A decisão de Moraes teve como base os argumentos citados em artigo na Tribuna da Internet

Após indicação para o STF, Moraes inicia corpo a corpo no Senado ...

Decisão de Moraes mostra que Bolsonaro não tem mais salvação

Jorge Béja

Para entender o imbróglio, é preciso ler e analisar o inteiro teor da decisão do ministro Alexandre de Moraes, nele contendo o relatório da petição do Mandado de Segurança Coletivo do PDT, em que o partido até citou a formação de um “rendez-vous”, caso o delegado Alexandre Ramagem fosse empossado na direção da Polícia Federal.

Na decisão, ficamos conhecendo os fundamentos que o ministro-relator apresentou para conceder a liminar no Mandado de Segurança Coletivo, determinando, inclusive (e ineditamente), face à urgência, que fosse comunicada sua decisão através de “whatsapp”.

CONFORME PUBLICAMOS – Os fundamentos da decisão de Moraes estão muito próximos, para não dizer totalmente, à sustentação jurídica do nosso artigo aqui publicado na Tribuna da Internet, sob o título “Nem é preciso inquérito. O que Moro disse de manhã, Bolsonaro confirmou de tarde”.

No Mandado de Segurança que PDT impetrou no Supremo, era necessário comprovar todo o alegado desde logo. Porque nesse tipo de ação mandamental não cabe produção de prova no seu curso, nem audiência alguma é realizada. A prova precisa ser pré-constituída e anexada já com a petição inicial da ação. E foi o que aconteceu.

A petição do Mandado de Segurança nada mais fez do que reproduzir o que disse Moro de manhã e o que disse Bolsonaro à tarde, ou seja, o próprio presidente confirmou tudo o que Moro disse. Esta é a prova, a completa comprovação pré-constituída que garantiu o deferimento da liminar.

ARTIGO DE SÁBADO – Os argumentos da decisão do ministro-relator Alexandre de Moraes foram exatamente o que sustentamos no artigo publicado no último sábado.

Na ocasião, defendemos que nem era preciso haver inquérito, porque tudo já estava comprovado. Ao reunir o Ministério e fazer o patético pronunciamento à Nação, o próprio Bolsonaro confirmou tudo o que Moro disse e denunciou em sua despedida do cargo de ministro.

Qualquer dúvida, basta conferir o link com a íntegra da decisão do ministro. Clique aqui.

31 thoughts on “A decisão de Moraes teve como base os argumentos citados em artigo na Tribuna da Internet

  1. Como. TI mudou. Ante dava a maior força para condenações sem prova. Achava super normal Lula não disputar a eleição. Ataques gratuitos à Dilma eram frequentes, e agora não gosta do resultado que ajudou criar.

  2. Segundo o maior especialista em advocacia criminal do Brasil, Roberto Delmanto Jr. , toda a atribuição desse caso cabe ao procurador geral da justiça Augusto Aras, que foi o causou a questão para que o STF adotasse e que terá somente a função inquiridora, mas a conclusão final é da competência legal do procurador.

  3. Essa intimidade do delegadp Ramagem com a familia Bolsonaro é tão grande que como se diz em lingugem popular o sujeito anda de cuecas nas residencias dos Bolsonaros,mija com a porta aberta no Palacio do Alvorada!

    Prá azar deles, parece que o STF não está gostando muito dessa estória, não vão deixar a batata assar pro lado deles, as batatas dos Bolsonaros é que, ao que tudo indica, vão assar muito antes das batatas dos seus desafetos.

  4. O Bozo já revogou a nomeação e devolveu o cara para ABIN.

    Coisa linda. Essa foi, verdadeiramente, “A volta de quem não foi”.

    Segura a peroba, bozo, que agora ela vai entrar sem dó. Vamos ver se [e macho mesmo.

    Se prepara para voltar a frequentar Rio das Pedras, que lá que é seu lugar. Seu e de seus filhos.

    • É o fim dos tempos, todos os apadrinhados do STF, incluindo esse Alexandre de Moraes, tem íntima relação com quem os indicou e, em nenhum caso, as nomeações foram barradas. STF está deliberando em assunto estranho as suas prerrogativas, por isso o apoio a Bolsonaro não para de crescer.

  5. Lionço Ramos Ferreira
    Oh, Werneck … de minha parte, faz tempo que tenho comentado, exaustivamente, sobre o que cabe ao MP e ao PGR … me parece que o ilustre Oigres Martinelli até se sentiu ofendido por mim ( e humildemente peço a ele mil desculpas).

    É que exponho o sentimento dos históricos do MDB, dos quais sou um dos remanescentes kkk KKK kkk

    O senhor se lembra da época do FHC, em que 2 Procuradores divergiam do PGR???

    Sds.

    Prezadíssimo Lionço,
    O meu comentário nã foi para você amigo.
    Abraços,
    Werneck

  6. Vocês estão alimentando o monstro autoritário (maioria do Congresso e do STF) a coar um mosquito e nos empurrar um camelo goela abaixo. Esse inquérito sigiloso do STF não vai fazer cessar só as críticas dos bolsonaristas. Talvez os seus nomes, Jorge Béja e Carlos Newton, já estejam arrolados como réus no tal inquérito Fake do STF e vocês nem saibam. A China tão considerada atualmente pelas nossas “autoridades” podem ajudar, com sua expertise, a blindar o Sistema de críticas pela internet, para garantir a democracia kkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *