A desordem é geral: faltam recursos para tudo no país

http://1.bp.blogspot.com/-T30LO48y05M/UYJ55CukhcI/AAAAAAAAAJY/1k7fc7PmyGk/s320/charge-faltoufaltou.jpgPedro do Coutto

Estão faltando recurso para a saúde, educação, para o financiamento de imóveis pela Caixa Econômica, a Pricewaterhouse descobriu falhas no controle da Petrobrás. Todos esses fatos demonstram a existência de uma desordem generalizada, tanto no governo federal quanto no governo do estado do Rio de Janeiro, por exemplo. Reportagem de Gisele Ouchana e Gustavo Schimit, publicada na edição de ontem de O Globo, assinala que dívidas não pagas no montante de 350 milhões pelo Palácio Guanabara causaram a suspensão dos serviços de limpeza, manutenção e fornecimento de insumos aos hospitais do estado.

Na mesma edição, Paula Ferreira e Tiago Jansen revelam que a Universidade Federal Fluminense e o Colégio Pedro II suspenderam o fornecimento de alimentação. Problemas também estão atingindo fortemente a Universidade Federal do Rio de Janeiro. Enquanto isso o ministro da Educação Renato Janine Ribeiro revela que não há recursos do FIES para assegurar a matrícula de 178 mil alunos nas Universidades já no primeiro semestre. E, quanto ao segundo semestre, ele nada pode confirmar, pois necessita da liberação de recursos orçamentários.

O orçamento para 2015 foi finalmente assinado pela presidente Dilma Rousseff, através da Lei 1.315, cujo montante se eleva a 2,9 trilhões de reais, um pouco acima do total da lei de meios de 2014, que foi de 2,6 trilhões. Impressiona que o orçamento para este ano tenha sido sancionado sem a respectiva previsão dos desembolsos em relação ao programa de financiamento do ensino. Mas que fazer? Diante da falta de previsão e provavelmente de provisão o remédio é esperar que seja traçado um rumo mais concreto para o projeto que o próprio governo criou.

TODOS AGUARDANDO…

Os 178 mil alunos terão que aguardar os acontecimentos e os desdobramentos do desafio financeiro que se coloca à frente da mesa tanto do titular da Educação quanto da presidente da República. Aguardar também é o que a Caixa Econômica Federal está informando aos candidatos a financiamento para compra de casa própria, conforme a reportagem de Renan Marra, Toni Sciareta e Eduardo Cucolo, publicada ontem dia 13 na Folha de São Paulo. A Caixa criou uma fila de espera sustentando a existência de problemas decorrentes do fato de os saques nas Cadernetas de Poupança terem superado os depósitos.

A Caixa Econômica afirma não ter suspendido a concessão dos créditos, mas que a interrupção é consequência dos ajustes nas fontes de recurso e nas taxas dos empréstimos. Outro problema, acrescento eu, é reflexo da queda do nível de emprego, e do salário, pois o fundo de garantia também depende da ampliação do mercado de trabalho e da manutenção dos níveis salariais. Voltando à orientação da CEF, a partir de março, acentua a Folha, os pedidos de financiamento são analisados caso a caso.

E A PETROBRÁS?

Acrescentando ao problema geral que está envolvendo o país, Vinicius Sassine e Jailtom de Carvalho,em reportagem de O Globo de ontem, revelam que a Pricewaterhouse alertou o Conselho de Administração da Petrobrás, em reunião realizada a 22 de abril, quando a estatal divulgou o balanço do ano passado, advertindo que ainda existem falhas no sistema de controle da empresa. Auditores identificaram brechas no sistema de fiscalização interna, ressaltando que o ambiente na empresa é “pouco favorável a pessoas que queiram fazer denúncias”.

Os auditores da Pricewaterhouse preveniram que existem ainda focos que não permitem que as ações corretivas operem de maneira efetiva. Como se constata, a desorganização tomou conta do governo federal, do governo do Rio de Janeiro e também do governo do Paraná, pela crise aberta pela violência contra os professores, que levou o governador Beto Richa a ter de afastar Secretários Estaduais e se afirmar vítima dos acontecimentos. Tanto assim que afirmou que ninguém sofreu mais do que ele pelo que sucedeu nas ruas de Curitiba e nas imediações do Palácio Iguaçu. Assim também é demais.

A desorganização e a desordem causada por falta de liderança política e de ação administrativa têm limites. Porém, no Brasil, verifica-se que os limites da incompetência estão sendo ultrapassados. Velozmente.

9 thoughts on “A desordem é geral: faltam recursos para tudo no país

  1. Sim, o Brasil está quebrando! E “quebrando geral”! Fruto de anos e anos de péssima e desonesta administração petista, com também os seus aliados e apaniguados!

    E como se não bastasse, a oposição vem dormindo em berço esplêndido, sem nada fazer. Pelo contrário, vê-se administradores públicos de partidos de oposição fazendo péssimos governos, em Estados e prefeituras.

    O que sobrará deste Brasil ???

  2. Há um erro: não se trata de desordem; pelo contrário, ordem (para róbar, tem até demais). Trata-se mesmo é de robalheira (lembram Dirceu: o PT não róba e não deixa robar…!?), Pois é, robaram o dinheiro todo, por isto, agora, falta tudo.

  3. Prometeram entregar o VLT de
    Cuiabá para a copa 2014 do Brasil.
    Já “consumiu” ( ROUBARAM)
    1,5 bilhões de reais, QUEREM
    MAIS DINHEIRO E ADIARAM A
    ENTREGA PARA a copa 2018 da Russia.

  4. Bom dia,leitores(as):

    Senhor Pedro do Coutto,lembra-te que esta desorde pelos quatros cantos do BRASIL foi (é) simplesmente deliberada (é proposital) para facilitar a destruição de possíveis provas de diversos crimes de LESA PÁTRIA praticados por maus agentes públicos nas três esferas de governos,tais como,Presidente da Republica,Governadores,Prefeitos e desembargadores,juizes,etc…caso á POLÍCIA FEDERAL,O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL E A JUSTIÇA FEDERAL resolvam investiga-los.

    Exemplos não faltam:
    Recentimente o governador do Estado do Paraná Beto Richa ,mudou na MARRA as leis de previdência dos funcionários de educação ,para legitimar os DESVIOS (ROUBO) E SAQUES CRIMINOSOS de dinheiro dos funcionários participantes desse fundo.

  5. Nessa lista de chamada se forem chamados….

    Roubo….Presente!
    Locupletador…..Presente!
    Impunidade…..Presente!
    Escárnio….Presente!
    Prejuízo….Não falta!
    Erário…..Transferido! Mas não se sabe para onde Professora…
    Probidade…..Desistente!
    Corrupção…..Professora!Olha de novo na lista que estou presente desde a confecção ao término do curso.

  6. Pelas informações que temos (por outras que estão em segredo, mas que podemos bem imaginar), não faltam recursos para os países amigos dos nossos atuais dirigentes. O BNDES distribuiu grana a rodo Brasil a fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *