9 de julho de 1932: a revolução dita “constitucionalista”

78 anos de uma data que entrou atravessada na História. Vargas traiu a REVOLUÇÃO, transformou-a em “revolução”. Os paulistas aristocratas, 1 ano e meio depois, por causa da quebra de Wall Street, perderam fortunas com a redução das vendas de café. Os riquíssimos ficaram apenas ricos, engendraram o movimento que seria pela CONSTITUIÇÃO.

Vargas esmagou essa REVOLUÇÃO, convocou a Constituinte de 1933/34, mas continuou no Poder, INDIRETAMENTE, grande traição.

E os paulistas? Protestaram, fizeram NOVA REVOLUÇÃO, em outra data qualquer?

**

PS – Por que fariam isso, se GANHARAM UM INTERVENTOR? Vargas nomeou Armando Salles de Oliveira, genro de Julio de Mesquita, dono do jornal “Estado de S. Paulo” e principal articulador desse 9 de julho de 1932, “comemorado” hoje, pelos ingênuos e mal informados.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *