Clássico do terror, “O exorcista” é uma boa escolha para quem quer se aventurar no gênero

O Exorcista - Limão Mecânico

“O Exorxista” é uma leitura realmente instigante

Júlia de Aquino
Instagram literário @juentreestantes

“Ela se erguia cerca de trinta centímetros e caía na cama, como se mãos invisíveis a estivessem levantando e derrubando”

Posso dizer que “O exorcista” foi o primeiro livro de terror “de verdade” que li na vida. Histórias de suspenses, crimes e mistério são comuns em nossa estrada literária, mas acabamos deixando de lado as obras clássicas de Terror, aquelas com milhares de elementos voltados exclusivamente para passar ao leitor medo e perplexidade, deixando-o, literalmente, aterrorizado.

A HISTÓRIA – O livro conta a trajetória de Chris MacNeil, uma atriz e mãe que está filmando em Georgetown e sofre com as inesperadas mudanças de comportamento de sua filha de 11 anos, Regan.

Quando a ciência não consegue descobrir o que há de errado com a menina, Chris busca a ajuda da Igreja local. No que parece ser um raro caso de possessão demoníaca, uma nova personalidade parece surgir em Regan a cada dia que passa. Cabe a Damien Karras, um padre da universidade de Georgetown, salvar a alma de Regan, enquanto tenta restabelecer sua fé, abalada desde a morte de sua mãe.

ESCRITA IMPECÁVEL – Apesar de já ser uma história conhecida, principalmente devido à adaptação de 1973 para os Cinemas, trata-se de um livro que vale a pena ser lido. E os motivos são vários.

Toda a trama é muito bem construída e descrita de forma clara e nada prolixa. Uma das partes que mais se destacam são os capítulos referentes à fase de pesquisa em que o Padre Karras está investigando o assunto do Exorcismo, para identificar a possível cura de Regan (a protagonista mirim).

Durante esse período da narrativa, somos transportados ao pequeno quarto do padre, mas, principalmente, nos sentimos dentro de seus pensamentos, de seus livros e manuscritos para pesquisa. E mesmo esses trechos “acadêmicos” não são cansativos.

MEDO? – A obra nos transmite toda a tensão da mãe desesperada com o comportamento de sua filha; a perversidade da menina e suas atitudes desumanas; todo o sofrimento de ambas e o novo clima atormentado do lar que antes fora tão feliz. Como “medo” é algo relativo, não é possível afirmar que tal sentimento será despertado (mas todos os outros citados acima, com certeza serão).

Aflição, talvez, mas não aquele tipo medo que projetamos para esse leituras como essa. Acima de tudo, a curiosidade do leitor é aguçada a cada acontecimento, e as páginas vão passando até nos depararmos com a reta final da obra (“mas já?”).

Por tudo isso, recomendo a leitura pra quem quer tentar algo nesse estilo e não deixa de lado uma boa escrita e diálogos que prendam a atenção.

Livro: O exorcista
Autor: William Peter Blatty
Editora: HarperCollins Brasil
Páginas: 330

###ALGUNS TRECHOS

  • “A coisa que vi naquele quarto não era Regan”.
  • “Está claro, pelo menos para mim, que o demônio sabe em que ponto tocar. Ah, sim, ele sabe”.
  • “Mas se todo o mal do mundo faz a senhora pensar que pode existir um diabo, como explica todo o bem do mundo?”
  • “Ela se erguia cerca de trinta centímetros e caía na cama, como se mãos invisíveis a estivessem levantando e derrubando”.

5 thoughts on “Clássico do terror, “O exorcista” é uma boa escolha para quem quer se aventurar no gênero

  1. Li o livro faz o bocado de tempo.

    Recentemente revi o filme, pois o tenho na minha pequena filmoteca.

    Na cotação dos entendidos em cinema, o filme recebe a notação de cinco estrelas na maioria dos críticos.

    O filme é na realidade uns dos clássicos do terror.Sua grandiosa qualidade (em todos quesitos) e seu estilo sombrio , assustador e demoníaco agradaram os críticos e também o público.Tudo no filme chega a um nível quase extremo de perfeição .A começar pelas atuações do elenco, que é que deixa o filme muito mais real e ainda mais medonho.A atuação paranormal da Linda é maravilhosa , interpretando com perfeição a menininha possuída pelo diabo.O restante do elenco também tem boa participação .O Roteiro bem estruturado é um dos pontos fortes do filme.Às vezes ele soa “polêmico” demais, mas mesmo assim ele consegue aterrorizar com uma história que parece mais ser surreal .A Direção do William é fantástica , conseguindo cria ruma atmosfera tenso e sombrio nas cenas em que a ação não aparece .Os efeitos especiais contribui por demais para fazer com que a plateia se sinta aterrorizada.A maquiagem está perfeita (realista) e a trilha-sonora deixa os expectadores tenso.É um filme que podemos considerar uma obra prima.Para mim um cinco estrelas com louvor.

    PS 1 – Lembramos aqui o Bebê de Rosemary a obra prima do Roman Polanski precursor dos filmes de terror.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *