18,26: os ministros voltam ao plenário

Tendo suspendido a sessão, “POR 10 MINUTOS”, e como esse lanche levou 44 minutos, garantem que pode ter sido decidida alguma coisa, nesse intervalo enorme.

Às 18,27 o relator Marco Aurélio Mello, começou a ler a sustentação dos advogados de defesa e seu próprio voto anterior. Mas isso não é definitivo em matéria de tempo, se insistirem no julgamento, entrarão pela noite.

Quando voltaram os ministros já sabiam: a Câmara Distrital, por 19 a 0, (todos os deputados) aprovou a abertura do processo de impeachment de Arruda.

O fato dos maiores amigos e até secretários de Arruda terem trabalhado e votado “contra” ele, só permite duas observações: 1 – É a maior indignidade e falta de caráter de toda a história e não só da capital. 2 – Ou então é uma jogada com apoio do próprio governador licenciado. Como tem 20 dias para RENUNCIAR ou sofrer o impeachment, tudo é possível. Principalmente se conhecendo o passado, o presente e o caráter de 98,5% desses deputados.

PS – No Supremo, 18,45, Marco Aurélio continua lendo. Admitem que depois do seu voto, o mais novo dos ministros, Dias Toffoli, PEDIRIA VISTA, marcariam outro dia para julgamento, quem sabe amanhã.

PS2 – Mas surpreendentemente, podem continuar hoje mesmo. Tomando com ponto de referência os últimos julgamentos mais importantes, cada ministro utilizaria, no mínimo, no mínimo, 40 minutos. Seriam então 400 minutos, ou seja, mais ou menos 6 horas.

PS3 – Com o obrigatório levantamento da sessão para o jantar, o julgamento não seria amanhã, mas terminaria de madrugada, já amanhã. Tudo hipótese ou imaginação nada imaginativa.

PS4 – Mas existe uma possibilidade, até bastante razoável: Marco Aurélio votaria pela LIBERTAÇÃO de Arruda, (já que a PRISÃO ERA PREVENTIVA) todos os ministros concordariam, em votos rápidos, e a sessão terminaria antes do jantar.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *