A ditadura não parou de me perseguir. Não me assassinou, com a tantos, com medo. A Comissão da Verdade tem que acabar com a “anistia ampla”, que só serviu aos torturadores. E a destruição da Tribuna, em fevereiro de 81? A tragédia do 1º de maio de 81, quem pagará por ela. A “anistia”, em 1979. E 1981 não vem depois? Que calendário é esse?

Helio Fernandes

A Comissão da Verdade está fazendo um excelente trabalho, tentando resgatar o que aconteceu realmente nos 21 anos de chumbo da ditadura. E se insiste em “21 anos da ditadura”, é porque para este repórter e para muita gente, 1979 e a chamada “anistia ampla, geral e irrestrita” foi uma farsa, uma fraude, mistificação que só serviu aos ditadores-torturadores-assassinos. Por causa desse ato fraudulento e unilateral, o Brasil foi superado totalmente pelo Chile e Argentina, que puniram seus criminosos (um dos últimos e o mais importante, acaba de morrer numa cela comum, merecidamente), enquanto os nossos foram totalmente esquecidos. Esquecidos e inocentados.

Essa “anistia” de nome imenso é tão grande quanto os atos criminosos dos torturadores. Mas os generais dos mais altos escalões sabiam de tudo, agora fica a impressão supérflua ou profunda: torturador covarde, insensato e desumano, só o coronel Ustra. Ele, sem dúvida. Mas os generais com uma porção de estrelas nos ombros, também.

A ANISTIA ERA DE 1979, MAS O
TERROR E A DITADURA, ATÉ 1985

Como é possível respeitar essa “anistia” de 1979, se em 1981, dois anos depois, os inocentados por eles mesmos, destruíam completamente a Tribuna da Imprensa? Massacre planejado, coordenado e executado pela mais alta patente da época (patente e cargo), o general de quatro Estrelas e chefe-geral do SNI, Octavio Medeiros.

Já disse aqui que 48 horas depois da destruição da Tribuna, o senador Franco Montoro (depois, governador de São Paulo) telefonou para o presidente da ABI, Barbosa Lima Sobrinho, e pediu para marcar um encontro comigo no dia seguinte. Franco Montoro era relator da CPI do Terror, queria que eu fosse depor imediatamente.

Conversamos no gabinete de Barbosa, acertamos o depoimento para três dias depois. O Senado lotado, não só de senadores, mas também com um número enorme de deputados. Contei tudo, coloquei o chefe do SNI inteiramente como responsável, ele era o grande beneficiário da permanência do regime arbitrário, atrabiliário e discricionário. Estava decidido, se a ditadura permanecesse, ele seria o novo “presidente”.

O assombro foi geral, perplexidade e receio em relação à minha integridade. Como voltei para o Rio imediatamente, não houve espaço para a violência física, mas recorreram ao que faziam e melhor. Sumiram com tudo o que eu revelei em 6 horas de depoimento.

###

PS – Terminei dizendo: “A destruição da Tribuna não foi apenas um ato de vingança, mas um movimento de sobrevivência”. Para que ficasse bem claro o que estava acontecendo, reafirmei: “Não acabou, está longe disso”.

PS2 – Lógico que eu não adivinhava nada, mas pressentia que o desespero dos insensatos que não queriam perder o Poder poderia levá-los a qualquer violência.

PS3 – Nem acreditava que seriam capazes da loucura do Riocentro, no dia 30 de abril, em comemoração antecipada do 1º de maio, três meses depois. Quem imaginaria que fossem capazes de planejar e executar aquela tragédia que não se consumou por detalhes que até hoje não se explica?

PS4 – Por isso, a prioridade “mil” da Comissão da Verdade tem que ser a de desmoralizar essa “anistia” de 1979. Como poderão explicar à opinião pública que os criminosos absolvidos por eles mesmos, sejam agora inocentados pelos que estão obrigados a investigá-los?

EIKE BATISTA A  JATO

Está á venda por 14 milhões de dólares (28 milhões de reais) um jatinho. É dele, sim. Já foi um dos 10 mais ricos do mundo, dizia que em 1 ano seria o mais rico do Brasil, em 2 ou 3, o mais rico do mundo. Hoje, na relação da Forbes, é o número 222X.

Mas o mais importante vem agora, a pergunta ingênua: Por que um homem que deve 62 bilhões, sem garantias, precisa de 28 milhões, e o que vai fazer com essa miséria? A não ser que seja uma de suas extravagâncias. Para provar e convencer, tem que comprar outro jato igual, por 100 milhões. Mas numa operação pública, registrada em cartório e referendada por dois amigos: Lula e Sergio Cabral.

PAVOR DA INFLAÇÃO

O prefeito de São Paulo levou mais de 15 dias negociando o aumento dos ônibus. Os sindicatos patronais queriam o aumento para 3,40 reais, dos consumidores 3,10. Conversas e mais conversas, o aumento foi de 10 centavos, pelo menos os trabalhadores não perderam tudo.

No ano de 1900 (113 anos passados), no faroeste dos EUA, com 10 centavos de dólar, qualquer um tomava um pileque de dormir 2 horas. Em 1917, depois de fundar a United Arts, Charles Chaplin ganhava 150 dólares por semana, as pessoas não acreditavam. Repetiam: “150 dólares por semana? Isso não existe”. 10 centavos agora, que tormento.

A PROXIMIDADE DO PLANALTO

Dona Dilma tinha compromisso importante no exterior, Temer e Henrique Eduardo Alves também, sobrou para que Renan contasse mais tarde em Alagoas: “Fui presidente da República, estou na História”.

Se ele também viajasse, o substituto seria Joaquim Barbosa, presidente do Supremo, quinto na hierarquia, que jamais foi beneficiado. 24 ou 48 horas no Planalto-Alvorada ajudariam Barbosa a definir esperanças e desesperanças?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

29 thoughts on “A ditadura não parou de me perseguir. Não me assassinou, com a tantos, com medo. A Comissão da Verdade tem que acabar com a “anistia ampla”, que só serviu aos torturadores. E a destruição da Tribuna, em fevereiro de 81? A tragédia do 1º de maio de 81, quem pagará por ela. A “anistia”, em 1979. E 1981 não vem depois? Que calendário é esse?

  1. Anistia em 1979 e atentados à Tribuna da Imprensa e Riocentro em 1981 já são motivos suficientes para invalidá-la e seguir o exemplo da Argentina e Chile.

    O Brasil nunca terá um sentido de nação, se não elucidar seu passado e mudar a forma de enxergar um país.

  2. Por favor.

    Parem de brincadeiras.

    Nos nao somos Argentina nem Chile.

    Os mesmos defensores daquela esculhambacao queriam o que? Ser tratados com pao-de-lo?

    Facam-me um favor!

    Na guerra vale tudo.

    Eh muito facil condenar com a “bundinha” num escritorio.

  3. A “ditadura/golpe de estado” de 64 foi a coisa mais imoral que já aconteceu neste malfadado país. Uma vergonha para nossas forças armadas, que deveriam (vá lá) ter intervido mas, logo depois, convocado uma constituinte civil e deixado o país voltar à normalidade. Assassinatos e torturas jamais justificarão o que quer que seja. Os torturadores deveriam ser punidos, claro! e com severidade! Mas isso não é o mais triste: o pior de tudo foi a ditadura civil que se sucedeu. Nossos podres poderes são um lixo!!! O PT foi a pior desgraça que já aconteceu neste país. Infelizmente, parece que só um novo golpe militar poderia (?)arrumar as coisas.

  4. Uma nova Força Armada

    A partir o golpe de 1º de abril de 1964 – da ditadura militar – que presenciamos e tomamos conhecimentos de muitas coisas, trágicas, inacreditáveis e estranhas, pela mídia, literatura e por outros meios. De há muito que nos levar a crer que a ocultação de torturadores, assassinos e de terroristas da ditadura militar, sempre contou com forte apoio de poderosas forças ocultas. Por incrível que pareça, algumas delas, nada oculta.

    Por mais que muita gente insiste em querer esquecer aqueles trágicos vergonhosos tempos, não é possível, pois que temos um cadáver insepulto, circulando pela história daquele tempo que parece não terminar. Relutando ser enterrado, definitivamente, para a paz do Brasil.

    Fica impossível erguer um Brasil justo, confiável, seguro e forte, com a presença de semelhante fantasma, andando por aí, dando cartas, assustando, mostrando forças. A vulnerabilidade da defesa e integridade do Brasil fica comprometida, justo, num tempo de sérias turbulências externas. Não existe poder tecnológico capaz de enfrentar o inimigo externo, se aqui dentro, temos um poder paralelo, de princípios, objetivos e ambições, nada a ver com a construção de um Brasil mais justo, honesto, fraterno, respeitável e forte.

    A reestruturação de uma nova Força Armada, em novas bases tecnológicas e novos critérios de material humano tornou-se necessário. De novo perfil humano, para que nunca mais se repita semelhante coisas, bem como, mais fortalecida para poder enfrentar o perigoso e inseguro mundo moderno.

    Temos que dotar nossas Forças Armadas de eficiente formação humana e tecnologicamente apta, a altura da defesa de nossas siderais riquezas naturais e da paz de nosso povo. Nesse sentido:

    1)Implantação de eficiente critério de seleção de seu pessoal, visando escolha dos mais aptos à vocação da carreira militar, exigindo bons princípios de patriotismo, boa inteligência, boa coragem, bom caráter, etc.;

    2)Sempre que possível, dotar nossas Forças Armadas de equipamentos de primeira geração tecnológica, focado na qualidade e tecnologia de ponta, não na quantidade;

    3)Em paralelo aos necessários curso e treinamentos regulares, propiciar aos militares, outros cursos, palestras e visitas, objetivando mostrar-lhes nossas maiores necessidades e carências, na educação, saúde, tecnologia, transporte, meio ambiente, etc. Permanentemente inseridos em nossa realidade econômica e tecnológica.

    Evidentemente, a remuneração do militar deverá ser condizente à semelhante proposta. Sem isso, as coisas se complicam.

  5. O comentário do Afonso Mello merece um estudo de sobre alienação e reacionarismo.

    Procure saber o que foi o atentado ao Riocentro antes de expressar sua opinião.

    Respeite o HF pelo menos.

    Não te ensinaram a respeitar os mais velhos na Caserna?

  6. Sr. Helio,

    O real, desde a sua criação, já se desvalorizou em 275% (!); chegará o momento em que a única saída será criar uma nova moeda, estabilizando o câmbio em nosso favor. Acredito que este seja o pensamento do governo. “Coeteris paribus” – tudo mantido constante – não restará outra alternativa. Seria o Plano Real II.

    Continuo insistindo que o melhor a fazer é trocar as dívidas – de interna para externa -, injetando recursos para o desenvolvimento do país e pareando o câmbio. O real já se desvalorizou demais, perdemos o leme e estamos enfrentando, também, certa inflação de custo por conta dos importados.

    Está claro que o governo petista abandonou o tripé de estabilização econômica, despiu-se do projeto desenvolvimentista e abraçou a única causa – a distribuição de rendas -, que lhe garante votos. As ações do governo são sempre dúbias. Ocorre que, para continuar distribuindo rendas o país tem de crescer. É o bolo do Delfim Neto. Pois é, se o bolo não cresce, chegará um tempo em que não terá mais nada o que distribuir. É lógico, a inflação se encarrega disso.

    É crescer distribuindo; este deveria ser o lema do governo.

    Temos de continuar com o viés do desenvolvimento, caso contrário o que teremos de fato é a estagflação.

    O IBGE não divulgou, ainda, o PIB do primeiro trimestre. Espera-se crescimento em torno de 0,7% para o período, o que daria uma taxa anualizada de 2,8% de crescimento. Muito pouco, tendo em vista a inflação estar rondando a casa dos 7,29% (anualizada). Não é crescimento, é como disse o Sr. Bortolotto – andar para trás.

  7. Por quê não pagam logo, antes tarde do que nunca, a indenização a que faz jus por Direito, Lei e Justiça, a Tribuna da Imprensa ?

    Pelo amor de Deus, será que o Suplicy também é outro que só quer sair de lá morto de velho, a exemplo de Marin, Sarney, Tancredo, ACM, gollpista-ditatoriais, entre tantos outros apaixonados pelas tetas da viúva ? O fato é que o continuismo da mesmice , do gollpismo, da oposição e da situação , não tem mais jeito não. Que venha agora e doravante a Mega-Solução (PNBC-ME), a ser eleita em 2014, até como salvação e reciclagem do passado tortuoso da história deste pais, com a implantação da Meritocracia Eleitoral a partir de 2015, com eleições gerais em 2018, e mandatos de 6 (seis) anos para todos os cargos ora eletivos, sem direito ao câncer da reeleição para o mesmo cargo, aberta à participação direta de todos os brasileiros para todos os cargos, pessoal e diretamente ou via clubes, ongs, partidos…, com a quebra do monopólio partidário sobre as eleições, e a plena democratização destas, porque evoluir é preciso.

  8. Mega-Solução X gollpes-ditatorais, oposição e situação

    A gente olha para os governos erguidos sob a batuta dos modellos de república e política-partidária-eleitoral que aí estão, com prazo de validade vencido há muito tempo e chega à conclusão de que, tirante novas aparências, ainda estão fazendo quase tudo como antigamente e que, em essência, na verdade, quase tudo ainda continua à moda: “Isso é que é governo eficiente! Ele mesmo se enrola,ele mesmo se investiga e, antes de concluir o inquérito,ele mesmo se absolve.”, como disse Josias de Souza em seu Blog. Até parece que aprenderam tudo com o PSDEMB-agregados, que aprenderam com o PMDB-agregados de Sarney-Tancredo e cia, que aprenderam com a famigerada DM-agregados (Ditadura Militar), que aprenderam com o PTB-Getúlio-agregados, que aprenderam com Deodoro-Floriano-agregados, que aprenderam com o Imperador-agregados, que aprenderam com a Coroa Portuguesa-agregados,que, ao que parece, nos impuseram um terrível contnuismo da mesmice sem fim, guardadas as épocas e proporções. Quem sabe o novo Papa, Francisco, nos dê uma forcinha pedindo a Deus com mais credibilidade do que este simples mortal para que intervenha e nos liberte, o Brasil e todos os que aqui vivem, da maldição do continuismo da mesmice, imposta via gollpes-ditatoriais, oposição e situação, que parecem invencíveis para os simples mortais já enojados de tudo isso.

  9. Cada governo tem seus crimes e criminosos.
    No era Vargas o atentado sem pé nem cabeça da rua Tonelero.
    No período dos militares, temos a história e as testemunhas vivas para descrever melhor tudo que aconteceu.
    O governo Collor teve o famigerado caso de PC Farias e Suzana Marcolina silenciados para sempre.
    No período de Itamar Franco, sobrou para Elizabeth Lofrano enterrada viva pela máfia dos anões do orçamento.
    O governo do petistas deixa marcas profundas no mundo subterrâneo. Toninho do PT morto de forma misteriosa pelo combate que fazia contra o narcotráfico em Campina-SP. E Celso Daniel morto de maneira covarde, e que levou junto mais de 20 pessoas misteriosamente assassinadas como queima de arquivo.
    Como o governo petista não está combatendo terrorismo, fica como campeão de uma inescrupulosa estatística de baixa de civis.

  10. Ministério da Justiça, capitaneado pelo pavoroso José Eduardo Cardoso, abriu inscrições para excluídos sociais menores e maiores de idade poderem participar do Curso “Como incendiar um dentista durango” . Vagas Limitadas. Corram.

  11. “- Quanto mais reflito, e quanto mais tempo sou editor, mais me convenço de que jornalista não precisa de diploma de jornalista, mas sim de uma boa e sólida formação que começa em casa, passa pela escola básica, e pode até chegar à universidade. Um jornalista precisa de escolas, sim — escolas sem rótulos, que ensinem história, literatura, economia, ciência, filosofia, direito… o universo! Um jornalista precisa aprender a pensar, analisar, questionar, usar a cabeça. Um jornalista precisa ler muitos livros, precisa ser curioso, querer saber sempre o porquê das coisas, todas as coisas. E precisa gostar de contar o que descobre, de contar histórias… ”

    Roberto Civita

  12. O leitor que assina Afonso Melo tem toda razão. Numa guerra, vc pode morrer ou viver.
    Os covardes se escondem. A comissão da verdade deve investigar os crimes cometidos também pela esquerda – festiva ou não. E cuidado com o movimento comunista internacional.

  13. O avanço do movimento comunista internacional na América Latina é inconteste. Tem-se que se fazer algo contra porque os vermelhos vão acabar com a democracia, a exemplo do que fizeram com Cuba onde milhares foram mortos e torturados. Todo cuidado é pouco com essa camarilha canalha.

  14. querido Helio é verdadeira a historia do Capitão Macaco, aquele que foi escolhido para esplodir o gasometro do Rio, o que poderia matar centenas de pessoas , mas se recusou a tal ato criminoso?

  15. O calhorda de cima quer investigar resistentes que foram presos, torturados, cassados exilados ou banidos, ou seja, gente que já foi punida e cumpriu pena durante a ditadura. Quer puni-los DE NOVO. Só mesmo chamando de calhorda uma tipo desses, ainda mais ao comentar as covardias e maldades que a ditadura militar e seus cúmplices posteriores fizeram e ainda fazem com o Helio e a TRIBUNA.

  16. Dá-lhe Laco Silva.

    O Afonso e o Celso não entenderam nada. Ocorreu a anistia em 1979 e o atentado à Tribuna e ao Riocentro em 1981. Vocês querem que eu desenhe?

    Depois de 1979 ou o cara já tinha morrido nos porões da ditadura ou estava voltando do exílio. As organizações de esquerda após 1979 já tinham sido desmanteladas. Quem praticou terrorismo em 1981 foram os militares. Tortura e desaparecimento na familia dos outros é refresto, né Afonso e Celso?

    É muita viseira pro meu gosto.

  17. Lembrando da fábula do lobo truculento e assassino, às margens d’um córrego

    Para os ignorantes de todos os matizes as argumentações, por mais sensatas e verídicas que sejam, jamais encontrarão eco. Mas sempre existirão pessoas de boa vontade. Em sendo assim, nunca é demais ouvir o que Hélio Fernandes tem a nos dizer a respeito da tenebrosa noite que persiste em prolongar o seu manto vil até os dias de hoje, bem como nunca é demais ouvir outras vozes a nos esclarecer sobre o mesmo tema.

    O golpe milico-servil de 1964 antecedeu – em muito! – a luta armada de pessoas/grupos, à época, (auto)intitulados de esquerda. Cassações, torturas, estupros e assassinatos – ordenados e/ou executados por agentes do poder público – antecederam – em muito! – a luta armada de pessoas/grupos, à época, (auto)intitulados de esquerda.

    Por várias vezes escrevi sobre uma pessoa, dentre muitas, que foram torturadas. Mas por quê insisto nessa pessoa se tantas outras igualmente foram torturadas e mortas? Porque essa quase ninguém fala e amigos comuns nordestinos se empenham em que sua memória seja resgatada… e me procuraram por causa dos trabalhos que desenvolvo na área da metodologia da História Oral. Por isso, repito:

    Uma ÚNICA pessoa que fosse – torturada, estuprada ou assassinada – a mando de qualquer governo, esse governo estaria atingindo não só aquela pessoa em questão, mas sim, toda e qualquer pessoa que tivesse um mínimo de compaixão, de humanidade. Imagine agora uma pessoa presa no interiorzão do Nordeste brasileiro. Moradores intercedendo por sua Liberdade, por sua Vida. Debalde. Não muitos dias depois, já em Recife, não só torturada, como também estuprada e finalmente, assassinada. Para disfarçar o estupro, queimaram o seu corpo, na altura da genitália. Tem nome essa pessoa? É claro que tem: ANATÁLIA DE SOUZA MELO ALVES… infelizmente não foi a única a sofrer tal “destino”.

    Não conheço maior covardia ou maiores covardes que os responsáveis pela ditadura milico-servil de 1964 a 1985, cujos rebentos continuam a perambular pelas ruas. Assemelham-se a homens, tão somente. Pobres zumbis!

  18. Caros senhores, bom dia.

    Eh muito interessante ver a lienacao dos comentarios dessa tribuna.

    Eu gostaria de ve-los com a “bundinha” pegando fogo diante de uma ameaca.

    Soh quem esteve num teatro de operacoes sabe o que la acontece.

    Soh tinha ANJINHO.

    Todos acreditavam em Papai Noel, Mula-sem-cabeca e congeneres.

    Desculpo a todos pela ANALISE DE ESCRITORIO.

    Podem ofender. Nao ha problemas.

    Essa eh a atitude de covardes sem argumentacao.

    Solicito aos senhores voluntariar-se para uma guerra no Afeganistao ou no Iraque. Ai, “acho eu” a ficha cairah.

    COMISSAO DA VERDADE EH UMA TREMENDA BRINCADEIRA.

    O que os senhores dizem do soldado Mario Kosel, bomba no aeroporto de Recife, assassinato do Capitao Chandler e do marinheiro britanico?

    Quero ve-los reagindo quando o regime cubano for consolidado no nosso pais.

    Todos irao para o paredon.

    kkkkkkkkkk, FAZ-ME RIR!

  19. Quanto ao capitão Sergio Macaco do Parasar, o Helio contou na época em detalhes na TRIBUNA, inclusive os velhos leitores leram o que foi escrito 10 dias antes do falecimento do Capitão e a covardia do Itamar Franco no episódio final. O pior é esse tipo de comportamento calhorda e covarde segue ocorrendo, isto é, o benefício concedido administrativa ou judicialmente ao anistiado só é liberado APÓS A MORTE, como comentei no artigo sobre o Frei Tito.

  20. Eles entenderam, sim, porque sabem perfeitamente que todos aqueles que enfrentaram a ditadura militar sem armas ou com poucas armas, na escrita ou no discurso foram cassados, demitidos de empregos, impedidos de trabalhar, presos, torturados, assassinados, exilados ou banidos. Eles, os torturadores de presos políticos e generais mandantes, é que ficaram impunes. São como seus associados torturadores da Operação Condor, Alfredo Astiz e o general Mario Benjamin Menendez da Argentina. Torturaram e assassinaram freiras, padres, os que não tinham força para enfrentá-los e roubaram bebês. Aí, quando os piratas ingleses lhe deram combate nas Malvinas, se entregaram covardemente, prova maior de que quando os traseiros desses canalhas pegam fogo eles são os que pedem arrego. Quanto a querer mandar-nos ao Afeganistão e Iraque, vá você para lá a defender as guerras de ocupação de seus iguais torturadores criminosos de guerra e contra a humanidade, rambinho marca traque.

  21. Caro Sr Laco.

    Bom dia.

    Eu ja estive lah, alias, em ambas. Ah! Tambem estive no Iraque, no Green Belt e fora dele.

    E posso te afirmar: NAO EH NADA AGRADAVEL.

    Gostaria de ve-lo em uma area de conflito com toda essa “coragem de e-mail’.

    Permita-me, talvez, sofismar.

    Caso o sistema de governo democratico de Cuba fosse o nosso, vc nao teria essa oportunidade de destilar a sua ira por meio de um jornal.

    Foram os militares que te deram essa oportunidade sem vc pedir.

    Em uma guerra voce joga com o que tem para aniquilar o inimigo.

    Excessos houve. De ambos os lados.

    O que os Srs nao entendem eh que havia o fomento externo e a situacao aa epoca se fazia necessaria tal atuacao.

    O tao endeusado Prestes MATOU companheiros aa traicao. Enquanto dormiam.

    Esse era o modus-operandis dos anjinhos.

    Olha, te digo mais!

    Caso tentem, novamente, VAO TOMAR OUTRA COCA. E DAS GRANDES QUE VAO PERDER ATEH O RUMO DE CASA.

  22. Aqui não é tribuna para quem confessa que se engajou em exército de ocupação estrangeiro e, consequentemente, jurou bandeira de outro país em troca de passaporte ou dinheiro, se é que não nasceu no exterior como filho de imigrante brasileiro. Deve ser um fedelho que nasceu outro dia, caso seja verdade sua participação no Iraque ou Afeganistão. Nada sabe sobre a história do Brasil, menos ainda sobre o período do golpe de 64. Trate de resolver os problemas no interior de seu país de adoção ou de birth of certificate com seu social security e contribuições de income tax, que já são muitos, e não cite mais meu nome sem tem vergonha na cara.

  23. Caro Sr Laco Silva.

    Bom dia, novamente.

    Eu nao participei de nenhum exercito de ocupacao.

    Sou brasilero, 52 anos e estou nesses paises ah trabalho, para garantir a educacao das minhas filhas.

    Estudei muuuuuito toda essa historia e estoria. Conheco-a muito bem.

    Caso o Sr nao saiba, existem muitos brasileiros trabalhando nessas areas, nao necessariamente como militares.

    Torno a dizer: A OCASIAO FEZ A NECESSIDADE.

    A sua reacao eh a reacao de uma pessoa que nao aceita o contraditorio. RAIVINHA.

    KKKKKKKKKKKKK

    E eh isso que eu posso dizer: ALGUEM EXTERNO FOMENTANDO BRIGA ENTRE IRMAOS EH INACEITAVEL.

    Mas tudo bem.

    Foi um prazer “conhece-lo” e que DEUS LHE PROTEJA.

    PS: Vota na Dilma, novamente.

  24. O início da discussão foi a questão da anistia em 1979 e o atentado ao
    Riocentro e à Tribuna em 1981 por conta dos militares.

    Não sei por quê o Afonso acha que defendemos o regime cubano, eu nem sabia das atitudes de Prestes.

    Covardia foram estes atentados e que as justificativas ficarão sempre em aberto.

    Laco Silva, não adianta. Se condenamos a tortura e regimes de excessão, necessariamente somos petistas, maoistas, stanilistas, etc. Faz parte da truculência da caserna. É coisa de quem aumenta o tom de voz, quando sabe que está sem razão.

    E não vem com papo de raivinha, que é falta de argumento.

    Os militares só largaram o osso porque perderam o controle de seus pares linha-dura e principalmente da economia, lembram-se da recessão dos anos 1980?

    Paz e bem!

  25. Por favor, não invertam a situação.

    Isso chama-se MAH FEH.

    Houve excessos de ambos os lados.

    Truculência êh necessária em determinados momentos.

    Por que Fidel não devolve o governo ao povo?

    Porque ele sabe que toda a sua corja será trucidada. EXTERMINADOS.

    Vide Khadafi.

    Êh muito fácil a ANALISE DE ESCRITÓRIO.

    Em qualquer momento, no passado, algum dos senhores sofreu alguma ação de militares?

  26. Prezado Afonso,

    Com todo respeito, o debate iniciou com a questão da anistia e dois anos após, houve dois atentados, um à Tribuna da Imprensa e outro ao Riocentro.

    Já não havia mais situação de guerra civil, ou seja como deve ser chamado o embate entre a militância e o governo.

    É isso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *