A “Fábrica de Croquis” de cabralzinho

Mario Assis:
“Helio, com a rejeição a Cabral nas camadas mais pobres do Rio, onde perde em pesquisas para Garotinho, foi contratada uma “Fábrica de Croquis”, que semanalmente cria pelo menos dois protótipos de intervenções em favela, sem estudo prévio e sem viabilidade. Distribui o croqui colorido para que seja divulgado e com isso tentar recuperar o prestígio nas favelas. O pedido à “Fábrica de Croquis” é que faça desenhos em computação gráfica (mais fácil distribuição) no ritmo de 2 por semana. Aguardam-se os próximos.
Sinceramente – esqueçam a minha antipatia pela dupla Cabralzinho e Paespalho – eu nunca vi tanta mediocridade, tanta ausência de ideias, soluções inovadoras e criativas, enfim, tanta empulhação e incompetência quanta as que grassam nos governos estadual e municipal do Rio. Não há propostas que despertem entusiasmo, não há falas ou discursos que nos surpreendam pela inovação e criatividade. É um festival – horrendo – de mesmices, bobagens e besteiras ditas em tom professoral. É de pasmar!”

Comentário de Helio Fernandes:
Obrigado, Mario Assis, por desnudar mais ainda, os desnudos governador e prefeito. Cabral vem em linha reta do “mais puro Marcello Alencar e filhos”. Sem esquecer do Garotinho e da Garotinha.

Eduardo Paes é a reencarnação do Padre Olimpio (prefeito do Rio quando Vargas demitiu o grande Pedro Ernesto, convencido de que seria seu adversário em 1938), há mais de um ano apenas rebocando carros que precisam estacionar em algum lugar.

Infelizmente, o prefeito fica até 2012, Cabralzinho pode ir embora no fim do ano, se o cidadão-contribuinte-eleitor votar com a cabeça.

Desespero inútil

Quando leu no jornal, que Lula viria ao Rio para o lançamento da candidatura de Garotinho, serginho cabralzinho filhinho chorou novamente e sem direito a royalties. Mais grave: tentou falar com o presidente, não conseguiu. Como sabia que o governador iria pedir para não vir, não atendeu.

Lula já foi chamado de “sapo barbudo” (Brizola, 1989), mas este não engoliu: “Assim, nem minha mulher votará na Dilma”. Agora, sofre, pretende ir pelo menos ao segundo turno, não sabe se perde para o Garotinho ou para o Gabeira. Gostaria que perdesse para o Gabeira, apesar de ser candidato dos “alencares”.

Perdeu o tempo, Cabral

Do governador: “Vamos estudar com calma, a venda de bônus”. Com calma? Só tem 9 meses, dá para uma gestação, não para a reeeleição. Em 2014 voltará para a Alerj.

Lindberg esqueceu

Candidato ao Senado, arrasou com Picciani, que também é (ou era?) pretendente ao mesmo cargo. O ex-prefeito de Nova Iguaçu falou na “fortuna do presidente da Alerj”. Mas não lembrou que ele foi indiciado por exploração de trabalho escravo, e consequente enriquecimento ilícito.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *