A Editora Três (IstoÉ) se entrega, e o governo já não pode reclamar da oposição das revistas, porque o jogo agora está 2 a 2

(Interino)

Enquanto rola a polêmica sobre a opinião manifestada pelo presidente na inauguração de trecho da Ferrovia Norte-Sul, quando Lula afirmou que “os veículos de comunicação têm que ter controle”, a grande novidade é que a Editora Três (“IstoÉ” e uma série de outras revistas) capitulou e acaba de se entregar de corpo e alma ao governo.

Tentou fazê-lo aparentemente com uma certa dignidade, publicando uma ardilosa capa sob o título “A Onda Vermelha”, que mais parecia uma denúncia contra um suposto ressurgimento do comunismo, mas na verdade se tratava de uma matéria sobre o avanço dos candidatos do PT aos governos estaduais e ao Congresso Nacional, totalmente tendenciosa e elogiosa ao governo, marcada por um puxa-saquismo hilariante.

Em seguida, vem a matéria “Por que tudo deu certo”, uma reportagem em que Dilma Rousseff é retratada como uma espécie de mulher-maravilha. “Em uma campanha pensada nos mínimos detalhes, Dilma soube aproveitar o desejo de continuidade do eleitor brasileiro, exibiu propostas concretas e surpreendeu aliados adversários”, diz o texto, de elogios do princípio ao fim. um marqueteiro não faria melhor.

Portanto, o governo Lula, que só tinha a adesão franca da “Carta Capital”, agora conta também com as revistas da Editora Três. Ficaram na oposição “Veja” (Abril) e “Época” (Globo). O jogo passou a ser empate, exatamente como é da preferência do Supremo Tribunal Federal. E la nave va, no melhor estilo de Fellini.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *