A exasperadora ribalta dos debates eleitorais exibe o despreparo dos candidatos

Resultado de imagem para debate politico charges

Charge do Tacho (Jornal NH)

Percival Puggina

Os debates entre candidatos a cargos majoritários mostram alguns aspirantes que não conseguem ocultar seu despreparo para as demandas das funções que buscam. Nenhuma empresa de médio porte bem conduzida convidaria para assumir cargo de responsabilidade num segundo ou terceiro escalão. No entanto, aspiram ao poder político e se sentem motivados para conduzir a nação em período de grandes dificuldades. Outros há, bem preparados, sem a mínima competência política.

Não é muito diferente o quadro, aliás, onde quer que o poder dependa das ruas e das urnas. A política, de um modo quase geral, é ponto de encontro de pessoas que gostam do que fazem e fazem empiricamente. Obtêm sua formação da simples experiência, aplicando o intelecto aos fatos que observam, às notícias que leem e às informações que acumulam.

PLURALIDADE –  Se os parlamentos refletem a sociedade cuja pluralidade representam, a maior qualidade daqueles vai depender dos avanços que sejam obtidos no desenvolvimento cultural desta. A União Federal, 21 dos 26 estados brasileiros e a imensa maioria de seus municípios se arrastam numa sufocante crise fiscal, levando junto o setor privado. E só estamos nessa porque as galerias clamam, os parlamentos legislam e governos governam despesas que, sistematicamente, ano após ano, crescem acima da receita. Reflexo de um modelo errado sendo conduzido por mãos impróprias.

Em outras palavras: faz-se imperioso reconhecer que a alfaiataria institucional brasileira é de péssimo corte e ainda piores costuras. Os temas nela envolvidos estão na raiz de muitos de nossos males e penares.

 

DEMAGOGOS – O péssimo corte, inábil e inadequado, criou um sistema de governo que, em vez de dar força às ideias mais aplicáveis a cada momento histórico, escolhe governantes segundo critérios que não costumam guardar relação com as virtudes necessárias ao exercício do poder. E assim, não raro, privilegia os mais demagogos, os mais mentirosos, os mais astuciosos.

Num sistema diverso, próprio das democracias mais estáveis, que separe as funções de chefia de Estado das funções de chefia de governo, confiando-as a pessoas diferentes, essa dificuldade é superada. O chefe de estado, o presidente da República, é eleito diretamente pelo povo e representa a nação. O cara da gestão, escolhido pelo parlamento, é o líder do plano de governo que sai vitorioso das urnas porque, em torno dele, se aglutinou a maioria parlamentar.

DESPREPARADOS – A péssima costura favorece o recrutamento de lideranças políticas de insuficiente preparo, centradas na preservação do poder (o que é normal) a qualquer preço para a sociedade (o que não é normal). E é, precisamente, na costura, feita por mãos inábeis e desonestas, para preservar o poder a qualquer preço, que a corrupção se instala, o Estado incha, a despesa explode e a sociedade, não preciso dizer, você sabe o que acontece com ela.

Enquanto, com angústia, deposito estas ponderações no papel a menos de dois meses das eleições nacionais, só me resta o apelo: Capricha nesse voto, cidadão!

16 thoughts on “A exasperadora ribalta dos debates eleitorais exibe o despreparo dos candidatos

  1. O DESPREPARO DOS CANDIDATOS = DESPREPARO DOS ELEITORES
    cada povo tem o governo que merece
    eleições inúteis, pra nada
    MUCH ADO ABOUT NOTHING
    muito barulho sobre coisa alguma

  2. Os candidatos podem não ser uma Brastemp como ironizou Fallavena algum tempo atrás. Mas dizer que todos são despreparados é exagero. No quesito despreparo dois se destacam: Bolsonaro e Cabo Daciolo.

  3. Não é questão de caprichar no voto não, é questão de correr pro outro lado custe o que custar, do jeito que tá não pode ficar, e quem ta na corrida quer que tudo continue como está.

  4. Puggina, sempre escorrega em conceitos e interpretações alucinantes, sonhos e quimeras. Inclusive sem considerar que o Brasil tem que ser o que é. (O combate deve ser aos maus congressistas nominando-os). Imaginar a forma de governo “Parlamentarista” onde temos o chefe de estado e o chefe de governo é o escorregão de hoje.O gênese do Parlamentarismo foi a “Revolução das Baronias” na Inglaterra em 1215. Seicentos anos se passaram para que fosse consolidado. Aqui no Brasil aparecem quimeras querendo mudar nossa forma de governo do dia para noite. Tanta erudição para nada. Será que não nos livramos do “Complexo de Vira-Latas” como diria o imortal Nelson Rodrigues?. Mas o Puggina sempre acerta escrevendo bem e hoje usando a palavra demagogo em vez de populista (esta um neologismo genérico que serve até para dor de dentes).

  5. Quanto a ilustração: “- Quem pode decidir a eleição no debate da Globo?
    – O editor”

    Como? O debate é ao vivo, ou nao é?
    Ao vivo não tem como editar, somente manipular durante os questionamentos…
    TODO O BRASIL ESTA ASSISTINDO!
    A audiência esta enorme, vejam os números! TV, Youtube, Redes Sociais….

    Tempos terríveis, um impeachment, imunidade parlamentar, candidatos terríveis, urnas fraudaveis!

    Os dois candidatos á frente na disputa fraudulentos!
    Um botou a fralda de molho numa cadeia.
    O outro se borrou de medo, preferiu usar fralda a comparecer no debate….

    A lama dos bunocefalos togados do STF,
    O laquê zonzo da PGR,

    Um bando de BANDIDOS VIGARISTAS, denominados “Liberais” (num país sem lei) especulando com a moeda….
    UM MUNDO de dinheiro sumido….

    Um bando de presidentes que deram em merda:
    – Sarney na fralda
    – Collor até hoje lavando a fralda
    – FHC falando fralda
    – Lula morando na fralda
    – Dilma, da geriátrica nao serve, só fralda psiquiátrica.

    agora, na frente da corrida eleitoral um tal Bozolnaldio se escondendo na fralda….HORROR!!

    Vamos deixar esse monte de bosta pra trás!
    Pra frente Brasil, há um caminho mais limpo a ser percorrido

  6. Mas o que você está pedindo não é mais nem menos do que o parlamentarismo, sistema de governo odiado por 100 em cada 100 deputados e senadores. Esta gente quer que este sistema de coalização continue para sempre, assim podem nomear e exonerar os seus apadrinhados o quanto quiserem. E o chefe do Executivo come na mão desta gente.

  7. O povo brasileiro é formado de gente burra? Não creio. O brasileiro é mal informado pela mídia. As redes sociais são povoadas por “pistoleiros políticos” que em troca de trinta dinheiros agridem qualquer pessoa seja político ou não. Mesmo assim prevalece sempre o instinto de conservação do povo.Senão vejamos: Nesta eleição tem candidato capaz de tudo. De fazer um governo razoavel. De fazer um governo elitista. De fazer um governo confuso, De fazer um governo de falsa moral. E de fazer um governo nazi-fascista. É só ver os personagens. Tem um que quer reploclamar??? a república (já comprou uma espada e um cavalo baio). Tem outro que quer ter em cada escola um pastor e no Congresso ter culto todos os dias antes das seções. Outro quer um colégio militar sustituindo cada escola e as criança depois de três anos terem aulas de tiro e serem separada de acôdo com a cor e etnia e gênero: Pretos para um lado, brancos para outro, índios para outro, mulheres brancas, índias e negras separadas. Viados, boiolas, frescos, bisexuais, heterosexuais hemafroditas, tarados, pedófilos, pederastas e pedófilas e sapatonas todos separados e recebendo aulas em dias e horários diferentes. Negros e indios não terão direito a propriedade e nem ajuda do governo. As aposentadorias serão diminuidas. Só serão mantidas a de cidadãos brancos. Roupas serão de cores diferentes de acôrdo com a etnia e a cor e gênero. Os boiolas se vestirão de vermelho e devem morar todos na Lapa. Velhos e velhas vão trabalhar extraindo minério. E só entrarão no Brasil pessoas brancas.Não acredito que a maioria do povo vá escolher errado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *