Bolsonaro devia fortalecer a Petrobras, ao invés de entregá-la ao capital externo

Privatistas não podem esperar e querem vender os ativos da empresa

Carlos Newton

País da piada pronta, onde tudo acontece ao contrário, o governo decide privatizar a Petrobras justamente na fase em que a empresa se tornou a petroleira de maior potencial de crescimento no mundo, devido à descoberta do pré-sal. Na verdade, não há a menor justificativa para vendê-la. Afinal, qual é a maior empresa de petróleo do mundo? Seria a Exxon? Ou a Shell? Quem sabe a Chevron ou a British Petroleum? A resposta é nenhuma delas.

Na realidade as maiores empresas de petróleo e gás do mundo são estatais – as chamadas national oil companies (NOCs). Entre elas, estão a Saudi Aramco (Arábia Saudita), a NIOC (Irã), a KPC (Kuwait), a ADNOC (Abu Dhabi), a Gazprom (Rússia), a CNPC (China), a PDVSA (Venezuela), a Statoil (Noruega), a Petronas (Malásia), a NNPC (Nigéria), a Sonangol (Angola), a Pemex (México) e a Petrobras.

MAIOR POTENCIAL – Desde sempre há disputas envolvendo a Petrobras, cujo verdadeiro criador foi o general Horta Barboza, presidente do Clube Militar, que fez o pronunciamento decisivo propondo o monopólio do petróleo. Depois, com a empresa já funcionando, ele enfrentou Juarez Távora e evitou que o setor de refino (o mais rentável) fosse entregue às multinacionais.

Hoje, a Petrobras está sendo privatizada justamente quando é considerada a petroleira de maior potencial de crescimento no mundo, retirando petróleo no pré-sal a 8 dólares o barril, custo só comparável a raros campos no Oriente Médio.

Em 2026 o Brasil estará produzindo 5,1 milhões de barris/dia de petróleo. E se tornará um grande exportador de petróleo e derivados. Mas os privatistas não podem esperar e querem vender logo os ativos da empresa, a 30 dinheiros e na bacia das almas, como se dizia antigamente.

TUDO POR DINHEIRO – Gasodutos, refinarias e outras unidades já começaram a ser privatizadas, como se a Petrobras fosse uma empresa inviável. Em 1980 (há apenas 38 anos), a Petrobras produzia míseros 200 mil barris/dia de petróleo. Hoje, cada nova unidade FPSO que entra em operação tem capacidade de produção de 180 mil barris/dia. O lançamento destes navios deveria ser comemorado com ampla divulgação. Mas isto não acontece, porque a atual administração quer esconder o futuro da companhia para justificar as vendas de ativos em andamento.

Segundo previsão da Agência Nacional de Petróleo, em 2026 o Brasil estará produzindo 5,1 milhões de barris dia de petróleo. Somente o campo supergigante de Búzios, na área de cessão onerosa, estará produzindo 2,8 milhões de barris dia.

Ao invés de vender companhia, com a cumplicididade do Congresso, o presidente da República deveria enquadrar a Petrobras, exigindo que a empresa institua um Fundo de Equalização, para manter seus preços internos e ficar imune às variações internacionais, como está ocorrendo agora, devido ao atentado à maior refinaria do mundo.

###
P.S. – Este mês a Petrobras colocou à venda mais uma refinaria, a Gabriel Passos, em Minas. É um crise de lesa-pátria. Como dizia John D. Rockefeller, “o melhor negócio do mundo é uma refinaria de petróleo bem administrada e o segundo melhor é uma refinaria mal administrada”. Mas quem se interessa?

10 thoughts on “Bolsonaro devia fortalecer a Petrobras, ao invés de entregá-la ao capital externo

  1. É INCONCEBÍVEL O QUE ESTÃO FAZENDO COM O NOSSO PETRÓLEO ! TODOS OS PRESIDENTES SÁBIOS E VERDADEIROS ESTADISTAS, DESDE GETÚLIO VARGAS, SABEM DISSO. OS MUITO “ESPERTOS”, COMO O BOLSONARO, QUEREM APROVEITAR A IGNORÂNCIA DO POVO E ENRIQUECER A PATOTA DELES. ISSO É CRIME DE LESA-PÁTRIA !!!

    • Inconcebível foibo que fez o PT e outros partidos em conluio com muitos funcionários que estão lá até hoje ganhando salários altíssimos às custas da miseria do povo brasileiro.
      Ainda queres que o atual presidente fortaleça essa empresa que já foi o orgulho do Brasil e hoje é a nossa vergonha.
      Para accabar com as falcatruas da Petrobras só mesmo privatizando e a colocando nas mãos de dirigentes que se deixam levar pelas audácia criminosa de lula, dilma, dirceu e outros criminosos.
      A PETROBRAS será privatizada para o bem da nação.
      Deixe de esperteza servil e caia na real.
      É fato consumado que estatal no Brasil serve somente para enriquecer malandros nascidos no mato como os citados acima.
      Passe bem e acorde.

      • Roberto, vc não tem moral pra falar de petista nenhum. Vc escrevia “Viva Temer! Tens Honra!” e glorificava o vice da Dilma. Como vc se sentiu vendo seu ladrão de estimação ser preso este ano?

  2. Por mim vende até o Palácio da Alvorada. O nobre da escriba deste blog está cego para o que está acontecendo. Não está ligando os fatos. Sabe a votação de ontem? Onde os partidos apelaram para o uso descarado do tal fundão para pagar até advogados?

    Isso é desespero, por que a fonte secou, Bolsonaro fechou as tetas por onde os partidos parasitas sempre se alimentaram. É pra isso que servem as tais estatais no Brasil, para financiar políticos e seus privilégios.

    O petróleo não é “nosso” é deles! Qual foi o benefício que a Petrobras deu ao brasileiro comum em todos os seus anos de existência? Alguém ai recebeu seus dividendos? A gasolina no Brasil é barata? O serviço é melhor? Não, não e não.

    Acordem a Petrobras não é “nossa”, ela não pertence ao “ povo”. Ela pertence aos políticos e são eles que se beneficiam dela, a nós cabe apenas pagar por uma gasolina cara e um serviço ruim.

  3. O mais importante, são as vendas de estatais às multinacionais, que não vem aqui construir uma refinaria ou um gasoduto, querem comprar funcionando e dando lucro. E ainda chamam isso de investimento.
    O lucro das empresas nacionais, são investidos no Brasil, gera progresso. A grande diferença de uma empresa estatal ou de iniciativa privada nacional é que o lucro, que é o mais importante, fica aqui, enquanto uma multinacional leva todo o lucro para a matriz descapitalizando o país, são dólares que saem sem volta.
    A base da economia do pais está sendo vendida às multinacionais e, quem teria poder para dar um basta nisso está consentindo a ação criminosa dos vendilhões da pátria.

    • Nélio Jacob,
      é isso aí, é só verificar a balança de pagamentos. Embora tenhamos superávit na comparação entre exportações e importações, as transações correntes são negativas. Por exemplo, em 2018 a balança comercial foi positiva em 53,5 bi dólares, mas no geral, as transações correntes resultaram em um deficit de 14,5 bi de dólares.

  4. 1) Pensamento noturno:

    2) “A única parte da chamada riqueza nacional, que entra realmente na posse coletiva dos povos modernos, é a sua dívida pública”.= Karl Marx.

    5) Fonte: livro “Máximas para os negócios e sua vida pessoal”, do jornalista Thales Guaracy, Negócio Editora, pág. 65.

Deixe uma resposta para Jorge C. Silva Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *