Em reunião no Planalto, Onyx comunica a Bebianno que ele continua como ministro

Gustavo Bebianno deixa o hotel onde mora na manhã desta sexta-feira (15)

Bebianno resistiu ao ataque de Carlos Bolsonaro e se deu bem

Talita Fernandes e Gustavo Uribe
Folha

Em reunião no Palácio do Planalto na manhã desta sexta-feira (15), o ministro Gustavo Bebianno ouviu de Onyx Lorenzoni (Casa Civil) que ele ficará à frente da Secretaria-Geral da Presidência da República. Pessoas próximas aos ministros confirmaram à Folha que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) determinou que a decisão de exoneração fosse suspensa. Aconselhado por aliados, Bolsonaro anteriormente fez chegar a Bebianno seu desejo de que deixasse o posto até segunda-feira (18), mas o ministro tem se articulado com advogados e integrantes do Legislativo e do Judiciário para conseguir uma sobrevida no governo federal.

Ele se reuniu nesta sexta com Onyx e o general Carlos Alberto Dos Santos Cruz (Secretaria de Governo).  Ao sair do Palácio do Planalto, Bebianno foi questionado pela TV Globo sobre a crise no governo, mas respondeu: “Não tem crise nenhuma”. Sobre sua permanência na pasta, afirmou: “Estou aqui, não estou?”, declarando em seguida não saber se continuará no cargo.

APURAÇÃO PELA PF – Segundo auxiliares presidenciais, a ideia de Bolsonaro é aguardar a investigação sobre o esquema de laranjas iniciada pela Polícia Federal. O presidente foi convencido de que a saída do ministro neste momento poderia prejudicar a relação entre Executivo e Legislativo, sobretudo em relação à reforma previdenciária.

Durante a campanha eleitoral, Bebianno foi o presidente interino do PSL, partido comandado pelo deputado federal Luciano Bivar (PE). Na quarta-feira (13), Carlos Bolsonaro, filho do presidente, alavancou a crise ao postar no Twitter que o então ministro havia mentido ao jornal O Globo ao dizer que conversara com Bolsonaro três vezes na véspera, negando desgaste. No mesmo dia, Carlos divulgou um áudio no qual o presidente da República se recusa a conversar com Bebianno.

CANDIDATAS DE FACHADA – A primeira reportagem da série sobre os laranjas do PSL mostrou que o atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, patrocinou um esquema de candidaturas de fachada em Minas que também receberam recursos volumosos do fundo eleitoral do PSL nacional e que não tiveram nem 2.000 votos, juntas.

Parte do gasto que elas declararam foi para empresas com ligação com o gabinete de Álvaro Antônio na Câmara dos Deputados.

Após essa revelação, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, afirmou que esse caso deveria ser investigado.  A Procuradoria-Regional Eleitoral de Minas Gerais decidiu apurar o caso.

EM PERNAMBUCO – No domingo (10), outra reportagem da Folha revelou que o grupo do atual presidente do PSL, Luciano Bivar (PE), recém-eleito segundo vice-presidente da Câmara dos Deputados, criou uma candidata laranja em Pernambuco que recebeu do partido R$ 400 mil de dinheiro público na eleição de 2018. O dinheiro foi liberado por Bebianno.

Maria de Lourdes Paixão, 68, que oficialmente concorreu a deputada federal e teve apenas 274 votos, foi a terceira maior beneficiada com verba do PSL em todo o país, mais do que o próprio presidente Bolsonaro e a deputada Joice Hasselmann (SP), essa com 1,079 milhão de votos.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A Folha descobriu um belo filão de corrupção eleitoral, não há dúvida. O caso do ministro Álvaro Antônio é da maior gravidade, ele já deveria ter sido afastado do ministério do Turismo. Mas a Folha está forçando a barra no caso de Bebianno. Quem está sujo nesta história não é ele, a culpa é do presidente regional do PSL em Pernambuco, que é vassalo do presidente nacional Luciano Bivar. Ao que parece, Bolsonaro já entendeu o que houve e reconsiderou o caso de Bebianno, que a Polícia Federal está investigando. Essa é a verdade sobre o caso. A Folha está indo bem na apuração dos malfeitos, mas não precisa exagerar. (C.N.)

17 thoughts on “Em reunião no Planalto, Onyx comunica a Bebianno que ele continua como ministro

    • -Prezado, nós já discutíamos aqui esse negócio de “colocar a mão no fogo” por pessoa “de confiança” no ano passado, antes mesmo do Bolsonaro ser candidato oficial. No Brasil não existe a escolha “do melhor”, mas do político “menos pior”.

      -Exceto pelos fiéis do Lula, ninguém em sã consciência bota a mão no fogo por outro, ainda mais sendo político brasileiro. Mas, até mesmo neste caso, os crentes merecem um “desconto”, pois a questão é religiosa e, portanto, de foro intimo.

      • Torço para que qualquer presidente dê certo. Meu partido chama-se Brasil. Votei no Bolsonaro no segundo turno, estou satisfeito com Moro e com os ministros militares, mas decepcionadíssimo como Paulo Guedes e outros ministros, como o falso ecologista Ricardo Salles e o ministro do Turismo que tem dois nomes, um falso e outro verdadeiro.

        E vida que segue, como dizia João Saldanha.

        CN

    • Desculpe, Junior, quem está colocando a mão no fogo é o Bolsonaro. Apenas relato o que sei. Bolsonaro deixou os filhos ultrapassarem o meio campo e entrarem na área perigosa.

      Abs,
      CN

  1. Esta maldita Foice de SP é mais uma prova do porquê da desgraça brasileira.
    Vão fazer de tudo para destruir o governo. O que ganham com isto??Qual seu real interesse?
    Não é facil tirar um país da mer.da.
    Basta ver a vizinha Venezuela. Ou os 60 anos da ditadura Cubana.
    A quem interessa nos manter no atraso total?
    Cazuza: “Quero ver quem paga, pra gente ficar assim…”

  2. Bebiano espirrou dessa por extrusão, mas saiu lisinho e roliço qual um macarrão.
    Todavia, ele foi vigoroso em seu sobreaviso:”Se eu cair, Bolsonaro cai comigo”. Chantagem e urubu, só importunam quem exala algo podre! Ao que parece, a ameaça do chefe do PSL surtiu efeito grude.

  3. O Não é de hj que C.N. tem se posicionado a favor de Bebiano e contra o filho do Bolsonaro que, no caso, parece correto. É é o velho ditado que inclusive o Moro tb tem repetidoi: “uma laranja comprometida no saco, compromete todas”. Mas o discurso do bolsonarianismo não era banir os malfeitos da vida pública ?

    • Para sua informação, Junior, o “bandido” no PSL é o “dono do partido”, Luciano Bivar. Os podres dele já estão aparecendo. Bolsonaro vai ter de se livrar dele. Apenas isso. Fique ligado no assunto, que é muito quente.

      CN

Deixe uma resposta para Francisco Vieira - Brasília DF Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *