Fuzilamento de Marco Archer foi uma punição altamente injusta

Marco dentro da cadeia na Indonésia (Foto: Rogério Paez / Arquivo pessoal)Carlos Newton

A pena de morte sofrida pelo traficante brasileiro Marco Archer na Indonésia foi uma punição medieval, que tende a se tornar anacrônica diante da evolução da humanidade, mas isso ainda vai demorar muito. Nossa civilização só avança com celeridade em termos tecnológicos, numa rapidez surpreendente. Mas, sob o ponto de vista da evolução social, ainda ficaremos por longo tempo convivendo com a barbárie na maioria dos países do mundo.

O jurista Jorge Béja teve um ato nobre, ao apresentar o derradeiro recurso contra a execução da sentença de morte de Archer, um tipo de condenação que precisa ser abolida no mundo inteiro, conforme está disposto na Declaração Universal dos Direitos da Pessoa Humana, aprovada e assinada pelo próprio governo da Indonésia, conforme assinalou Béja em sua brilhante defesa da preservação da vida. Mas acontece que, quase 70 anos depois, até hoje a Declaração da ONU ainda não foi colocada em prática pelo governo de Jacarta.

UMA PENA DESUMANA

A avançada Ciência do Direito desde o início do século passado deixou de aceitar a condenação à morte, com base na tese de que a função da pena é recuperar o criminoso e reintegrá-lo à sociedade, embora haja as exceções de praxe, os criminosos que demonstram comportamentos patológicos, a exigir permanente tratamento médico e que não podem viver em liberdade. Até hoje, grande número de países ainda utilizam a pena de morte, mas a tendência é de que essa prática acabe sendo abolida, como ocorreu com a escravidão, que está praticamente erradicada, mas ainda resiste em países atrasados como a Mauritânia.

REINCIDÊNCIA

A taxa de reincidência de criminosos nos Estados Unidos é de 60%. Na Inglaterra, é de 50% (a média europeia é de 55%). Mas no país que oferece as melhores condições de recuperação aos detentos, a Noruega, a taxa de reincidência é de apenas 20%, caindo para 16% na prisão de Bastoy, apelidada de “ilha paradisíaca” pela imprensa norte-americana, porque abriga em surpreendentes e confortáveis acomodações muitos assassinos, estupradores, traficantes, pedófilos e outros criminosos de alta periculosidade.

É numa dessas prisões tipo spa que está cumprindo pena o terrorista de extrema-direita Anders Behring Breivik, o chamado “monstro da Noruega”, que em 2011 matou 77 pessoas, das quais 68 eram jovens que estavam num acampamento do Partido dos Trabalhadores e foram mortos a tiros, implacavelmente.

ROTINA DOS PRISIONEIROS

Artigo de João Ozorio de Melo, no site Conjur, mostra a rotina da prisão de Bastoy:“Todas as manhãs, os detentos se levantam, tomam um café da manhã reforçado, preparam um lanche para levar para o trabalho, que começa pontualmente às 8h30. Trabalham até as 14h30 (por cerca de R$ 21 por dia), almoçam a partir das 14h45 e, depois disso, estão livres para praticar outras atividades (exceto levantamento de peso) até às 23h, quando devem se recolher a seus aposentos. Com o trabalho dos detentos, a prisão é autossustentável e tão ecológica quanto possível, diz o diretor Arne Kvernvik-Nilsen. Os detentos fazem reciclagem, usam a biblioteca, têm gravador de música, usam energia solar e, a não ser pelos tratores, seus meios de transporte para trabalho, diversão e tudo o mais são apenas cavalos e bicicletas. Bastoy é a prisão mais barata da Noruega”.

CELAS COM TV E GELADEIRA

Ozorio Melo revela também que em outra prisão, em Halden, as celas individuais têm janelas sem grades, com vistas para a floresta. São quartos amplos, dotados de banheiro com chuveiro, cama, televisão de tela plana, mesa, cadeira, armário e geladeira. “As celas são divididas por blocos: oito celas em cada bloco, que mantêm separados apenas os estupradores e pedófilos, que, também na Noruega, não são perdoados pelos demais detentos”, assinala, acrescentando:

“Na Noruega, a reabilitação dos presos é obrigatória, não uma opção. Assim, o chamado ‘monstro da Noruega’, como qualquer outro criminoso violento, pega a pena máxima de 21 anos, prevista pela legislação penal norueguesa. Se nesse prazo, não se reabilitar inteiramente para o convívio social, serão aplicadas prorrogações sucessivas da pena, a cada cinco anos, até que sua reintegração à sociedade seja inteiramente comprovada”.

Enquanto isso, na Indonésia, os traficantes são condenados à morte, mas podem adquirir drogas na cadeia, e Marco Archer usou metanfetamina até as vésperas da execução. A metanfetamina é uma das drogas mais devastadoras, o que explica o envelhecimento precoce do prisioneiro, que tinha apenas 53 anos.

36 thoughts on “Fuzilamento de Marco Archer foi uma punição altamente injusta

  1. Caro Newton, tenho compaixão dos familiares, mas precisamos entender que existe LEI, e o Brasil infelizmente, não acredita em lei. O sr. Marcos sabia o risco que corria, pagou para ver, é doloroso, podia ter escolhido o caminho da honestidade, do trabalho, do cumprimento das leis.

      • Oi Ricardo, desculpe; só agora vi o seu comentário. Respeito o seu ponto de vista, eu tb estudo muito e pesquiso os tais temas, budisticamente falando são vivências, estágios de consciência. Não estava me referindo especificamente ao Espiritismo/Kardecismo. Abraços.

    • Eu também acredito na reencarnação e com certeza Marco Acher já pagou aqui por outros comportamento nas vidas passadas, eu acredito que sua mãe estava esperando ele para ajuda-lo nesse momento de dor.
      Foi uma morte brutal, estamos vivendo em épocas que estamos retrocedendo a outras épocas como as de Roma, que colocavam homens para matarem entre si, ou lutarem com bichos ferozes e todos aplaudirem. Foi isso que percebi quando muitos davam resposta a morte dele como se tivessem aplaudindo, é triste. Hoje nesta quarta, dia 04 de fevereiro de 2015, mudei de opinião até para assassinos bárbaros que eu acreditava em serem limpados da terra. Só Deus tem esse poder de dar a vida e tira-la. Estou inconformada com a morte de Marcos e por seus momentos cruciais até se passagem.

  2. Esta no Globo. Dilma esta indignada com a Indonésia e já chamou o embaixador para consultas.
    O engraçado nisto, é que o tráfico de drogas produz uma matança generalizada aqui no Brasil e ninguém se comove.
    Morrem brasileiros aos milhares, devido a criminalidade, mas a nossa presidente fica
    furiosa é com um governo estrangeiro que executou um brasileiro que traficava drogas.
    Também não se pode argumentar que o processo foi injusto, pois foram dadas todas
    as garantias de recursos. Só que não foram acatados porque a lei do pais não
    permitia.
    Como o fato esta consumado, só resta agora o exemplo a outros brasileiros que
    pensem bem, antes de sair com droga do pais.

  3. A vida é um bem tão precioso que todos deveriam morrer de morte natural. Com relação a este caso ele sabia dos riscos. Acho que todos os traficantes deveriam ser eliminados da face da Terra. as imagens das pessoas fumando crake em São Paulo e no Rio de Janeiro são muito degradantes. Acho que o Brasil deveria fazer igual a Israel e construir um muro ao longo de nossas fronteiras o mais alto e o mais largo possível, para nos proteger deste países que fazem plantação de coca. A lei do abate de aeronaves deveria ser aplicada. As drogas destroem as pessoas e um país. A maior parte da violência esta diretamente relacionada com as drogas. Todos os países que produzem coca deveriam sofrer embargo econômico. Ele senhor sabia dos riscos, portanto ele sabia o que poderia acontecer.

  4. Bem , ele já morreu! Como cristão, condeno veementemente qualquer ato primitivo desta natureza. Que o Criador tenha misericórdia desta alma. Mas, o meu lado racional, agora, comporta-se da seguinte maneira: “Deus quis assim!”.Deus quer o “hoje”, “minha gente” (o defunto era amigo do Collor)! “Faça a coisa certa!” Tantos apelos “infundáveis” (a soberania da Indonésia estaria em risco ), uma pequena mobilização( nos sites ditos como populares, a torcida pela “execução” era grande), questões jurídicas( cacete, cadê a ONU?), diplomáticas( o Brasil,de fato, é “um anão diplomático”). Que país é esse? A Petrobras é o paraíso da corrupção! O “tráfico de drogas”, em diversas cidades brasileiras, constitui-se em um “Estado” paralelo). Caia na real! Eu, literalmente, vivo em uma sociedade medieval!! Picaretas, safados, aproveitadores, prevaricadores, salafrários, oportunistas, assassinos, vagabundos… Chega!!! Que este “tenebroso” ato crie vergonha nesta porra de nação! Quantos morrem ao relento diariamente? E quem defende??? Quantas impunidades? O cinismo, a complacência absurda, a falta de caráter, o conluio e a sacanagem imperam…Que tal usar toda “essa energia” para mudar de vez essa colônia? Precisamos de juristas, precisamos de trabalhadores, precisamos de estudantes, precisamos de legisladores de verdade, precisamos de gente do bem ( sem hipocrisia, demagogia, ou melhor, “sem vaselina”). Abrace esta ideia antes que seja tarde demais…

    Dilma, sua anta, você está indignada? Eu, cidadão, estou indignado com esta merda de governo que você ( e esta quadrilha petista) cultivou! Que Deus tenha piedade de você!!!!!!!!!

  5. Pensando frio, sem emoções, digo que Marcos Acher não era um adolescente, sabia o que estava fazendo e os riscos que corria se fosse pego.

    Foi pego, julgado pelas leis da Indonésia e condenado.

    Não é apenas a Indonésia que tem pena de morte para traficantes.

    Enquanto isso, aqui no Brasil, terrorista assassino é protegido pelas vossas excelências. Traficantes ficam viajando pelo país de jatinho com escolta policial. Comandam ataques a cidades de dentro dos presídios. Quantas famílias eles destroem a cada dia que passa? Quantas vidas eles tiram por dia? Quantos políticos, policiais, magistrados e outras autoridades são compradas por eles?

    Para terminar, nossa presidenta não vai ao encontro de Davos, onde estarão maioria dos lideres do G-20, para ir a posse do presidente do país que mais fornece de cocaína as favelas do Brasil.

    • Amigos e amigas
      A dor de uma morte, deve, necessariamente, continuar mexendo com nossos sentimentos.
      Acabo de ver na tv, um “cidadão” e seu carrão matarem seis que estavam, numa calçada esperando ônibus. O “autor do feito”, fugiu do loca. Certamente para fugir do flagrante.
      Temos no nosso dna (como povo, em geral) o germe da impunidade. É feito porque sabem que não dará nada! Quando dá, gritamos, criticamos, nos rebelemos e esperamos a salvação até dos céus.
      Queremos opinar em tudo e mudar as regras estabelecidas.
      Tem gente que reclama do uso da batina dos padres: vestimenta medieval. Lhes pergunto se pretendem assumir o celibato? Dizem que não! Mas querem decidir pelos outros. Não compreendem que são os postulantes que devem decidir ?
      Assim são as leis nos países. Povos e culturas diferentes – leis diferentes.
      E aqueles que , por uma razão ou outra, se aventuram a “passear” em outros países, precisam conhecer seus costumes , seus hábitos, seus excessos e seus limites.
      Espero que o espírito de Marco Archer tenha sido recebido por bons espíritos e que o conduza ao seu próximo lugar.

      • Tem toda razão a sua reflexão.
        Também espero que, no astral, ele se eduque e sinceramente se arrependa do mal que causou a si, seus próximos e também às pessoas desconhecidas que se prejudicaram com seus atos.
        A questão que me surpreende é a mobilização emocionada para ESTA morte e, por outro lado, o descaso público para a barbárie em que estamos atolados. Nós, a humanidade, e nós brasileiros em especial.
        Em Pedrinhas/MA pessoas foram decapitadas e esquartejadas. Está na internet! E tudo continua. Ninguém é punido.
        E a eleitoreira dilma não se indignou com isso e nem com outras centenas de mortes violentíssimas e desumanas causadas pela falta de infraestrutura pública acentuada pelos bárbaros desvios do dinheiro dos nossos impostos.
        A China tem pena de morte até para empresários ou funcionários públicos corruptos e, obviamente, ela nada diz sobre isso, pois aí a opinião pública brasileira debocharia e faria piadas dela.
        É muito oportunismo cínico a atitude do governo.
        Se fosse por razão humanística, o que é louvável da parte de vários comentaristas e inclusive do Dr. Beja, a chefe de Estado deveria generalizar para o mundo citando também os países que tem pena de morte até para homossexuais e adúlteras.
        Essa é a posição de um Estadista, mas ela…é apenas uma falsificadora de currículo Lattes.

        • aranha
          É tudo isto que colocastes e mais um pouco.
          Vivemos num país em guerra. Quantos mortos por dia?
          Por que a presidente não fala nisto? É dar um tiro no próprio pé.
          É uma fuga da realidade. Passamos a debater algo que choca e que está tão distante.
          No entanto, os crimes cometidos pelo comércio “legal” das drogas em nosso país, que mata e destrói milhões de seres humanos; os cometidos no transito e os demais lugares, passam batido. Virão números.
          Já passou a hora de termos atitudes sérias e cobrarmos de nosso representantes mais honestidade e trabalho.
          Quem sabe debatendo propostas para um PROJETO DE PAÍS!
          Abraço e saúde.

  6. Acho a pena de morte repugnante, mas no Brasil quantos não são executados sem sequer serem julgados? Quanto a prisão de Bastoy, não deveriam nem ter mencionado, pois o ministro Barroso, junto com o Congresso podem querem fazem uma dessas em Angra, para prisioneiros chapa branca….

  7. O governo brasileiro deveria usar a lei de reciprocidade e mandar todos os indonésios para fora do Brasil, se não há respeito as leis internacionais, não há respeito pelo ser humano, isto não é de Deus e sim do ser humano, se é que devemos chamar um líder de um país onde não há respeito pelo ser humano.

  8. Caro JOÃO OZÓRIO DE MELO,

    Senhores,

    -QUANTOS TRABALHADORES BRASILEIROS se levantam (lá pelas 07h00min, pelo seu texto), tomam um café da manhã reforçado, preparam um lanche para levar para o trabalho, que começa pontualmente só às 8h30?
    -QUANTOS TRABALHADORES BRASILEIROS trabalham só até as 14h30, almoçam a partir das 14h45 e, depois disso, estão livres para praticar outras atividades?
    -QUANTOS TRABALHADORES BRASILEIROS podem usar uma biblioteca, gravador de música e energia elétrica solar sem se preocupar com a CONTA DE LUZ?

    -QUANTOS TRABALHADORES BRASILEIROS podem abrir mão dos ônibus lotados, dos engarrafamentos e ir trabalhar de trator, cavalos ou de bicicletas sem se preocupar com os PREÇOS DA PASSAGEM OU DA GASOLINA?
    -QUANTOS TRABALHADORES BRASILEIROS têm as janelas das casas com vista para a floresta – e sem grandes de proteção, diga-se de passagem?
    -QUANTOS TRABALHADORES BRASILEIROS moram em casa que têm quartos amplos, dotados de banheiro com chuveiro, cama, televisão de tela plana, mesa, cadeira, armário e geladeira sem se preocupar com a CONTA DE ÁGUA ou com a do TAXA DO CONDOMÍNIO?

    Senhores,

    -Sou a favor de OFERECER TUDO ISSO AOS BANDIDOS.
    Desde que, antes, SEJA OFERECIDO AOS OTÁRIOS (não é essa gíria que os “espertos” nomeiam quem trabalha nesta colônia?) BRASILEIROS.

    Abraços.

    (ps: Afinal, de que mundo estávamos falando mesmo?)

  9. No mínimo, vc autor dessa matéria, deve estar ligado ao tráfico de drogas. Todo traficante tem que morrer. Ainda bem que no orçamento do Itamaraty não tem verba para trazer o corpo desse vagabundo para o Brasil. Joga na privada ele e seus fornecedores de drogas. Certíssimo o Wodo. FUZILAR!

  10. O problema com a pena de morte é que o erro é IRREPARÁVEL. Não é o caso desse cidadão executado ontem que fez várias viagens levando cocaína daqui para lá e abusando da sorte muitas vezes. Ele só não merecia sofrer tantos anos de expectativa atroz. Basta ler o ULTIMO DIA DE UM CONDENADO, de Victor Hugo, para comprovar, quanto mais 11 anos. Estamos cansados de ler sobre presos condenados por décadas nos EUA serem libertados com simples desculpas por erros judiciários. Não há indenização que pague casos assim. E quantos inocentes morreram injustamente? Aqui mesmo, durante o Império, D.Pedro II, após ter constatado o vergonhoso erro judiciário do caso da “fera de Macabu”, passou a conceder GRAÇA, tão sensibilizado que ficou com a injusta execução do fazendeiro Manoel da Motta Coqueiro. Mesmo assim, o Imperador não conseguiu enfrentar as poderosas forças conservadoras para aboli-la para crimes comuns. Só foi abolida na República, em 1891.

  11. Direitos da Pessoa Humana? É muito bonito falar disso quando não se tem alguém próximo a você morrendo e matando pelo tráfico. Será que algum traficante já deu a mínima para os direitos de um usuário? Ou da família desse usuário? A consciência é o que nos define como HUMANOS, quando esta deixa de guiar nossas ações, já não podemos ser definidos como tais. Realmente as leis no Brasil não são respeitadas, então acho que não temos MORAL para criticar um país que respeita as suas. Sentir peninha de criminosos é hipocresia. Justificar a posição pacífica com religião é pior ainda. Se esse homem fosse meu pai, irmão ou marido, com certeza eu estaria sofrendo tanto quanto os familiares dele e é por eles que devemos ter compaixão. Mas a vida é feita de escolhas e a mais simples delas é : certo ou errado. Não há como seguir qualquer um dos caminhos sem arcar com as consequências. Julgado, condenado e executado. Menos um. No Brasil, vários são julgados, condenados e seguem fazendo o que sempre fizeram (mesmo quando presos) e não vemos tanta mobilização. Mais uma vez o sentimento é vergonha: do nosso país, dos nossos representantes e também da população que se apoia na ignorância e nos discursos prontos.

  12. Repúdio total à pena de morte. Loucos assassinos e masoquistas. Lei do inferno e não de Deus!!
    Como pode uma soberania responder a uma violência como é o tráfico de drogas, com outra violência extrema, no que se refere à pena de morte, que gera antes de sua aplicação um terror extremo aos condenados, uma tortura psicológica e física imensuráveis, onde os mesmos entram e profundo estado de choque, que cabe somente aos próprios responder ?
    Como pode um chefe de estado fazer da vida humana e de um corredor da morte o seu mais novo agente eleitoreiro?
    Como pode tamanho desprezo à vida?
    Como pode tamanha falta de humanidade?

  13. quem condena,e porque nao tinha um parente no corredor da morte,mesmo errado,temos uma chance,sera que quem e a favor da pena de morte nao pensa que um dia poderia ter alguem bem proximo ,um filho por exemplo na vida do crime? sera que ele seria a favor ou iria lutar por ele? E GENTE.A VIDA E A MORTE A DEUS PERTENCE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *