A cidadania e o projeto de deixar de ser massa e passar a ser povo

j

Ilustração do Duke (O Tempo)

Leonardo Boff
O Tempo

Entendemos por cidadania o processo histórico-social que capacita a massa humana a forjar condições de consciência, de organização e de elaboração de um projeto no sentido de deixar de ser massa e de passar a ser povo. O grande desafio histórico é certamente este: como fazer das massas anônimas, deserdadas e manipuláveis, um povo brasileiro de cidadãos conscientes e organizados. E como situar-se hoje diante do projeto dos golpistas de 2016? Vejo seis dimensões de uma cidadania plena.

1) A dimensão econômico-produtiva: a pobreza material e política é produzida e cultivada pelas oligarquias, pois assim podem explorar melhor as massas. Isso é profundamente injusto. O pobre que não tiver consciência das causas de sua pobreza pela exploração não terá condições de realizar sua emancipação.

2) A dimensão político-participativa: se as pessoas não lutarem por sua autonomia e participação social, nunca serão cidadãos plenos.

3) A dimensão popular: o tipo de cidadania vigente é de corte liberal-burguês, por isso inclui os que têm uma inserção no sistema produtivo e marginaliza os demais. É uma cidadania reduzida. Não se reconhece ainda o caráter incondicional dos direitos. A construção da cidadania deve começar lá embaixo e estar aberta a todos. Ela já é exercida nos inúmeros movimentos sociais e associações comunitárias nas quais os excluídos constroem um novo tipo de cidadania.

4) A dimensão de concidadania: a cidadania não define apenas a posição do cidadão face ao Estado, como sujeito de direitos. A concidadania define o cidadão face a outro cidadão pela solidariedade e pela cooperação, como foi mostrado na Campanha contra a Fome, a Miséria e em favor da Vida, herança imorredoura de Betinho.

5) A cidadania ecológica: cada cidadão tem o direito de gozar de qualidade de vida. Isso só será possível se houver uma relação de cuidado e de respeito com a natureza. E se mostra pelo cuidado com o ar, as águas, os solos. Cada cidadão deve se conscientizar para garantir um futuro à Casa Comum e deixá-la habitável para as gerações futuras.

6) A cidadania terrenal: a concidadania se abre hoje à dimensão planetária, incorporando cuidados com a única Casa Comum e com bens e serviços limitados. Importa viver os vários erres do pensamento ecológico: reduzir, reusar, reciclar, rearborizar, rejeitar a propaganda enganosa, respeitar todos os seres etc.

PROJETOS ANTAGÔNICOS – Após o golpe jurídico-parlamentar de 2016, a cidadania é desafiada a confrontar-se com dois projetos antagônicos, disputando a hegemonia. O primeiro é o projeto dos endinheirados, articulados com as corporações transnacionais, que querem um Brasil menor, de no máximo 120 milhões de pessoas, pois assim acreditam que daria para administrá-lo sem preocupações.

O outro projeto quer construir um Brasil para todos, pujante, autônomo e soberano face às pressões das potências militaristas, que visam estabelecer um império e viver da rapinagem das riquezas de outros países. Estes se associam com as elites nacionais, que estão por trás do golpe de 2016.

FORÇAS DESIGUAIS – A correlação de forças é muito desigual e corre em favor das oligarquias. Mas estas não têm nada a oferecer para os milhões de brasileiros, especialmente para os pobres, senão mais empobrecimento. Essas elites não são portadoras de esperança e, por isso, estão condenadas a viver sob o medo permanente de que, um dia, a situação possa se reverter e acabar com sua opulência e privilégio. Esse dia chegará.

O futuro pertence especialmente aos humilhados e ofendidos de nossa história, que herdarão as bondades que a Mãe Terra Brasil reservou a todos. Valeram a pena sua resistência, a indignação e a coragem de mudar em direção a um Brasil do qual possamos nos orgulhar.

14 thoughts on “A cidadania e o projeto de deixar de ser massa e passar a ser povo

  1. O padre não consegue escrever vinte palavras sem dizer uma idiotice. Ele já deveria saber que o Brasil só vai mudar quando o PT for extinto. Enquanto o padre que gosta de mordomia continuar escrevendo as suas asneiras e tiver massa de manobra para acreditar em tamanhas sandices, a mudança será apenas um sonho. Talvez o padre deveria ser preso para que aprendesse a diferença entre falar e trabalhar.

      • Caro Lucas, PT.PMDB,PSDB,PP e outros penduricalhos, são farinha do mesmo saco de podridão. O Boff, é o “Bofe”. Lula e o PT, traíram o trabalhador, tiveram a “massa” a apoiar os governos PT, o PT deram continuidade aos governos do FHC-PSDB, e criaram as quadrilhas hediondas com Sede em Brasília, que, resultou: PMDB-Temer, criminoso, traidor da Pátria, que transformou o Brasil em grande senzala, com 220 milhões de escravos, a enriquecer a corja, A corja do congresso, está remendando ainda mais a chamada constituição, em defesa de seus crimes. A Constituição colcha de retalhos é o escudo dos canalhas, cujo resultado é a podridão nos 3 poderes. Boff, como frade, estás traindo Francisco , que criou a “Ordem”, pregando a “favor” da “obra má do PT-Lula, como símbolos da traição. Tiradentes, deu sua vida, por uma Pátria Soberana, Silvério dos Reis, não traiu o Brasil, honrou sua Pátria, como Coronel de sua Pátria: Portugal, portanto nossa história, tem fatos não verdadeiros, que os Historiadores, refaçam nossa História. Em meus 88 anos, nunca vi tanta podridão administrativa pública, bandidos da caneta, que destroem às Famílias. Pós Jesus Cristo, com sua Doutrina de AMOR Fraterno e a Deus, os falsos profetas, estão aí, como instrumentos das trevas, a enganar milhões, e o Mestre nos deixou o alerta, com sua Parábola: “A Cada um segundo suas obras” e “Pagará até o último ceitil”, Leis Divinas, cujo Tribunal é a Consciência, e nos apresentou um DEUS-PAI em seu Código da Vida: O Evangelho, a BOA NOVA.
        Roguemos a Deus Pai, pela humanidade desgarrada, e pelo nosso Brasil, com uma Natureza sem igual, para nosso caminhar, como filhos pródigos, retornar ao Mundo da Luz Divina: DEUS.
        “Orai e vigiai” Jesus, vigiar nossas obras. por elas, seremos julgados.
        Caro Boff, irmão em Deus, que Deus, em sua Misericórdia, te abençoe, ainda dá tempo,de começar um novo futuro, do Mundo só levamos: o BEM, o MAL, e o BEM QUE DEIXAMOS DE FAZER, até a ferramenta de nossas Almas, deixamos para o banquete dos vermes.
        Que Deus nos ajude.

  2. “O outro projeto quer construir um Brasil para todos, pujante, autônomo e soberano…” O único Projeto no front, nesse sentido, que se tem notícia neste país, ainda que apenas pela Internet, é o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, que veio para fazer o contraponto a tudo isso que aí está há 127 anos, de modo que não é de esquerda, nem de direta e nem de centro, mas, isto sim, da consecução do sucesso pleno do bem comum. Será que é desse Projeto que o Frei e está falando, ou ele apenas discursa com sinais trocados ?

  3. Leonardo Boff, quando falou em massa de manobra, deve ter se referido ao pobre e ao ignorante politico, será, que ele se referiu ao Lula ( PT ).

  4. Quando eu era guri, frequentava a igreja e fazia a catequese, aprendi que religião era para salvar a alma e também a ponte para chegar a Deus.
    Hoje parece que não é mais assim. A igreja católica e também as evangélicas, passaram a dar total valor a materialidade, a ponto de se transformarem em entidades políticas.
    Chegaram a conclusão que Deus não existe, o céu é miragem e o verdadeiro paraíso é mesmo aqui na terra? Perderam a verdadeira finalidade.
    O papa argentino se transformou em camelô do marxismo, anda pelo mundo e também no vaticano, pregando o socialismo. A salvação da alma não conta mais? O terceiro milênio parece ser o fim das religiosidades.

  5. Os anais da história políticossocial regristra raríssimos exemplos de sociedades, as quais chegaram à tamanha anomia, e que conseguiram se reestruturar com bafos, jactâncias, histrionismos etc. M. Gandhi foi caso mui especial dalguém que conseguiu mobilizar seu povo, resultando num resgate sem derramamento de sangue.
    Para alguns historiadores, Gandhi teria costurado um acordo com o governo britânico, a fim de que aquele método covarde de rechaçar um invasor esclavagista, passasse a influenciar outras colônias encabrestadas pelos ingleses.
    A luta sangrenta, ou presúria propriamente dita, tem a virtude de expurgar as ervas daninhas. Ademais, tudo que é granjeado, obtido a duras penas, tende a ser supervalorizado. Atmosfera beligerante, caos institucional, forças armadas com soldo depreciado e mal apetrechadas. Mas pelas reação à ditadura militar iniciada em 1964, já dá pra perceber que o brasileiro é frouxo, como teria falado um dia, Ernesto Che Guevara. Ora, se não somos aguerridos, na luta por uma causa nobre, o que tal, por autossugestão, concebermos que o Palácio do Planalto fosse um caixa eletrônico, e que a única SAÍDA para o Brasil fosse uma SAIDINHA de banco?

  6. Típica vigarice intelectual-politica!

    Antes de mais nada se esquece que quem colocou os golpistas no poder foram eles mesmos(os petralhas) . O ex-prefeito de Porto Alegre o bigodudo Olivio Dutra(petralha também) definiu muito bem o cumpliciamento petralha -partidos fisiológicos(principalmente o PMDB): Quem com os porcos se junta, também se chafurda na lama! Como era de se esperar, até mesmo porque colocou uma idiota no poder, acabaram tomando uma bela de uma rasteira,ou como queiram chamar golpe juridico-parlamentar. Isso só acontece com incompetentes-arrogantes que não sabem fazer politica, em suma precisa mesmo ser muito ruim para ser derrubado do poder.
    Indo além, vamos apresentar mais uma contradição: Se os “capitalistas-burgueses-opressores” querem limitar a população brasileira a 120 milhões na verdade teriam feito um grande beneficio a Patria, nossa qualidade de vida seria bem melhor. Na verdade temos sim que limitar a procriação de miseráveis, mas isso se faz sem nenhuma violencia, muito pelo contrário, quando as pessoas se conscientizam elas passam naturalmente a evitar o nascimento de crianças não desejadas, só com controles naturais, sem aborto nenhum. Talvez num futuro que espero que não esteja distante, os governos darão incentivos fiscais e materiais para que as pessoas tenham mais crianças, quando isso acontecer com certeza teremos um país bem melhor, pois as pessoas só terão os filhos que desejarem ter e ainda terão incentivos para isso.
    Mas o que esses esquerdopatas desejam em seus projetos criminosos de poder é uma enorme massa de miseráveis famintos e totalmente dependentes de esmolas governamentais. Como bem disse a esquerdopata Marilena Chauí eles ODEIAM classe média, principalmente classe média que não se deixa enganar por suas ações demagógicas.
    E finalmente é muito bom que se publique o que eles escrevem, pois podemos facilmente destruir suas argumentações tacanhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *