A esquerda pressiona Dilma para derrubar Levy

Bernardo Mello Franco
Folha

A presidente Dilma Rousseff terá que fazer concessões à esquerda se quiser mobilizar os movimentos sociais em defesa de seu mandato. O recado tem sido repetido a ministros petistas e ao ex-presidente Lula em conversas reservadas sobre o agravamento da crise.

Acuada pela oposição oficial e pelo PMDB, Dilma agora enfrenta a pressão de aliados históricos do PT para abandonar o ajuste fiscal. Na prática, a esquerda quer trocar o apoio nas ruas pela cabeça do ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

“O governo está muito fraco e precisa mais do que nunca das ruas para resistir ao golpe. Mas não podemos defender um governo que está ficando indefensável por causa dessa política econômica”, afirma Guilherme Boulos, principal líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto.

O ativista ficou contrariado ao saber que a presidente prepara medidas para ampliar o ajuste, como ela contou à Folha. “A crise se agravou, e a reação da Dilma é dizer que vai aprofundar ainda mais o ajuste. Isso cria dificuldade para os movimentos que estão dispostos a enfrentar a ofensiva golpista”, diz Boulos.

RESPOSTA À DIREITA

Apesar das críticas, ele articula um ato de “resposta à direita” para 20 de agosto, quatro dias depois dos protestos convocados por grupos anti-Dilma. “Será uma grande mobilização contra o golpismo, o Eduardo Cunha e a ofensiva conservadora, mas também contra a política econômica”, ressalta o líder do MTST.

Próximo ao ex-presidente Lula, o senador petista Lindbergh Farias reforça a pressão. “O governo tem que parar de atirar na própria base. Quem pode defender Dilma contra o golpe são os movimentos sociais e o Lula. O que a gente quer é que o governo pare de atrapalhar”, afirma.

A tese da guinada à esquerda seduz cada vez mais petistas, mas embute altos riscos. Se desistir do ajuste, Dilma pode perder o apoio que lhe resta no PMDB e engajar setores do empresariado e do mercado financeiro no movimento pró-impeachment.

2 thoughts on “A esquerda pressiona Dilma para derrubar Levy

  1. Quando a coi$a estava boa (nos governos Lula) todos foram para a Direita, até os movimentos sociais ficaram caladinhos, dizendo que o mundo havia mudado e tal (e nós que criticávamos éramos chamados de Ultra Esquerda Fascista). Agora que estão ficando no $ufoco, querem voltar para a Esquerda… fica evidente para os eleitores que parece uma brincadeira de vai e vem com o no$$o bol$o. Tolo é quem for atrás desse Trio Elétrico, lembrando canção de Caetano …

  2. Os Movimentos Sociais ligados ao PT, e até o oscilante Presidente LULA, que hoje não tem Responsabilidade Direta pelas despesas do Governo Federal, pressionam contra o AJUSTE FISCAL. Mas a Presidenta DILMA que tem Responsabilidade Direta, tem OBRIGAÇÃO de dar apoio total e irrestrito, sob pena de “explodir com o Plano Real” do saudoso Presidente ITAMAR FRANCO. Tenho também a impressão que nessa importante viagem da Presidenta DILMA aos EUA, “se negociaram certas coisas”, que a reforçaram muito contra um Impeachment. Mas, se ela demitir o Ministro da Fazenda Sr. JOAQUIM LEVY, abandonando o AJUSTE FISCAL, sabe que o Impeachment será quase certo. Abrs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *