“Mora na filosofia, pra que rimar amor e dor?”, perguntava Monsueto, um mestre do samba

CD RAÍZES DO SAMBA - MONSUETO

Monsueto é um dos mestres do samba carioca

Paulo Peres
Poemas & Canções

O pintor, ator, cantor e compositor carioca Monsueto Campos de Menezes (1924-1973) é o autor de sambas clássicos como “Mora na Filosofia”, em parceria com Arnaldo Passos, cuja letra relata as diversas formas pelas quais a amada foi avaliada para se chegar à decisão final, ou seja, de que é impossível continuar com esta pessoa. O samba foi gravado também por  Caetano Veloso, no LP Transa, em 1972, pela Philips.

MORA NA FILOSOFIA
Arnaldo Passos e Monsueto

Eu vou lhe dar a decisão,
Botei na balança e você não pesou,
Botei na peneira, você não passou,
Mora na filosofia,
Pra que rimar amor e dor,
Vê se mora na filosofia,
Pra que rimar amor e dor.

Se seu corpo ficasse marcado,
Por lábios ou mãos carinhosas,
Eu saberia,
A quantos você pertencia,
Não vou me preocupar em ver,
Seu caso não é de ver pra crer…

 

4 thoughts on ““Mora na filosofia, pra que rimar amor e dor?”, perguntava Monsueto, um mestre do samba

  1. OS BARÕES – Juvenal Galeno

    Eu não canto os barões assinalados
    Por atos de virtude ou de heroísmo …
    Mas apertos e torpes titulados,
    Egrégios na baixeza e no cinismo !
    Que os primeiros são tão raros
    Nesta terra em que nasci,
    Ao passo que dois segundos
    Mais de um canto conheci !
    E deles cada qual om mais tratante,
    Mais néscio e mais servil…
    Em fidalgos ruins já ninguém vence
    Por certo o meu Brasil !
    E se alguém duvidar ponha a luneta
    E o passado examine dos barões …
    Empurre no presente uma lanceta
    E verá o que sai … que podridões !
    Ou procure , que tenho na gaveta .
    Alguns apontamentos ou borrões …
    Mas trabalho é demais … Ninguém se meta
    Antes leiam ests traços a crayons.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *