2015: um ano que promete

Carlos Chagas

O procurador-geral da República discursou com invulgar veemência a respeito da corrupção na Petrobras, a ponto de despertar a irritação da presidente Dilma, por sua vez determinando que o ministro da Justiça reagisse. O episódio sugere a iminência da divulgação da lista dos políticos envolvidos no escândalo. Nos próximos dias, quem sabe nas próximas horas, Rodrigo Janot enviará denúncia contra dezenas de deputados e senadores.

Caberá ao relator do processo do chamado petrolão, ministro Teori Savaski, pronunciar-se a respeito. O prazo parece curto, tendo em vista que a partir do dia 19 o Supremo Tribunal Federal entrará em recesso. O plantão será exercido pelo atual presidente da mais alta corte nacional de justiça, Ricardo Lewandowski, na teoria apto a substituir o relator, aceitando ou rejeitando as denúncias, ainda que depois venham a ser submetidas ao plenário. Razões de temperamento sugerem que o sucessor de Joaquim Barbosa não se precipitará, deixando a questão para a reabertura dos trabalhos, ano que vem.

A conclusão é de que os acusados de corrupção terão seus nomes conhecidos mas seu julgamento vai demorar. Assim, os que foram reeleitos em outubro deverão ser diplomados e tomar posse, em fevereiro. Talvez um ou outro tenha sido nomeado ministro do governo Dilma. Ou outros, eleitos para as mesas da Câmara e do Senado.

Estará armado um barraco dos diabos, com a atenção do país voltada para os processos porventura abertos contra parlamentares. Claro que antes mesmo eles estarão se defendendo pela imprensa e por seus advogados contestando a denúncia do procurador-geral. Só por milagre algum reconhecerá a culpa. Entre a defesa e os depoimentos previstos, além dos votos dos ministros do Supremo, provavelmente correrá todo o próximo ano.

Os acusados pertencem a diversos partidos, do PT ao PMDB, o PP e até o PSDB. A pergunta que se faz é se depois do julgamento, sobrevindo condenações, os condenados serão expulsos. Em suma, 2015 promete, como gerador de tensões e convulsões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *