A crise se agrava, a grande mdia comea a se posicionar, mas a Bolsa sobe 0,55%

Resultado de imagem para temer charges

Charge do Frank (Charge Online)

Carlos Newton

Entramos na reta final da disputa do poder, a crise poltica gravssima, mas ningum est nem a, com a Bolsa de Valores fechando a quarta-feira em alta de 0,55% e o ndice Bovespa se firmando acima dos 62 mil pontos, nada mal. Nota-se claramente que a economia descolou do campo poltico, onde as fichas j esto sendo colocadas na mesa para a rodada de fogo, enquanto a grande mdia comea a se posicionar para a batalha final. E nesta guerra, em que realmente vale tudo, o instrumento mais importante a mdia impressa e seus sites, que irradiam as informaes para a grande massa. Pode-se dizer, sem medo de errar, que a disputa do poder ainda travada nos grandes jornais e nas revistas de opinio, a televiso fica em segundo plano, vem a reboque.

Entre os grandes jornais de circulao nacional e que dispem do poder irradiador de suas agncias de notcias, O Globo est claramente contra o presidente da Repblica, enquanto o Estado e a Folha adotam uma linha mais defensiva em favor da permanncia do atual governo, embora seus articulistas tenham total autonomia para atacar Michel Temer frontalmente. Nas revistas de opinio, Veja e poca batem pesado no presidente, enquanto a Isto est nitidamente a favor.

SURGEM EXCESSOS – Nessa nsia de atacar ou defender, sempre h excessos, como o recente ataque da Isto ao procurador-geral da Repblica, Rodrigo Janot, numa reportagem excedeu os limites da razoabilidade. A mesma sofreguido foi demonstrada nesta quarta-feira por O Globo, ao publicar em seu site, no alto da pgina, a matria Termmetro da CCJ: apenas 4 declaram voto pr-Temer, quando o ttulo mais apropriado deveria registrar que, em sua esmagadora maioria, os deputados da Comisso de Constituio e Justia ainda no sabem se votaro a favor ou contra Temer, conforme Mrio Assis Causanilhas oportunamente assinalou em artigo aqui na Tribuna da Internet.

Da mesma forma, o Estado fez um editorial lamentvel, ao dizer que Janot no poderia usar como usar como prova a foto em Acio Neves aparece em reunio com um grupo de senadores (Jereissati, Serra, Anastasia, entre outros). Acontece que a fotografia virou prova porque Acio cometeu a burrice de post-la nas redes sociais e escrever na legenda que estava discutindo as reformas e a posio do PSDB. Mas o Estado, no editorial, esqueceu esse fato concreto e indiscutvel.

VALE TUDO Como se v, realmente vale tudo nessa guerra do afastamento do presidente Temer, que se trava simultaneamente no Judicirio e no Congresso, mas tem na grande mdia seu principal campo de batalha.

O mais importante de tudo isso est citado no incio do artigo o salutar descolamento da economia, que est evoluindo como se a crise poltica no interferisse nos negcios, uma circunstncia a demonstrar que o pas maior do que a crise, no importa o presidente que por acaso seja locatrio do Planalto.

Foi exatamente o que aconteceu com a Blgica, que recentemente ficou quase dois anos sem governante, ningum notou, vida que segue, como dizia o genial Joo Saldanha, que sempre foi comunista, mas ningum jamais o acusou de no ser democrata.

###
PS
Essa situao inusitada funciona como uma lio aos polticos, mostrando que o poder significa tudo ou nada. No adianta estar no poder, como Temer, e no ter a menor importncia, pois quem manda no pas o ministro Henrique Meirelles, que at j avisou que, se Temer cair, ele continuar. O mesmo recado tambm deram Ilan Goldfajn, presidente do Banco Central, e Pedro Parente, da Petrobras. Ser que combinaram isso entre eles? O assunto instigante e vamos voltar a ele. (C.N.)

4 thoughts on “A crise se agrava, a grande mdia comea a se posicionar, mas a Bolsa sobe 0,55%

  1. ?Temer esgota-se – e o “mercado” trama algo pior

    Paulo Kliass Diante de naufrgio do governo, economistas como Marcos Lisboa e instituies com o Insper pedem o desmonte total do setor pblico.

    O Brasil parece naufragar nas guas revoltas de um oceano mal-humorado. Esse cenrio ambientado sob uma tempestade violenta mesmo muito dramtico, mas a verdade que tal fenmeno tem muito pouco ou quase nada de natural em sua manifestao.

    Ocorre que todo esse quadro no fruto de mero acaso probabilstico ou da vontade divina de impor algum castigo aos habitantes destas terras. Por mais incrvel que possa parecer, a opo pelo cardpio amargo resultado de uma deciso de natureza eminentemente poltica que foi adotada pelos governantes do pas. importante reconhecer que no se trata de fenmeno genuinamente tupiniquim, uma vez que o mundo est recheado de naes que trilharam caminho semelhante. E esto todas afundando no pntano da crise e do retrocesso.

    O modelo que d fundamento a esse tipo de proposta para a economia atende por diversos nomes e endereos. Pode ser identificado como liberalismo hayekiano, interpretao neo-clssica, ortodoxia monetarista, neoliberalismo ou que-tais. O essencial a se reter que todos mantm uma crtica cida a qualquer tipo de interveno do Estado na economia e se vangloriam das virtudes absolutas das livres foras de mercado para se atingir o equilbrio redentor. Tudo se resumiria resultante da composio harmnica da ao dos agentes da oferta e da demanda. E o produto desse processo ser necessariamente o ponto de maior eficincia da curva observada.

    Assim, o austericdio que vivemos h um bom tempo no obra do acaso. Trata-se de uma inteno deliberada de promover a recesso e o desemprego para que um novo ponto de timo seja atingido, como se estivessem os agentes polticos e os formuladores de polticas pblicas diante de uma telinha de computador, jogando um game como to bem gostam de dar os nomes s coisas na lngua dos norte-americanos.

    Do site Controvrsia

  2. Excelente a anlise do Carlos Newton. Incluiria tambm a medida tomada pelo PRG, Rodrigo Janot em fatiar a denncia em trs tentativas:.enviar uma, dependendo da aprovao da cmara, enviar outra e mais outra, com o firme propsito de desgastar o presidente da repblica e na nsia da possibilidade de uma das denncias serem aprovadas. Entendo que o correto,, sem forar a barra, seria enviar uma denncia com todos os fatos, que ocorreram na gravao do Joesley com o Temer, evitando o prolongamento da crise que assola o pas. Isso seria o mais lgico

  3. Interessante Busco sempre aqui na Tribuna informaes q substanciem o conhecimento. Acaso Acio teve o mandato cassado? se no qual crime cometeu ao se reunir c companheiros d partido para discutir assuntos do “intersse” – diria brizola , hehe – do Brasil?

Deixe um comentário para LUS HIPLITO BORGES Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.