A Alerj tem novo “presidente”

Helio Fernandes

Depois de 16 anos de Picciani e cabralzinho, veio Paulo Melo. Outro candidato do PMDB, Brazão, fez acordo no meio. (O Antonio Santos Aquino definiu-o muito bem, saiu aqui, sem ressalvas). A sessão foi presidida por Atila Nunes, dito “o que tem o maior número de mandatos”, mas nenhuma representatividade ou autoridade.

*** 

HENRIQUE EDUARDO ALVES-MIRO TEIXEIRA

Na Câmara Federal usaram o mesmo critério ou falta dele. O deputado do Rio Grande do Norte tem 10 mandatos, nem o pai, que dominou durante mais de 30 anos a política do estado, conseguiu fazê-lo governador ou vice.

Os dois cujo nome está no título, passaram toda a votação para Mesa, conversando. Miro Teixeira foi eleito deputado pela primeira vez em 1970, deveria ter também 10 mandatos inúteis. Só que às vezes se candidata a governador (como em 1982), não ganha, fica sem mandato. Por causa da burra, retrógrada e primária COINCIDÊNCIA de mandatos.

*** 

O PRESTÍGIO DE JAQUES WAGNER

Eleito e reeleito governador no primeiro turno, é nome que vai crescendo dentro do PT. Fechou a questão, não admite que Geddel Vieira Lila (derrotado por ele) assuma qualquer cargo. Porta vozes do Poder do Planalto-Alvorada tentam convencê-lo a não vetar o ex-ministro. Se Jaques Wagner concordar, Geddel será nomeado.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *