A existência é uma grande esperança malograda, na visão poética de Vicente de Carvalho

Livro: Vicente de Carvalho e os Poemas e Canções - Octávio Dazevedo | Estante VirtualPaulo Peres
Poemas & Canções

O advogado, jornalista, político, abolicionista, magistrado, contista e poeta paulista Vicente Augusto de Carvalho (1866-1924), no soneto ‘Velho Tema”, um dos mais conhecidos de sua obra,  com uma sensibilidade muito profunda, penetra com agudeza no mundo interior do homem e daí procura exprimir os anseios incontidos da alma humana. Mas tudo isso sem recorrer a devaneios e com apuro de forma, de acordo com os moldes do Parnasianismo, esses sentimentos subiam à tona com objetividade e realismo, “às claras”, como ele mesmo preconizava no “Velho Tema”.

 

VELHO TEMA
Vicente de Carvalho

Só a leve esperança em toda a vida,
Disfarça a pena de viver, mais nada,
Nem é mais a existência, resumida,
Que uma grande esperança malograda.

O eterno sonho da alma desterrada,
Sonho que a traz ansiosa e embevecida,
É uma hora feliz, sempre adiada,
E que não chega nunca em toda a vida.

Essa felicidade que supomos,
Árvore milagrosa que sonhamos,
Toda arreada de dourados pomos,

Existe, sim, mas nós não a alcançamos,
Por que está sempre apenas onde a pomos,
E nunca a pomos onde nós estamos.

3 thoughts on “A existência é uma grande esperança malograda, na visão poética de Vicente de Carvalho

  1. VAMOS, punir nas urnas em 2022, todos os políticos que, sob falsos pretextos, sem necessidade, estão levando o povo se aglomerar nas ruas, em plena pandemia, por motivação de fundo eleitoral, ou seja, campanha eleitoral antecipada. EVOLUÇÃO X situação, oposição e os puxadinhos dos me$mo$. A MELHOR VIA, na boa, na moral e no jogo limpo, é a Democracia Direta, com Meritocracia, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, a Terceira Via de Verdade, a mais ampla, mais próspera e mais alvissareira possível, para a política, o país e o conjunto da população (direita, esquerda e centro a bordo), o megaprojeto novo e alternativo de política e de nação, a nova política de verdade, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, que acaba de de uma vez por todas com a guerra tribal, primitiva, permanente e insana do militarismo e do partidarismo, politiqueiro$, e seus tentáculos, velhaco$, por poder, dinheiro, vantagens e privilégios, sem limite$, que operam à moda todos os bônus para ele$ e o resto que se dane com os ônus, tipo plutocracia putrefata com jeitão de cleptocracia e ares fétidos de bandidocracia, fantasiada de democracia apenas para ludibriar a tola freguesia, forjada, protagonizada e desfrutada pelos me$mo$, há 131 anos, com o prazo de validade vencido há muito tempo, dos quais até esta parte da história temos sido todos e todas vítimas, reféns, súditos e escravos, ainda que fantasiados de cidadãs e cidadãos, alienados e manipulados pelos me$mo$ como se fôssemos gado e não gente. https://www1.folha.uol.com.br/colunas/catarina-rochamonte/2021/09/o-brasil-entre-7-e-12-de-setembro.shtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=compfb&fbclid=IwAR25pNu3U7NHJjZE0jC_7obvEtTt-PUN4zQaGMwk5ftArqoeqR1O5tNnIY4

  2. SOU DO CEARÁ – Patativa do Assaré

    “Eu sou de uma terra que o povo padece
    Mas não esmorece e procura vencer.
    Da terra querida, que a linda cabocla
    De riso na boca zomba no sofrer
    Não nego meu sangue , não nego o meu nome
    Olho para fome , pergunto o que há ?
    Eu sou brasileiro, filho do Nordeste ,
    Sou cabra da peste , sou do Ceará.”

Deixe um comentário para Loriaga Leão Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *