1/4 e fechamento de várias Unidades Militares. Seria uma grande economia para o país.

  4. A carreira é muito complicada. A esposa do militar não consegue trabalhar, já que o marido vive se mudando. Os filhos não conseguem criar raízes, já que vivem mudando de cidade em cidade. Um planejamento melhor das transferências e a sua diminuição traria também bastante economia para o país. Os juízes não ficam mudando de um lado para o outro. Agora, não me agrada colocar os militares e não colocar o Judiciário com suas aposentadorias astronômicas e o Legislativo com suas aposentadorias de 8 anos.

  5. Carlos Newton,

    parece que o Nelson Jobim vem agindo com atitudes muito próximas do oportunismo.

    Essas manobras me fizeram lembrar um pássaro oportunista o CHOPIM, que possui outros nomes regionais no Brasil, entre eles, o de VIRA-BOSTA.

    Apenas uma lembrança…

  6. Pingback: Governo quer mudar previdência dos militares – Debates Culturais

  7. QUEM SÃO ELES
    O BRASIL está ficando livre de três quartos ¾ da enorme quadrilha que corrói os cofres desta Nação. São inúmeros os projetos ambientais, que a empresa Odebrecht terceiriza essas empresas para onerar os estados e municípios brasileiros, sobre saneamento básico.
    SANEAMENTO de rios ou igarapés, é o ato ou efeito de sanear, como limpeza, asseio, ou um conjunto de técnica de evacuação e o tratamento físico ou mecânico das águas se for necessário, um ou mais destino para os esgotos, e o melhor laboratório de análise para esse rio ou igarapés é a soltura de milhões de alevinos que vai comprovar se este rio está limpo e potável para o consumo humano, e o prazo de cada rio e seus respectivos igarapés a serem recuperado é de três ou quatro anos pela passagem do projeto por aquela região.
    MINISTÉRIO DE MEIO AMBIENTE criado em 1992 tem como objetivo promover a preservação ambiental no Brasil, aumentando o conhecimento nos recursos hídricos e da Amazônia legal, como fauna, e flora brasileira, educação ambiental, e agenda 21.
    O MINISTÉRIO DE MEIO AMBIENTE aprovou uma obra de saneamento no rio Jundiaí que durou quarenta anos e o rio não tem capacidade de pesca, e a água quem bebe? Rios no rio de janeiro, salvador Bahia, Belém do Pará, quem bebe essa água? SENHORES MINISTROS.
    MICHEL TEMER GERALDO ALCKMIN e seus ministros e secretários estão convidados a beberem água do rio Jundiaí e saborearem o pescado na hora (appetizing) no leito revitalizado.
    A REVITALIZAÇÃO do rio Jundiaí custou 1.6 bilhões de dólares, quanto está custando a maquiagem da Odebrecht, em salvador, rio de Janeiro, Belém do Pará, e Nordeste. Descubram se o povo pobre, desempregado, faminto, fala a verdade sobre esse despautério.
    SENHORES MINISTROS nós brasileiros gostaríamos que os Meritíssimos informassem como funciona um ministério sem conteúdo, e os mestres pós-graduados irão se comportar devem pegar um reforço com a Odebrecht ok, ao que se destina os rios, igarapés, veredas, lagos, estão morrendo e o ministério não faz nada por esses biomas, seis anos de seca no Nordeste e as nascentes estão morrendo.
    MMA foi criado para educar pessoas, empresas, e trabalhar com o ambiental. O ensinamento para pessoas fazerem a coisa certa, ficou no esquecimento, e entrou a arrecadação, perseguições, fechamento de empresas do tamanho de suas necessidades, ultimamente fecharam onze frigoríficos aqui no sul do estado do Pará roubos de projetos importantes para políticos ou empresas, e as pessoas lesadas não tiveram o direito de prestarem queixa, as delegacias eram orientadas há não receberem o seu depoimento, abrir processo contra Simão Jatene era impossível, os corruptos dizia na sua cara, nada pega em nós.
    Como funciona esquema. Os bancos, Basa, Bradesco, e banco do Brasil e outros captura a ideia ou projeto e passa para empresa interessada, e ai começa a perseguição da vítima até consegui os seus ideais corrupto, com apoio da polícia, juiz e promotor. MMA, e GOV. SIMÃO JATENE.
    O PREMIO INNOVARE é nada mais que uma grande procura ao encontro de ferramentas que lhes deem mais poder, para as mentes cansadas e pouco criativas, que não sabem mais o que fazer, para criarem uma nova virgula, e essa virgula está airoso para um JUIZ fazer justiça. É sabido por muitos que vocês são tratados como reis e rainhas e que ultimamente não estão cumprindo o seu papel a que se destina com rapidez.
    PROMOTORA DE JUSTIÇA ÉRICA ALMEIDA DE SOUZA, menti em favor de mafiosos ou ladrão, quanto recebeu doutora para ir contra a verdade, menti contra a CGU e contra JD infelizmente existe promotor que acha que ganha pouco e aceita uma ajuda da máfia, para vocês é licito ou imoral?
    A FABRICA DE RODAS DOS TRÊS PODERES desanda o país por falta de conteúdo. O centro de rolamento está quebrando por excesso de certeza que se transforma em mentira.
    JOÃO DE DEUS FERREIRA O HOMEM

  8. O que eu acho interessante sobre essa reforma do mau da Previdência Social é que a Previdência se não fizer essas reformas no futuro não terá dinheiro para pagar os aposentados. Agora nunca se viu o governo falando em cobrar os bilhões que os devedores do INSS devem, por não terem repassado o que eles recolheram dos empregados e também a parte da própria empresa. Então a única conclusão que podemos chegar é que essa reforma do mau da Previdência Social, só tem duas direções, prejudicar os futuros aposentados, os quais praticamente só irão se aposentar depois de mortos e segundo está beneficiando as empresas de previdência Privada, tanto é verdade que mês passado o Congresso Nacional estava cheio de lobistas de empresas de Previdência Privada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *