A Comissão da Verdade e as vítimas da ditadura de Getúlio Vargas

José Carlos Werneck

Seria, também, muito oportuno que a Comissão da Verdade desnudasse por completo e trouxesse à tona, para conhecimento da população brasileira,notadamente às novas gerações, toda a imensa série de atrocidades cometidas durante a mais perversa e violenta ditadura vivida pelo País, que foi a de Getúlio Vargas.

Isso se faz necessário para restabelecer a verdade perante a História do Brasil, daquele triste período em que o País viveu sob o jugo da mais cruel e sanguinária ditadura, que cometeu muitas atrocidades contra os que ousavam criticar o regime e o ditador que detinha  poderes imperiais para prender, torturar e matar seus opositores.

Os crimes cometidos por sua Polícia, chefiada por Felinto Müller, são magnificamente narradas no livro “Falta alguém em Nuremberg”, de autoria do jornalista David Nasser. Quando a era Vargas acabou em 1946, nenhuma de suas vítimas recebeu “bolsa-ditadura”, nem indenizações milionárias. Ficou por “isso mesmo”, o que foi erradíssimo.

ESTADISTA

Ninguém falou em mudar o nome dos logradouros que levam o nome de Getúlio Vargas, aliás, o que é correto, pois aquele período, embora totalitário e perverso, pertence à História. Getúlio ditador e Getúlio presidente, não obstante seus inúmeros erros, foi um dos poucos Estadistas que o Brasil teve.

Antes dele o Brasil não existia como Estado, na concepção correta da palavra. A ele devemos as inúmeras conquistas do trabalhador brasileiro, que antes era explorado pela “elite”dominante. Getúlio Vargas fez muito pelo Brasil e pelos brasileiros. Nada disso, contudo, o absolve de ter sido um Ditador, na mais completa acepção da palavra.

Getúlio, até como presidente eleito, nunca deixou de ser um Governante totalitário. Isso fazia parte de sua personalidade.

Seus acertos e seus erros são capítulos da História do Brasil. Querer mudar o nome da Ponte Costa e Silva ou da Avenida Getúlio Vargas é ridículo e não muda a História!

Sou plenamente favorável a que as vítimas vivas das ditaduras,ou na falta delas, seus herdeiros sejam indenizados. Mas que sejam indenizados os que foram injustiçados por todas as ditaduras!

Não existem ditaduras boazinhas nem ditadores bonzinhos, sejam de direita ou de esquerda, sejam civis ou militares. Não existe saída fora da democracia!

11 thoughts on “A Comissão da Verdade e as vítimas da ditadura de Getúlio Vargas

  1. Caro José Werneck,

    Aproveitando a disposição do Executivo em formar comissões, deveriam sugerir outra para apurar como o país chegou a 50.000 homicídios e 50.000 estupros anuais. Por trás dessa matança deve existir a responsabilidade de algum grupo político, seja por ação, seja por omissão. Antes que façamos parte desses números.

    Abraços.

  2. Vamos incluir também nesta comissão a investigação sobre a morte do jornalista Apulcro de Castro, editor do jornal O Corsário, assassinado a facadas e a tiros,em 1883, dentro do prédio da polícia, por ter criticado o comportamento de oficiais do Regimento de Cavalaria. 11 oficiais foram responsáveis pelo assassinato. Entre eles, Moreira Cesar, aquele que foi decapitado por Antonio Conselheiro, em Canudos, na Bahia.

  3. Por que não investigar também os crimes da Rainha Maria I, a louca, que mandou o Tiradentes para a forca?
    Investigar também os crimes do Napoleão, do Herodes(pai e filho), de nabucodonosor, do Nero e todos os imperadores romanos e todos os fascinoras da História.

  4. Werneck,

    Interessante seu texto, mas o Gegê se salva, pois no tempo dele não havia democracia em lugar nenhum. Na Alemanha, Hitler; na França, Petain entreguista; na Espanha, Franco; em Portugal, Salazar. Nos EUA, recessão até o final da segunda guerra, com alto índice de banditismo. No Japão, uma aristocracia alienada de tudo…

    Quanto às indenizações, nem ele, GV, propôs e nem os civis demandaram isso. Naquele tempo era diferente, não havia uma cooptação desenfreada como hoje, embora os torturados merecessem indenizações (jamais benefícios continuados como hoje). Antigamente arcava-se com a consequências de seus atos, por mais que isso hoje soe como valentia.

    Sem GV o Brasil estaria muito mais atrasado. E ele ainda trouxe Juscelino e Jango, e contra o que ele significava vieram os milicos e outros oportunistas. GV marcou o Brasil por muito tempo ainda depois de sua morte. Quando vejo um ex-sindicalista malandro e cafajeste querendo se comparar com GV em importância, convenço mais ainda de que é um cafajeste.

  5. Marcos Jorge, perfeito o seu comentário. Querer comparar a ditadura
    de Getúlio Vargas, é querer suavizar a ditadura de l964, totalmente
    diferente na forma e na finalidade. As forças reacionárias não queriam
    o progresso do Brasil, nem os direitos dos trabalhadores. A elite brasileira,
    nunca se conformou com nacionalismo de Getúlio Vargas, tendo como
    representante mor o Carlos Lacerda que em seus discursos expelia ódio,
    e assim consegui levar Getúlio ao suicídio.

  6. Sr. José Carlos Werneck.
    Muito bom o seu artigo, uma breve retrospectiva histórica da ditadura à época do Sr. Getúlio Vargas, pela ótica da Comissão da Verdade, relembrando que nos anos 50, ela também existiu e, como em todas as ditaduras, com repressão aos que a contestavam.
    Aliás, vale a pena uma visita ao site Wikepédia e conhecer a história de Getúlio Vargas em todos tempos : em que foi presidente-ditador, 1937-1945 e presidente eleito 1951-1954.
    Me permito a duas transcrições do artigo:
    ” Antes dele o Brasil não existia como Estado, na concepção correta da palavra.
    A ele devemos as inúmeras conquistas do trabalhador brasileiro, que antes era explorado pela “elite” dominante. Getúlio Vargas fez muito pelo Brasil e pelos brasileiros. Nada disso, contudo, o absolve de ter sido um Ditador, na mais completa acepção da palavra.”
    O “fecho” do artigo, igualmente, merece ser reproduzido:
    “Não existem ditaduras boazinhas nem ditadores bonzinhos, sejam de direita ou de esquerda, sejam civis ou militares. Não existe saída fora da democracia”.

    • Acontece que a democracia não existe. Se existe, com certeza está bem longe do Brasil. Ou o senhor acha que os Políticos que se encontram no Poder se preocupam em administrar “pelo povo e para o povo”? Para quem a democracia é boa? Para o povo que não é! Democracia? É um instituto FALIDO! Que sejam inventados outros. Pois, esse não deu certo!

  7. Werneck é um craque, e merece todo respeito pelo que escreveu. Sei que é muito dificil sermos imparciais. Existem exageros exagerados, exageros, desvios psicológicos, os que nada entendem de nossa história e os linchadores de mortos. Esses coitados não tem cura. Werneck tem autoridade porque ainda pegou o final do governo Vargas. Getúlio é combatido até no túmulo muito mais pelo que não fez do que pelo que fez..

  8. A ditadura de Getulio o Hipócrita “Estado novo” não importa aos petistas e comunas o que importa é atacar a Instituição mais honarada do Brasil , logicamente o Exército , enquanto isso Getulio , com seu populismo , violência e controle de massa é um falso deus.

  9. Passa menos pano pro vargas, não vejo falarem assim do golpe de 64, embora tenha sido igualmente cruel e abominável.
    A questão é que vcs passam pano pra as ditaduras que tem seus ideais nelas, é sempre assim.
    Só pra lembrar que vargas era um fascista e isso mostra muito do que vcs esquerdistas são

    FASCISTAS ENRUSTIDOS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *