A força de um corpo nu, na poesia de Dante Milano

O poeta e jornalista Dante Milano (1899-1991) nasceu em Petrópolis (RJ), filho do maestro Nicolino Milano e de Corina Milano. O seu irmão Atílio Milano foi também poeta. Neste poema “Corpo” ele mostra a força do amor na relação carnal.

CORPO
Dante Milano

Adorei teu corpo,
Tombei de joelhos.
Encostei a fronte,
O rosto, em teu ventre.
Senti o gosto acre
De santidade
Do corpo nu.
Absorvi a existência,
Vi todas as coisas numa coisa só,
Compreendi tudo desde o princípio do Mundo.

     (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

3 thoughts on “A força de um corpo nu, na poesia de Dante Milano

  1. Para iluminar a beleza da Poesia de Dante Milano, seu Pai foi o Autor da Música do belo Hino de Pernambuco, minha Amada Terra Natal e Berço da Nacionalidade Brasileira !

    Hino de Pernambuco
    Música: Nicolino Milano
    Letra: Oscar Brando da Rocha

    Coração do Brasil, em teu seio
    Corre o sangue de heróis rubro veio
    Que há de sempre o valor traduzir
    És a fonte da vida e da história
    Desse povo coberto de glória,
    O primeiro, talvez, do porvir

    (estribilho)
    Salve! ó terra dos altos coqueiros!
    De belezas soberbo estendal
    Nova Roma, de bravos guerreiros!
    Pernambuco, imortal! Imortal!

    Esses montes e vales e rios
    Proclamando o valor de teus brios,
    Reproduzem batalhas cruéis,
    No presente és a guarda avançada,
    Sentinela indormida e sagrada
    Que defende da Pátria os lauréis!

    Salve! ó terra dos altos coqueiros!
    De belezas soberbo estendal
    Nova Roma, de bravos guerreiros!
    Pernambuco, imortal! Imortal!

    Do futuro és a crença, a esperança,
    Desse povo que altivo descansa,
    Como o atleta depois de lutar…
    No passado o teu nome era um mito
    Era o sol a brilhar no infinito
    Era a glória na terra a brilhar!

    Salve! ó terra dos altos coqueiros!
    De belezas soberbo estendal
    Nova Roma, de bravos guerreiros!
    Pernambuco, imortal! Imortal!

    A República é filha de Olinda
    Alva estrela que fulge e não finda
    De esplender com os seus raios de luz.
    Liberdade um teu filho proclama,
    Dos escravos o peito se inflama,
    Ante o sol dessa Terra da Cruz!

    Salve! ó terra dos altos coqueiros!
    De belezas soberbo estendal
    Nova Roma, de bravos guerreiros!
    Pernambuco, imortal! Imortal!

  2. Muito bom ver que ainda tem quem se interesse pelos poetas, trovadores do passado, ainda mais nesse momento pela qual passamos, de INFANTILIDADES, DE SEXO, DE VIOLÊNCIA , nada mais … valoriza-se, apenas coisa fúteis …

    Prezado, não sei se é possível, mas necessito de contato com familiares de DANTE MILANO, para a devida autorização, visando a inclusão dele em livro sobre POETAS PETROPOLITANOS E POETAS QUE VIVERAM EM PETRÓPOLIS, falecidos. TAMBÉM, necessito saber de seu irmão, ATILIO MILANO, também poeta, teve algum relacionamento com Petrópolis, além de sua biografia. Consegui uma poesia … outras seriam bem vindas.
    Agradeço qualquer colaboração, Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *