A filosofia do samba, na visão de um mestre chamado Candeia

Resultado de imagem para candeiaPaulo Peres
Site Poemas & Canções

O cantor e compositor carioca Antônio Candeia Filho (1935-1978), na letra de “Filosofia do Samba”, revela o substrato essencial de um sambista autêntico. O LP “Filosofia do Samba” foi gravado por Candeia, em 1976, pela Equipe.

FILOSOFIA DO SAMBA
Candeia

Prá cantar samba
não preciso de razão,
pois a razão
está sempre com dois lados.

Amor é tema tão falado,
mas ninguém
seguiu nem cumpriu a grande lei:
cada qual ama a si próprio,
“liberdade e igualdade”, onde estão,
não sei.

Mora na filosofia,
morou, Maria…
Morou, Maria?
Morou, Maria!

Pra cantar samba
veja o tema na lembrança:
Cego é quem vê
só aonde a vista alcança.
Mandei meu dicionário às favas:
mudo é quem
só se comunica com palavras.
Se o dia nasce,
renasce o samba.
Se o dia morre,
revive o samba.

Mora na filosofia,
morou, Maria…
Morou, Maria?
Morou, Maria!

3 thoughts on “A filosofia do samba, na visão de um mestre chamado Candeia

  1. Um Páis que deixa a cultura se perder nunca será uma Nação”””….

    Temos tantas coisas para mostrar, mas tudo se perde.
    Boa parte de nossa cultura ‘se perder” se deve a nossa Mídia Fascista que só penso no momento e no dinheiro fácil…
    Que o diga o Lixão, ou melhor o Esgoto da Rede Esgoto de Tevelisão………

    E Viva La France.!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *