A falha justiça dos homens

Welinton Naveira e Silva

Manter a conduta da boa ética e da honestidade no sistema capitalista é coisa muito complicada para a grande maioria das pessoas. Pois que a essência, natureza e princípios desse sistema são incompatíveis com a honestidade e a boa ética. Por conta de sua natureza, valores e leis, é legal a grande acumulação de riquezas em mãos de poucos. Entretanto, isso só possível, se subtraídas de quem as produziu, retirando-as do trabalhador.

Todos os produtos e serviços existentes no mundo decorrem da labuta do trabalhador, que sempre fica com muito pouco do que produz, salvo as exceções. Por isso mesmo, o nosso minúsculo planeta possui 4 bilhões de excluídos convivendo com aproximadamente 1.230 bilionários, embora exista uma fantástica tecnologia disponível capaz de extinguir toda a pobreza e miséria do mundo. Inquestionavelmente, trata-se de um sistema desonesto e cruel.

Quanto aos poucos países ricos, sem favelas nem pobrezas, assim não seriam sem suas empresas multinacionais, inclusive bancos, praticando grandes remessas de lucros para os seus países de origem, numa gigante e permanente transferência de riquezas dos países pobres para os países ricos. Vendem seus produtos, tecnologias e serviços para o terceiro mundo a preços bem altos, mas compram a baixos preços as matérias primas, os alimentos, alguns manufaturados etc.

###
CONTROLE DE PREÇOS

Reforçando esse mecanismo de gigantescas transferências de riquezas para seus países ainda exercem grandes controles nos preços dos commodities mundiais. Até a década de 80, o petróleo, esse extraordinário produto, era cotado nos mercados mundiais a preços bem reduzidos, a quase nada. Assim acontecem os milagres do enriquecimento, sempre às custas dos explorados. É roubo. É desonesto.

Diante dessas verdades, passemos ao estranho e invulgar julgamento do “mensalão”. Da abertura desse processo até os dias de hoje, chega-se a 6 anos. Pelo número de pessoas acusadas e qualidade das provas apresentadas, foi extremamente rápido em relação à notória morosidade da justiça brasileira, onde milhares de processos tramitam por décadas e décadas, muitos, sem resultado algum.A brava Tribuna da Imprensa, por exemplo, há mais de 30 anos continua aguardando a justiça final e receber a justa indenização.

Sem dúvida alguma, no caso do mensalão, foi muito pouco tempo de julgamento e de maturação diante da dimensão de um processo de muitas dúvidas. Além disso, tudo em grande e impensável espetáculo público, contando com forte apoio da mídia alinhada.

Lugar de corrupto, entreguista e, traidor da Pátria, é na cadeia. Assim deveria ser. Entretanto, é muito complicado acreditar que as nossas comprometidas instituições, desta vez, estariam buscando fazer exemplar real justiça, quando tantos outros conhecidos e famosos corruptos e entreguistas continuam livres, poderosos, longe das leis, apesar de terem causados danos aos cofres públicos, infinitamente maiores.

Além disso, não podemos esquecer que a justiça brasileira sempre foi alvo de sérias acusações envolvendo magistrados. Com a devida ressalva para os honrados homens da lei, mas não consigo acreditar que desta vez, estaria sendo feita a exigida justiça, envolvendo importantes históricas figuras que bravamente expuseram suas vidas lutando contra a sangrenta e corrupta ditadura militar.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *