A chantagem das armas

Mauro Santayana
(Jornal do Brasil)

Mais uma vez, se repetem as cenas de vandalismo, e de aumento da violência, que se seguem à deflagração de greves policiais que ocorrem, com frequência, em diferentes estados da Federação.

E a Força Nacional e as Forças Armadas tem que ser convocadas para reestabelecer a ordem em vários pontos do país. O que aumenta o risco de conflitos, e de que as circunstâncias saíam do controle, com gravíssimas consequências tanto para os grevistas, como para a população.

Ninguém nega que a maioria dos policiais é profissional e bem preparada e que é preciso ganhar uma remuneração digna e estar bem equipado para fazer frente ao crime.

Mas o policial não pode achar que está acima dos cidadãos normais, nem acreditar que tem direito a aumentos de vencimento percentualmente dez, quinze vezes, superiores aos que recebem os brasileiros comuns. Esse é o caso, por exemplo, do pessoal das Forças Armadas, que vive no mesmo país, com os mesmos preços, custo de vida etc.

VIDA SACRIFICADA

A vida do policial é sacrificada, mas ninguém o obrigou a entrar na profissão. Ele não convocado e forçado a exercê-la. Pelo contrário, escolheu-a livremente, porque, quando prestou concurso, achou a situação e o salário atraentes, senão teria se encaminhado para um diferente destino profissional.

Urge achar outras soluções para os problemas de segurança pública – como a descriminalização da droga e a rediscussão da questão do estatuto do desarmamento – que não estejam voltadas apenas para a contratação permanente de sempre mais policiais e mais equipamentos.

Não se pode aceitar, nem imaginar, que a Nação, sequer por hipótese, fique à mercê da pressão de setores minoritários do funcionalismo. Esses setores, como todos os outros, de forma alguma podem colocar em primeiro lugar seus interesses – à frente do atendimento às necessidades dos cidadãos que pagam, com seus impostos, seus salários, e da própria sociedade como um todo.

19 thoughts on “A chantagem das armas

  1. Há quase 100 anos, o milionário Trotsky escreveu isto: “Para a esquerda dominar uma sociedade, basta que ela faça duas coisas:
    1- Colocar os pobres, contra os ricos.
    2- Colocar os bandidos contra os pobres.”

  2. Até onde vai a mendacidade deste senhor? “ninguém o obrigou a entrar na profissão” é este o argumento dele? O caso do RS pode ser generalizado: Em 1980 eram 6,5 mil policiais e uma população de 7,5 milhões, hoje são 5,5 mil e uma população de 11 milhões (!). Na Brigada o caso é semelhante, o efetivo atual é de 23 mil soldados, quando em 1985 era 22 mil. Mas concordo em algo com o comentarista, devemos rediscutir o estatuto do desarmamento.

  3. O texto desse senhor é, no mínimo, ridículo. Nenhum profissional assume seu trabalho forçado, salvo situações extremas que não é o caso aqui. Uma das coisas mais simples que uma sociedade pode advogar é sua respeitabilidade para com seus vizinhos. Quando o governo que sonega serviços ao cidadão ele advoga em causa própria. E tem sido assim. Qualquer profissional no Brasil está, em sua grande maioria, suscetível a greve face as condições de trabalho e de salário impostas.

  4. Muito bom o texto, tem tudo a ver, policial não deveria fazer greve porque expõe a população que já vive presa em casa pela falta de segurança. É justo negociar com a segurança do cidadão, uma vez que o cidadão gasta fortuna com alarmes, câmeras, concertinas para aumentar a segurança , aí vem a polícia e faz greve enfraquecendo a segurança ?
    Ridículo mesmo é quem ataca as pessoas de diferentes opiniões, quer acabar com a pluralidade. É INCRÍVEL !

  5. Dois do MAV aqui defendem o indefensável. Um deles até ficou revoltado e confessou aqui que antes da privatização da telefonia, alugava telefone. Perdeu a boca. É o petista autêntico. Sectário. Cúmplice.

  6. Santayana altera a verdade conforme seus interesses e conveniências.
    A questão que hoje mais é discutida entre as profissões albergadas pelos Estados da Federação – Educação, Saúde e Segurança -, refere-se às injustiças no tratamento salarial desse pessoal.
    Professores ganham mal porque os governadores sempre MENTIRAM e deles se aproveitaram para se eleger, caso típico do RS com Tarso Genro, o bizarro, que prometeu em campanha pagar o Piso Nacional e não honrou a sua palavra, mentindo descaradamente para esta classe de profissionais;
    Saúde, jamais as secretarias se preocuparam em elaborar um Plano de Carreira para os médicos, assim como possuem os delegados de polícia e policiais militares;
    Quanto à segurança, a diferença salarial de quem arrisca a vida para proteger os cidadãos é tão gritante em comparação com qualquer assessor de deputado estadual, federal ou de senador, que a greve é o remédio único para que os governadores apliquem mais recursos nesta secretaria e menos verbas para os perdulários Legislativos estaduais.
    Há seis, sete meses, fiz uma comparação com o salário de um senador, incluindo as suas “despesas” pessoais e “manutenção” de seu gabinete(?!), verbas gastas em restaurantes e aluguéis de carros, comparando esse montante mensal considerável com os proventos de qualquer professor e que recebesse o Piso Nacional, pois a maioria dos Estados não cumpre com esta lei.
    Pois bem, enquanto os senadores embolsam em média R$ 50.000,00 (com as despesas) por mês, o professor recebe em torno de R$ 1.200,00 mensais.
    O salário de um PM não foge muito desse valor, quem sabe um pouco mais, mas é gritante o nível de um e de outro.
    Agrava-se a injustiça porque se torna inexplicável e injustificável, a comparação com os auxiliares parlamentares que sequer trabalham junto ao gabinete, mas viajando pelas “bases” do político.
    Caso o governo considerasse o trabalhador importante, o cidadão como meta, objetivo primordial de sua atuação, certamente esta discrepância salarial não seria assim tão acentuada mas, ao contrário do que se espera, ela aumenta, ocasionando reações de revolta e indignação.
    Enfim, se o PT fosse realmente dos Trabalhadores jamais teríamos greves, pois haveria salários condizentes e adequados à importância de cada secretaria, independente dos vencimentos que os parlamentares e seus assessores percebem.

  7. Num comentário de Jabor há uns dias, ele citou o filósofo Jean Baudrillard, em que ele diz que, do comunismo, depois de um seculo de fracassos, só restou baderna o caos na sociedade que eles provocam para chegar ou permanecer no poder.

  8. M. Santayana
    Seus artigos defendendo o desgoverno do PT estão cada dia mais fracos, se continuar assim acho melhor começar a publicar poesias ou, receitas de doces.

  9. Aqui no blog o percentual de revoltados é muito maior do que diz a pesquisa para presidente.
    Ja imaginaram 20% de revoltados andando pelas ruas, sem nada produzir e agindo de forma agressiva com os que tocam o pais.
    Se as caravanas , nao se importavam quando os caes eram mais de 20%, nao paravam, imagino que muito mais de 10% + 1 subirao na caravana

  10. O ideal, seria uma reforma salarial, definindo os salários de acordo com
    as diversas categorias, desde que ninguém ganhasse muito e ninguém
    ganhasse pouco, sei que isso é uma utopia e nunca será feito.
    O narcotráfico e a milícia, estão tomando conta do Rio de Janeiro, não é
    somente nos morros que se instalaram, estão espalhados em todos os recantos.
    Descriminalizar as drogas, será um incentivo para essa juventude alienada.
    O consumidor de drogas é tão ou mais responsável pela violência do narcotráfico.
    Somente a punição, faz com que o ser humano mantenha a postura, ande corretamente.
    Se não houvesse lei punitivas, a sociedade seria um caos.

  11. Por isso que odeio o comunismo, não gosto nem um pouco do pt. Essa laia só pensa em se manter no poder. Nada é feito para o bem do povo. Tudo é pensando em se manter, em adiar o dia a dia. E vão deixando o rastro da miséria moral por onde passam. Não fazem nada a longo prazo, não se tem uma medida a longo prazo do governo petista. Eles fazem as coisas de pouquinho. Vão matando a fome de cada dia. Não pensam no dia de amanhã. Ideologia mais ridícula, mais nojenta. Agrada hoje, mata amanhã. Tudo pela fome de poder. Tudo pela fome de impor as coisas. Quem é contrário a esta gente eles desrespeitam, destratam, para essas anomalias não vale nada o pai de família trabalhador, para essas anomalias não vale ser um jovem estudioso, para estas anomalias é perda de tempo ser uma pessoa religiosa, para essas anomalias nada vale ser ordeiro, pacífico. Para essas anomalias o que vale é votar neles, o que vale é levantar uma bandeira do mst mesmo que o sujeito não saiba sequer diferenciar uma foice duma enxada, para essas anomalias não vale o esforço da conquista, as anomalias não valorizam a meritocracia, não respeitam o suor alheio. Anomalias são anomalias. São um bando de irresponsáveis que insistem que o comunismo é que é o ideal, vivem com a ideia de que o progresso é voltar às cavernas, voltar a ser tribo. São seres anormais. Seres que não vingaram em terras europeias, e que vieram como mudas para a américa latina despolitizada, aqui sim o terreno foi fértil, aqui a semente da discórdia, aqui a semente do ódio, a semente da destruição vingaram e tem dado estes frutos. E conhecemos a árvore pelo fruto. Que frutos? Os frutos estão ai. A roubalheira profissionalizada, a violência descontrolada, violência, violência. Frutos que são na verdade um verdadeiro estupro mental/social/político. Como já disse outras vezes, esta galera são uma subespécie. Não são pessoas normais. O relógio biológico deles é diferente. São seres diferentes. Eles inclusive têm dificuldade de conviver com a sociedade normal. Eles agem e pensam diferente. Os valores deles são diferentes. Todos os valores. Pra eles até o conceito de pai e mãe está errado. Pra eles só existe uma coisa: o poder.

  12. vem cá, me diga uma coisa, seu trabalho tem “risco de vida” ? seu trabalho exige que você encare pessoas armadas e dispostas a te matarem todos os dias ? seu trabalho salva vidas e propriedades ? pelo seu ponto de vista os descontentes devem sair do serviço na polícia, mas e se no seu mundo perfeito digamos que seus argumentos convençam, e todos os policiais decidissem assim de hoje para amanhã, pedir demissão, como seria ? e digamos mais, se a carreira policial não atrair as pessoas e estes policiais não forem substituídos, como ficaríamos ? seria o mesmo caos visto em pernambuco e na bahia, e não seria pela falta de polícia, seria pela natureza do ser humano, pois a maioria das pessoas que cometeram delitos em pernambuco e na bahia são pessoas comuns, não marginais e bandidos, são apenas pessoas expondo seus instintos animais … tens a solução para estes problemas ? seja candidato nas próximas eleições, não precisa ser para presidente ou governador, pode ser pra deputado mesmo, mostre suas soluções, o brasil precisa delas …

  13. “… mas ninguém o obrigou a entrar na profissão. Ele não convocado e forçado a exercê-la. Pelo contrário, escolheu-a livremente…”

    PRONTO!
    Todos nós, trabalhadores, sabemos quanto iremos receber de salário antes de entrarmos no emprego! A ser considerado plausível o ponto de vista do Santayana, os patrões não precisam dar reposição salarial, nem empregado nenhum tem direito a greve.
    Ou melhor, não tem nenhum direito: Como ele disse, não gostou da profissão, nem do salário, CAIA FORA, peça demissão, pois você não está na empresa obrigado!

    PS: Caro Assis, os revoltadas já foram, sorrateiramente, desarmados!

  14. Conheço pessoas que só estudaram até o segundo primário bem mais arejadas e com muito mais capacidade de captar a realidade que Santayana, que também só estudou até a segunda série.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *