A convenção do Gabeira explodiu, o PMDB não confia em ninguém, muito menos no PT. O PSDB quis vetar Marcelo Cerqueira, cabralzinho faz força contra Cesar Maia senador

No Brasil inteiro as “alianças” vão esfacelando os partidos, que se mostram sempre mais “partidos” do que inteiros. Se a legislação obrigasse os 29 partidos a terem candidatos a presidente, as coisas ficariam bem mais fáceis e consolidadas.

E não seria intervenção, pois esses partidos (pelo menos 17 deles sem nenhuma representação) vivem de recursos da União. Recebem mais ou menos dois milhões de subvenção (?) por ano, além de participarem intensamente do dito “horário gratuito”. Que é pago e muito bem pago às rádios e televisões.

A luta acontece no Brasil inteiro, mas vou situá-la no Rio capital e Estado do Rio, pois aqui o desentendimento é total. Também, não existe um só estado ou município onde os personagens sejam mais comprometidos e acusados, no mínimo, no mínimo, de ENRIQUECIMENTO ILÍCITO, IRREGULARIDADES administrativas, e até EXPLORAÇÃO DE TRABALHO ESCRAVO (Picciani).

Por uma vaga no Senado ou uma vice, briga-se de casa em casa, como aconteceu em 1943 em Stalingrado, a mais feroz batalha, que praticamente decidiu a Segunda Guerra Mundial. (Junto com as Filipinas).

Gabeira, que depois da boa votação para prefeito, despontou com forte candidato a governador, “trabalha intensamente” para cabralzinho. E este usa de todos os poderes para excluir o maior adversário, garotinho, que apesar do que falam, já disse, “não disputarei como candidato sub-judice”.
E no ritmo em que vão as coisas, garotinho ficará sub-judice muito tempo.

Tendo obtido sucesso completo no veto a garotinho, cabralzinho agora tenta tornar INELEGÍVEL o candidato a senador Cesar Maia. (Nenhum apreço por ele, combati todos os seus mandatos, aqui é apenas o analista).

Cabralzinho usa a Cãmara de Vereadores, para eliminar Cesar Maia. Como a legislação impede candidatura de quem não teve contas aprovadas, cabralzinho, (com apoio de eduardinho paes) trabalha para que as contas do ex-prefeito não sejam aceitas.

A luta para o Senado é insensata, sem escrúpulos e sem caráter, e duvido que alguém tenha condições de dizer quais serão os dois senadores eleitos. Eu mesmo que conheço muito bem a política suja e nada limpa do Rio, não tenho a menor condição de tentar selecionar os dois que irão para Brasília.

Vejam só os “senatoriáveis”, não quero nem colocar seus pontos negativos (em alguns são mais do que visíveis), apenas mostrar como se situam, onde irão buscar votos, as alianças que valem, as que representam apenas traição.

Picciani, Crivella, Lindberg Farias, Marcelo Cerqueira, Cesar Maia, e outros que surgirão, sem chance, mas se colocando na situação de “prestadores de serviços” para cabralzinho.

O ainda governador (PMDB) tem acordo com Lindberg e Picciani, mas se sabe que pedirá votos apenas para o presidente da Alerj. (Se este perdesse, dupla satisfação. Ficaria fora da vida pública, poderia cuidar das vastas fazendas que ganhou nobremente na vida pública).

Marcelo Cerqueira, que já presidiu o Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), foi duas vezes candidato a deputado, uma vez com 150 mil votos e outra com mais de 100 mil, não se elegeu por causado do absurdo “quociente eleitoral”.

Na sexta-feira contei aqui: a pedido do ex-governador Marcello Alencar, o presidente do PPS, Conte Bitencourt, procurou Cerqueira para que desistisse do Senado. Revelei que Cerqueira não desistiria, não desistiu.

Não sei que votação terá Cesar Maia, se as manobras de cabralzinho e eduardinho contra ele, caírem no mar. Dominando a prefeitura do Rio da forma que todos conhecem, quem votará nele? Crivella tem votos próprios, embora depois de eleito senador tenha perdido duas vezes para prefeito e uma vez para governador.

E ainda existe o fator Lula. Publicamente apoia Crivella, fala a seu favor. Apoiou eduardinho para prefeito a pedido de cabralzinho. Este garante que terá a recomendação total do presidente, mas o que o governador fala, não se escreve. (Royalties para FHC).

***

PS – E também existe a questão da vice. No PMDB garantem que o candidato é o Pezão, que esteve no cargo mais tempo do que o próprio efetivo, que ficou viajando, não deixa uma só realização.

PS2 – Gabeira desde o início já havia escolhido como vice, o ex-deputado Marcio Fortes. Este há tanto tempo não se elege, que ninguém se lembra mais dele. Mas, riquíssimo, é o “fornecedor” de recursos para a campanha. Mal comparando, Marcio é o Temer da campanha presidencial.

PS3 – A propósito da vice, José Sarney fez a mais despropositada afirmação: “Vice não tem a menor importância, não contribui com coisa alguma para a vitória”.

PS4 – Incrível para um homem que GANHOU 5 anos de presidente apenas por ter sido candidato a vice. O que se diz no PMDB: o presidente do Senado fez essa declaração, porque Temer não era nem é o candidato dele a vice.

PS5 – Imaginem quem era o candidato a vice do presidente do Senado, José Sarney?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *