A disputa do Pré-Sal

Mauro Santayana
Hoje em Dia

Os jornais voltam a anunciar que se discute, dentro e fora do governo, o fim da atuação da Petrobras como operadora exclusiva do pré-sal, com fatia mínima de 30%. Alegam, entre outras coisas, seus adversários que seria inviável para a Petrobras continuar a explorar o petróleo do pré-sal com a baixa cotação atual do barril no mercado global, quando a produção oriunda dessa área cresceu 70% em março e se aproxima de 500 mil barris por dia.

Ora, se a Petrobras, que acaba de ganhar (pela terceira vez) o maior prêmio da indústria internacional de exploração de petróleo em águas marinhas, o OTC Distinguished Achievement Award for Companies, Organizations and Institutions, nos EUA, justamente pelo desenvolvimento de tecnologia própria para a extração do óleo do pré-sal em condições extremas de profundidade e pressão, estaria tendo prejuízo na exploração desse óleo, porque as empresas estrangeiras, a quem se quer entregar o negócio, conseguiriam ter lucro como operadoras, se não dispõem da mesma tecnologia?

Se a Petrobras explora petróleo até nos Estados Unidos, em campos como Cascade, Chinook e Hadrian South, onde acaba de descobrir reservas de 700 milhões de barris, em águas territoriais norte-americanas do Golfo do México, porque tem competência para fazer isso, qual é a lógica de abandonar a operação do pré-sal em seu próprio país, onde pode gerar mais empregos e renda com a contratação de serviços e produtos locais, e o petróleo é de melhor qualidade?

UMA TESE FURADA

A falta de sustentação dessa tese não consegue ocultar seus principais objetivos. Se quer aproveitar uma “crise” da qual a empresa sairá em poucos meses (as ações com direito a voto já se valorizaram 60% desde janeiro; o balanço foi apresentado com enormes provisões para perdas por desvios de R$ 6 bilhões, que delatores “premiados”, cuja palavra foi considerada sagrada em outros casos, já negaram que tenham ocorrido; a produção e as vendas estão em franco crescimento) para fazer com que o país recue no regime de partilha de produção, de conteúdo nacional mínimo, e na presença de uma empresa nacional na operação de todos os poços, para promover a entrega da maior reserva de petróleo descoberta neste século para empresas ocidentais, como a Exxon, por exemplo, que acaba de perder, justamente para a Petrobras, o título de maior produtora de petróleo do mundo de capital aberto.

Como ocorreu na década de 1990, se cria um clima de terror para promover a entrega de uma das últimas empresas sob controle nacional ao estrangeiro.

Enquanto isso não for possível, procura-se diminuir sua dimensão e importância, impedindo sua operação na exploração de reservas que são suas, por direito, situadas em uma área que ela descobriu, sozinha, graças ao desenvolvimento de tecnologia própria e inédita e à capacidade de realização da nossa gente.

20 thoughts on “A disputa do Pré-Sal

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Só mesmo rindo muito.

    Depois de abandonar o “manjado” anúncio de descobertas de campos de petroleo no Brasil a petesada faz dos EUA a bola da vez.

    Canalhas enganadores da boa fé da população.

  2. O ridículo santayana cumprindo seu triste papel de propagandista anti-ocidente democrático e capitalista , na esperança de destruí-lo, para que o comunismo governe o planeta. Isto depois de todo um século de fracasso dessa nefasta criação da mente, na qual santayana está definitivamente aprisionado.
    Um caso para a psiquiatria.

  3. E O ENDIVIDAMENTO CARO ARTICULISTA?

    COMO A EMPRESA PODERÁ ENFRENTAR A FALTA DE LIQUIDEZ QUE SERÁ GERADA COM O PAGAMENTO DO SERVIÇO DE SUA DIVIDA? OU SERIA POSSIVEL ROLAR A DIVIDA ? CLARO QUE SIM MAS COM UM PAGAMENTO ABSURDO DE JUROS! A SITUAÇÃO VAI FICANDO INSUSTENTÁVEL!
    A EMPRESA SIMPLESMENTE NÃO TERÁ FOLEGO FINANCEIRO PARA SUPORTAR A ENORME CARGA DE INVESTIMENTOS NECESSÁRIA PARA DAR CONTA DO PRÉ-SAL! AINDA MAIS TENDO QUE ASSUMIR NOMINIMO 30% DE TODO E QUALQUER INVESTIMENTO QUE FOR FEITO NO PRÉ-SAL!
    E TAMBÉM PORQUE A CREDIBILIDADE DA EMPRESA ESTÁ LONGE DE SER RECUPERADA EM FUNÇÃO DE QUE CONTINUA SENDO GERIDA POR PREPOSTOS DOS PETRALHAS E DA ANTA PRESIDANTA QUE FORAM E SÃO OS PRINCIPAIS RESPONSÁVEIS POR SUA DERROCADA!
    NÃO HÁ SAIDA PARA A PETROBRÁS RECUPERAR SUA CAPACIDADE DE INVESTIMENTO ENQUANTO CONTINUAR SENDO GERIDA POR ESSES MARGINAIS PETRALHAS!
    MAIS CEDO OU MAIS TARDE SERÁ NECESSÁRIA UMA NOVA MEGA-CAPITALIZAÇÃO E A ÚNICA FORMA DESSA SER BEM SUCEDIDA É COM UMA PROPOSTA FIRME DE FIM DO CONTROLE ESTATAL DA EMPRESA PARA QUE SEJA POSSIVEL QUE A MESMA VENHA A SER GERIDA POR PROFISSIONAIS COMPETENTES E NÃO PAUS MANDADOS INCOMPETENTES E INCONSEQUENTES CUJO MAIOR EXEMPLO FOI O MARGINAL QUE ATENDE PELO NOME DE SÉRGIO GABRIELLI! E O ATUAL BENDINE(AMIGO DA VAL) IGUALMENTE NÃO INSPIRA A MINIMA CONFIANÇA!
    LOGO SR. MAURO SANTAYANA ESSE PAPINHO PATRIÓTICO NÃO ESTÁ COM NADA! NÃO SERÁ ESSA CONVERSA FIADA QUE FARÁ A PETROBRÁS SE RECUPERAR, MUITO LONGE DISSO!

  4. Santayana omite, convenientemente, que a incapacidade atual da Petrobrás de explorar as novas concessões do pré-sal, nos moldes vigentes, não é por causa dos preços do petróleo, mas pela incapacidade financeira da empresa, consequência da sua descapitalização resultante da interferência do governo na gestão, com fins demagógicos e eleitorais, e da corrupção exacerbada pelo aparelhamento da sua gestão.

  5. Existe muita diferença de EFEITOS numa Economia Nacional, da atuação do Capital Nacional (Privado e Estatal), e do Capital Internacional. Num momento em que uma grande Companhia Mista com Matriz no Brasil, controlada pelo Governo Federal via maioria das Ações Ordinárias (Petrobras SA ), passa por momento de fragilidade, o Capital Internacional PRESSIONA, para AUMENTAR a sua participação no estratégico setor de petróleo/gás.
    O interesse Nacional sempre exige que a participação na Economia Nacional seja a maior possível de Empresas Nacionais (Privadas/Mistas/Estatais) com Matriz no Brasil, como é o caso da Petrobras SA Âncora de toda a Indústria Nacional de petróleo/gás, que responde por +- 13% do PIB (Produto Interno Bruto). Só com Empresas de Matriz no Brasil (Privadas/Mistas/Estatais) é que se cria TECNOLOGIA NACIONAL, a Economia se CAPITALIZA e se pode dar BOM PADRÃO DE VIDA ao POVO.

    • Se vão vender foi porque também quebraram a Caixa.
      Digo há muitos anos, que tendo conseguido quebrar os bancos estatais, se deixassem, quebrariam a Petrobrás também. Conseguiram.

      E a que se deve todo esse desastre ? Ao sistema político, dominado pelos partidos. O PT, além de ladrão é incompetente. Não há economia que aguente essa combinação.

      O Governo Lulla se salvou, porque ele comprou um aviãozinho para ir passear com a gata dele e levar dinheiro para o exterior (por baixo do pano), e com isso “terceirizou” o governo para o Thomáz Bastos e o Meirelles.
      Impedido pela Constituição de continuar e com o restante do bando (diretoria do PT) na cadeia, sobrou a Dilma, diretora de Estatal falida, CRT-RS. Deu no que deu.

  6. O Brasil virou ‘salame’. Ele está sendo vendido fatiado para a China, que além da Petrobras , imitou o jornalismo petista e foi para a Caixa…..
    Inda bem qui nóis não compro u triplex de 47.000,00 no cartão !

  7. Quem é que está impedindo a pobre espoliada Petro a explorar o pré-sal, nas condições que os bandidos governamentais impuseram? Não é ninguém. É a falta de recursos financeiros, sr. Santayana.

  8. Vejam como a Rede Goebbels de Comunicação Petista é interligada…
    ” O domínio fachinsim.com.br está registrado no nome do designer Renato Rojas, que trabalha para a agência Pepper, responsável pela Agência PT de Notícias e que trabalhou nas redes sociais da campanha de Dilma.

    Por Lauro Jardim

    PS.: Foi a Pepper que em 2010 lançou na praça os MAVs para atuarem na campanha do Haddad. Para completar, o Edinho montou , com o nosso dinheiro, uma central de MAVs enorme em Brasília, para tal alugou 2 andares do luxuoso Edifício Varig. Há pouco a Ivana Bentes também colocou uma enorme sdala para os MAVs no Ministério da Cultura, o Capilé e a sua turma da ‘isenta’ Mídia Ninja já foram para lá.

    • O jurista Luiz Edson Fachin, indicado pela presidente Dilma Roussef para ocupar uma das cadeiras no Supremo Tribunal Federal (STF), criou uma página na internet para responder às críticas que estão circulando na internet desde que uma nota técnica do Senado apontou dupla atividade profissional quando ocupou cargo de procurador do Estado no Paraná.

      O Movimento “Fachin Sim”, criado na semana passada, tem usado Twitter, Facebook e até YouTube, além do site, para defender a indicação.

      Fachin deve ser sabatinado nesta terça pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Tem sido criticado por já ter defendido casamento aberto e poligamia.

      O site que defende cegamente Fachin é o http://www.Fachinsim.com.br

      Sabem o que este blog descobriu?

      Quem mantém o site do Fachin é Renato Rojas da Cruz, da Universidade de Brasília, que se jacta por ter trabalhado na última campanha presidencial de Dilma Roussef, quando foi o chefe, segundo ele mesmo explica em seu curriculum, da “equipe de criação de redes sociais”.

  9. Santayana acha que dinheiro dá em árvore, e que ainda sofre multiplicação espontânea. A Petrobras simplesmente não tem mais dinheiro para investir. E sem investimentos não se amplia, tampouco se mantém produção de petróleo.

    Tudo culpa da roubalheira desenfreada petista na Petrobras, da qual Santayana também não se lembra, pois a sua memória é seletiva.

    A venezuelana PDVSA é exemplo clássico do que digo: produz cada vez menos, apesar de estar “sentada” sobre as maiores reservas mundiais de petróleo!

  10. O site da OTC http://www.otcnet.org/Content/OTC-Distinguished-Achievement-Awards-for-Companies-Organizations-and-Institutions só mostra dois premios concedidos à Petrobras: um em 1992 e outro em 2001. Nestes anos não havia ainda a gigantesca roubalheira engendrada pelo PT, a Petrobras ainda tinha alguns dirigentes honestos (nem todos) e técnicos.

    O articulista poderia esclarecer para nós leitores o último leilão do Pré-Sal, em que concorreram apenas “empresas” cujo dono é o governo chines? Quanto os chineses levarão do Pré-Sal? Nós contribuintes fomos vítimas de que tenebrosas transações nesta ocasião? Quem ganhou com o leilão?

  11. Os chineses estão chegando com a visita do primeiro ministro. O Valor Econômico informou no fim de semana que trazem propostas de investimentos de 50 b em portos, ferrovias, petróleo, etc. A conferir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *