A abandonada classe média

Carlos Chagas

Nenhum dos candidatos postos até hoje para disputar as eleições presidenciais  de outubro lembrou-se de se dirigir à classe média. Claro que não há número no catálogo telefônico nem endereço postal capaz de permitir essa ligação. Muito menos se imaginará tratar-se, a classe média, de um organismo homogêneo e em condições de ser atendido em suas diversas reivindicações. Mesmo assim, há um denominador comum para exprimir as dificuldades e   os anseios do cidadão que paga impostos, enfrenta prestações abusivas  para morar, vestir-se, alimentar  e educar os filhos e, ainda por cima, orgulha-se de pertencer a uma sociedade empenhada em discriminá-lo.

A classe média mergulha cada vez mais no pesadelo de proletarizar-se ou no  sonho impossível de ascender às elites. É ela que dá a tônica da realidade nacional, porque age, protesta e vota para a projeção do futuro, mas desde que atendida em suas necessidades e reivindicações presentes. Caso contrário, dilui-se.

Fernando Henrique sufocou a classe média, Luís Inácio da Silva ajudou a matá-la,  Dilma Rousseff nada fez para ressuscitá-la. O resultado é que há um corpo insepulto na sociedade.

A classe média não aceita os arroubos de suas próprias entranhas, pois muitos dos que se lançam à baderna nas ruas são seus filhos. Como repudia as manifestações do proletariado, sempre mais agudas e violentas. A consequência é que sem auferir nenhuma vantagem o cidadão intermediário, sustentáculo da sociedade, vem sendo lançado nos braços das elites. Vão sair vitoriosos aqueles que sempre se valeram da classe média para concretizar seus objetivos, como em 1964. Depois, num vídeo tape do que já aconteceu, repete-se tudo outra vez.

Torna-se necessário olhar o mais sem esquecer o menos. Sem os votos da classe média, nem os menos favorecidos nem as elites emplacam presidentes da República, ainda que os extremos possam fazer fumaça. Ainda hoje, quem sinceramente responderá a pergunta sobre quem representa a classe média na próxima sucessão presidencial. Em especial, quem dedica a ela problemas e planos capazes de minorar suas agruras e dar-lhe esperança de melhores dias? Até agora,a resposta é zero. Depois, poderão arrepender-se.

11 thoughts on “A abandonada classe média

  1. Estimados Carlos Chagas e Carlos Newton … se escreve CC:
    “A classe média não aceita os arroubos de suas próprias entranhas, pois muitos dos que se lançam à baderna nas ruas são seus filhos. Como repudia as manifestações do proletariado, sempre mais agudas e violentas. A consequência é que sem auferir nenhuma vantagem o cidadão intermediário, sustentáculo da sociedade, vem sendo lançado nos braços das elites. Vão sair vitoriosos aqueles que sempre se valeram da classe média para concretizar seus objetivos, como em 1964. Depois, num vídeo tape do que já aconteceu, repete-se tudo outra vez.”
    … … …
    Então é hora de continuar a relembrar a Mensagem de Fátima … já postei o 1º Segredo – Inferno … já postei o 2º – 2ª Grande Guerra e sofrimentos à Igreja (porque a crença na existência de Satanás e do Inferno continuou e continua não conforme a INSISTÊNCIA de Jesus em levar os homens a crer na Vida Eterna no Céu ou no Inferno … segue o 3º Segredo: (http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20000626_message-fatima_po.html)

    “« J.M.J.
    A terceira parte do segredo revelado a 13 de Julho de 1917 na Cova da Iria-Fátima.
    Escrevo em acto de obediência a Vós Deus meu, que mo mandais por meio de sua Ex.cia Rev.ma o Senhor Bispo de Leiria e da Vossa e minha Santíssima Mãe.
    Depois das duas partes que já expus, vimos ao lado esquerdo de Nossa Senhora um pouco mais alto um Anjo com uma espada de fôgo em a mão esquerda; ao centilar, despedia chamas que parecia iam encendiar o mundo; mas apagavam-se com o contacto do brilho que da mão direita expedia Nossa Senhora ao seu encontro: O Anjo apontando com a mão direita para a terra, com voz forte disse: Penitência, Penitência, Penitência! E vimos n’uma luz emensa que é Deus: “algo semelhante a como se vêem as pessoas n’um espelho quando lhe passam por diante” um Bispo vestido de Branco “tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre”. Varios outros Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subir uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fôra de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia em ruínas, e meio trémulo com andar vacilante, acabrunhado de dôr e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao cimo do monte, prostrado de juelhos aos pés da grande Cruz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam varios tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns trás outros os Bispos Sacerdotes, religiosos e religiosas e varias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de varias classes e posições. Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal em a mão, n’êles recolhiam o sangue dos Martires e com êle regavam as almas que se aproximavam de Deus.
    Tuy-3-1-1944 ».”
    … … …
    Não está abandonada a Igreja ,,, a Mâezinha também cuida dela!!!

  2. E o Cardeal Sodano, então Secretário de Estado de Sua Santidade João Paulo II e atual cardeal protetor da Pontifícia Academia Eclesiástica e Decano do Colégio dos Cardeais:
    ” Depois, os acontecimentos de 1989 levaram, quer na União Soviética quer em numerosos Países do Leste, à queda do regime comunista que propugnava o ateísmo. O Sumo Pontífice agradece do fundo do coração à Virgem Santíssima também por isso. Mas, noutras partes do mundo, os ataques contra a Igreja e os cristãos, com a carga de sofrimento que eles provocam, infelizmente não cessaram. Embora os acontecimentos a que faz referência a terceira parte do « segredo » de Fátima pareçam pertencer já ao passado, o apelo à conversão e à penitência, manifestado por Nossa Senhora ao início do século vinte, conserva ainda hoje uma estimulante actualidade. « A Senhora da Mensagem parece ler com uma perspicácia singular os sinais dos tempos, os sinais do nosso tempo.”
    … … …
    Destaco: “Embora os acontecimentos a que faz referência a terceira parte do « segredo » de Fátima pareçam pertencer já ao passado, o apelo à conversão e à penitência, manifestado por Nossa Senhora ao início do século vinte, conserva ainda hoje uma estimulante actualidade.”
    Destaco mais ainda: “pareçam pertencer já ao passado”
    … … …
    Foi quando publiquei meu 1º texto na internet, após 20 anos de pesquisa bíblica procurando entender o que seja 1 dia = 1000 anos. Lionço Ramos Ferreira

  3. “Vão sair vitoriosos aqueles que sempre se valeram da classe média para concretizar seus objetivos, como em 1964. Depois, num vídeo tape do que já aconteceu, repete-se tudo outra vez.”
    Porque o governo de plantão insiste no mesmo intuito do governo da época: instalar o socialismo, “na lei ou na marra”, como o governo de plantão antes de 1964. a história, como o video tape, se repete

  4. (https://groups.yahoo.com/neo/groups/profecias/conversations/messages/1545):
    … … …
    “TEMPOS E MOMENTOS … ATUAIS!.?
    A resposta era 2Pd 3,8
    Pelos meados de 1980, participei de uma reunião de oração de um grupo da Renovação Carismática Católica (RCC), na cidade do Rio de Janeiro. Na parte dedicada ao ensinamento, foi dito que a RCC era das últimas oportunidades de conversão que Deus estava dando aos homens. Era a primeira vez que participava de um grupo carismático e, apesar de, no íntimo, não duvidar de tão taxativa declaração, antes de voltar para casa, perguntei à ministradora se tal afirmativa não iria contra as diretrizes pastorais do Magistério. Dias depois, ela me disse que a resposta, obtida em oração, era 2Pd 3,8. Fiquei de rezar para então voltarmos a falar sobre este assunto. Nestes 20 anos, tenho me dedicado a entender tal resposta. O aprendizado tem sido trabalhoso e progressivo. Aproveito a oportunidade para escrever alguma coisa sobre tema por demais atual, interessante e difícil (2Pd 3,16).
    Os anjos perscrutadores
    Logo no início desta exposição, quero lembrar ao caro leitor que estamos em boa companhia. Podendo a salvação ser alcançada somente pelos homens (Hb 2,16), mesmo assim os anjos são interessados nos assuntos proféticos e acompanham a sua realização com atenção perscrutadora (1Pd 1,9-12). Certamente não é a curiosidade que leva os santos anjos a tal comportamento, mas o amor à Palavra de Deus até nas suas minúcias. Não é minha intenção esquadrinhar o futuro, porém dar alguma contribuição aos que valorizam os estudos proféticos, alertando desde já que também estes não devem ser fruto de interpretação particular (2Pd 1,19-21), ficando sujeitos ao conveniente discernimento (1Ts 5,19-22).
    1 dia é como 1000 anos
    O Salmo 90 engrandece a Deus pelo seu senhorio sobre os tempos e os momentos, pois, como está no 4.º versículo, 1000 anos para o Eterno são como um dia ou como uma vigília dentro da noite. A expectativa da salvação é inerente ao homem sábio de geração em geração, conforme os versículos 1 e 16 do mesmo salmo. Já o mundano argumenta que a História transcorre e tudo continua como antes, pondo em dúvida o cumprimento das promessas do Senhor (Is 5,19; 2Pd 3,4). São Pedro esclarece que, usando de paciência com todos os homens, ofertando a salvação até a última geração para que ninguém se perca, um dia nas coisas estabelecidas por Deus é como 1000 anos na contagem dos homens (2Pd 3,8-9). Este estudo procura averiguar textos bíblicos que possam ser enquadrados neste critério. Ou seja, determinar uma dimensão profética sem negar ou atenuar outras conclusões possíveis para os escritos sagrados estudados. Fica desde já certificado que não há novidades, situando-se tudo dentro da rica doutrina católica (2Jo 9).
    Uma analogia
    O Senhor Jesus nos ensina a vencer o mal com o bem, sendo um dos exemplos andar 2000 passos voluntariamente, em vez de só os 1000 que nos obriguem (Mt 5,41). Se o cristianismo atingiu o ano 1000, fica a sua caminhada estendida pelo menos até o ano 2000? É interessante notar que fatos esclarecedores do Apocalipse (Revelação) não aconteceram pelo ano 1000. Isto leva muita gente a achar que também nada está se desenvolvendo nos dias de hoje. Será que essa passagem bíblica não tem seu componente profético de alerta? Convém lembrar o ensinamento de Jesus sobre os sinais dos tempos (Lc 12,54-59), que vão se tornando mais compreensíveis, conforme as profecias a eles atinentes vão se cumprindo (2Pd 1,19).
    3 dias na Antiga Aliança – Ex 19,10-20
    Esses versículos fazem parte da descrição de como foi feita a antiga aliança. Javé ordenou 2 dias de santificação preparadora do povo israelita para no amanhecer do 3.º dia poder presenciar a manifestação de sua divindade.
    3 dias na Nova Aliança
    A instituição da eucaristia é feita na noite de quinta-feira ou, na maneira dos judeus, na noite de sexta-feira (1Cor 11,23-32); assim contando, no mesmo dia da morte e sepultamento de Jesus. No sábado, foi a vez da Páscoa judaica (Jo 19,14.31), memorial celebrado como festa para Javé (Ex 12,1-14). Deste modo, também são 2 os dias preparatórios para que seja demonstrada a divindade do Filho, pois, ao amanhecer do domingo, o Anjo do Senhor anuncia às mulheres que Jesus já tinha ressuscitado (Mt 28,1-10).
    Um novo amanhecer
    Podemos, num trabalho de pesquisa profética (1Pd 1,10-11), ter esperança que ao amanhecer do 3.º milênio haverá a demonstração da divindade do Espírito Santo, sendo que a misericórdia divina está contando cada 1000 anos como 1 dia. Apesar de não podermos marcar nem o dia nem a hora (At 1,7), o que foi ensinado está totalmente correto porque o fim do 2.º dia (milênio) cada vez mais se aproxima, independente da referência usada como início da contagem. É interessante observar que a Era Cristã começa não no nascimento de Jesus, porém na sua circuncisão, quando houve o primeiro derramamento de seu sangue inocente.
    Novamente o 3.º Dia
    A morte de Jesus é colocada como oferta de si próprio em nosso benefício (Jo 10,17-18; Ef 5,2.25). Consultando Lv 7,16-18, aprendemos que a carne da vítima oferecida em sacrifício voluntário não pode ser consumida a partir do terceiro dia, quando deve ser queimado no fogo o seu resto. Tendo Jesus ressuscitado ao amanhecer do terceiro dia, não conheceu a corrupção e o fogo é figura da sua ressurreição. A Igreja, comungando do corpo e sangue de Cristo, passa a ter uma expectativa quanto ao que possa acontecer no amanhecer do terceiro milênio.
    A Perfeita Adoração
    A vontade de Jesus é fazer a vontade do Pai (Jo 6,37-40; Mt 26,36-44); a tal ponto que sua obediência implica em morte de cruz (Fl 2,8). Quanto a nós, Jesus pede que também participemos de seu sacrifício: fazei isto em minha memória (Lc 22,19). Esta é a grande adoração que podemos fazer à Santíssima Trindade: presença piedosa na Missa. É momento de aumentarmos nossas riquezas nos céus, exortando nossos conhecidos à reunião dominical (Hb 10,25), que é onde o Amor se irradia, iluminando toda noite que exista em nosso viver. Morrendo na cruz, Jesus foi exaltado pelo Pai (At 2,30-36). A celebração eucarística é a glória da Igreja e de seus filhos.
    Rio de Janeiro, RJ, 18 de Julho de 2000. Lionço Ramos Ferreira. Celular: (0xx21)9213-4058.
    E-mail: lioncorf@… http://www.lioncorf.hpg.com.br
    Serviços Pró Santificação ao Amanhecer do 3.º Dia / Milênio
    .
    Reprodução livre; favor não acrescentar nem tirar; consultar Ap 22,18-21. Vem, Senhor Jesus!”
    … … …
    Meu propósito foi só o de publicar minha meditação de 20 anos … nela se constata que é para o Amanhecer do 3º Dia-Milênio e não para o fim do ano 2000!!! !!! !!! Saudações miguelinas, gabrielinas e rafaelinas!!!

  5. (http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/speeches/2010/may/documents/hf_ben-xvi_spe_20100511_portogallo-interview_po.html)
    E finalmente 10 anos depois temos Bento XVI:
    “Santo Padre: Antes de tudo, gostaria de expressar a minha alegria de ir a Fátima, de rezar diante de Nossa Senhora de Fátima, que para nós é um sinal da presença da fé; que justamente dos pequenos nasce uma nova força da fé, que não se reduz aos pequenos, mas que tem uma mensagem para todo o mundo e toca a história precisamente no seu presente e ilumina esta história. No ano 2000, na apresentação, disse que uma aparição, ou seja, um impulso sobrenatural, não vem somente da imaginação da pessoa, mas na realidade da Virgem Maria, do sobrenatural; que um impulso deste tipo entra num sujeito e se expressa segundo as possibilidades do sujeito. O sujeito é determinado pelas suas condições históricas, pessoais, temperamentais e, portanto, traduz o grande impulso sobrenatural segundo as suas possibilidades de ver, de imaginar, de expressar; mas nestas expressões, articuladas pelo sujeito, esconde-se um conteúdo que vai além, mais profundo, e somente no curso da história podemos ver toda a sua profundidade, que estava – digamos – “vestida” nesta visão possível à pessoa concreta. Deste modo, diria também aqui que, além desta grande visão do sofrimento do Papa, que podemos referir ao Papa João Paulo II em primeira instância, indicam-se realidades do futuro da Igreja que se desenvolvem e se mostram paulatinamente. Por isso, é verdade que além do momento indicado na visão, fala-se, vê-se, a necessidade de uma paixão da Igreja, que naturalmente se reflete na pessoa do Papa; mas o Papa está para a Igreja e, assim, são sofrimentos da Igreja que se anunciam. O Senhor nos disse que a Igreja seria sempre sofredora, de diversos modos, até o fim do mundo. O importante é que a mensagem, a resposta de Fátima, não vai substancialmente na direção de devoções particulares, mas precisamente na resposta fundamental, ou seja, a conversão permanente, a penitência, a oração, e as três virtudes teologais: fé, esperança e caridade. Deste modo, vemos que a resposta verdadeira e fundamental que a Igreja deve dar, que nós, cada pessoa, devemos dar nesta situação. A novidade que podemos descobrir hoje, nesta mensagem, reside também no fato que os ataques ao Papa e à Igreja vêm não só de fora, mas que os sofrimentos da Igreja vêm justamente do interior da Igreja, do pecado que existe na Igreja. Também isso sempre foi sabido, mas hoje o vemos de um modo realmente terrificante: que a maior perseguição da Igreja não vem de inimigos externos, mas nasce do pecado na Igreja, e que a Igreja, portanto, tem uma profunda necessidade de re-aprender a penitência, de aceitar a purificação, de aprender por um lado o perdão, mas também a necessidade de justiça. O perdão não substitui a justiça. Em uma palavra, devemos re-aprender precisamente estas coisas essenciais: a conversão, a oração, a penitência e as virtudes teologais. Assim respondemos que somos realistas ao esperar que o mal ataca sempre; ataca do interior e do exterior, mas que também as forças do bem estão presentes e que, no final, o Senhor é mais forte do que o mal, e Nossa Senhora é para nós a garantia visível, materna, da bondade de Deus, que é sempre a última palavra na história.”
    … … …
    Destaco: “A novidade que podemos descobrir hoje, nesta mensagem, reside também no fato que os ataques ao Papa e à Igreja vêm não só de fora, mas que os sofrimentos da Igreja vêm justamente do interior da Igreja, do pecado que existe na Igreja. Também isso sempre foi sabido, mas hoje o vemos de um modo realmente terrificante: que a maior perseguição da Igreja não vem de inimigos externos, mas nasce do pecado na Igreja, e que a Igreja, portanto, tem uma profunda necessidade de re-aprender a penitência, de aceitar a purificação, de aprender por um lado o perdão, mas também a necessidade de justiça. O perdão não substitui a justiça.”
    … … …
    E finalmente temos Bento XVI como que confirmando minha meditação de 10 anos passados: (http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/homilies/2010/documents/hf_ben-xvi_hom_20100513_fatima_po.html) – “Iludir-se-ia quem pensasse que a missão profética de Fátima esteja concluída.”
    … … …
    Continuamos a viver a Missão Profética de Fátima!!! !!! !!! Há perigo novamente do Comunismo ou da Dissidência Interna do Comunismo??? ??? ??? Lionço Elias

  6. Obrigado pela atenção a todos … foi longo, porém, necessário aos tempos atuais … creio eu … e Papá do Céu está aí vigilante pelo filhos seus não caírem na cilada do Inimigo também vigilante!!! Livrai-nos do Maligno, Papaizinho!!! !!! !!!

  7. Ótimo, Sr. Lionço. O perdão não substitui a justiça, daí a necessidade da reencarnação, para espiarmos as nossas dívidas. A exemplo de Elias na roupagem de João Batista, revelado pelo próprio Cristo.

    Só falta uma coisa para a igreja católica ficar perfeita: reconhecer a reencarnação.

    Grande abraço!

    • Prezado Sr. Wagner Pires … acompanhei um debate em que o CN colocou matérias sobre Sócrates e a reencarnação … foi interessante e me motivou a por também as minhas meditações … Abraço amigo do Lionço.

  8. Todo país desenvolvido possui uma forte e importante classe média. Nela se encontram peças fundamentais do progresso de tais sociedades. E principalmente “peças pensantes”.

    Nela estão importantes: médicos, cirurgiões-dentistas, fisioterapeutas, engenheiros, arquitetos, físicos, químicos, historiadores, tecnólogos, jornalistas, geógrafos, pesquisadores, professores, comandantes de aeronaves e navios, advogados, magistrados, promotores, musicistas, biólogos, programadores, dentre inúmeros outros profissionais.

    Países que continuam atrasados, ou que estão destruindo a sua economia (como a Venezuela), têm portanto bastante reduzida a fatia da classe média, na pirâmide. Espremida entre uma pequena fatia da classe alta, por cima, e uma gigantesca classe baixa, na parte inferior, sendo esta altamente empobrecida, e sem quaisquer chances de ascensão.

  9. O texto do Sr. Carlos Chagas, é uma tentativa para se criar um juízo de valor para o momento político que o Brasil enfrenta, e a classe média como massa, sofre…
    As perguntas que a classe média deve estar se fazendo, é onde está e como fica o partido político cuja proposta era também oferecer as melhores respostas para os trabalhadores…
    Onde está o Partido dos Trabalhadores?
    No governo, há quase 12 anos…
    Como está o Partido dos Trabalhadores?
    Anarquizado e corrupto…
    Para onde vai o Partido dos Trabalhadores?
    Para o atraso, para um retrocesso no direito dos trabalhadores.
    Criatividade? é com ele mesmo…
    Novo adjetivo criado pelos marqueteiros do partido, a ser usado a qualquer hora, correndo o risco de entrar para valer no Aurélio, e que serve para justificar as trapalhadas e os avanços no dinheiro público, o tal “malfeito”, introduzido pela Presidenta.
    Como se não bastasse como explicação para o inexplicável, o agora já famoso, “não sabia”…
    É isso aí. Esse é hoje o Partido dos Trabalhadores…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *