A homenagem a Bernardo Cabral, o novo partido e a imortal Fernanda Montenegro

Com Fux, Comissão da OAB homenageia relator da Constituinte | VEJA

Bernardo Cabral discursa na homenagem da OAB  à Constituição

Vicente Limongi Neto

Por justiça e merecimento, a OAB Nacional homenageou os 33 anos da Constituição, por meio do relator-geral da Constituinte, o então deputado federal pelo Amazonas, Bernardo Cabral. A cerimônia foi transmitida pelo canal You tube da entidade. Discursos eloquentes marcaram a solenidade. Todos de respeito à Carta Magna e aos traços marcantes de Bernardo Cabral.

Os oradores lembraram e exaltaram a trajetória vitoriosa de Bernardo Cabral, como político, jurista, ex-presidente da OAB Nacional e defensor intransigente das liberdades individuais e dos direitos do cidadão.

Bernardo Cabral foi saudado pelo presidente do STF, ministro Luiz Fux, pelos ministros do STJ, Mauro Campbell e Luiz Felipe Salomão, pela presidente do TST, ministra Maria Cristina Peduzzi e pelo vice-presidente da Câmara Federal, deputado Marcelo Ramos.

OUTROS ORADORES – Também saudaram Cabral o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, o futuro presidente da entidade, Beto Simonetti,  o advogado Nabor Bulhões, presidente da Comissão Nacional de Defesa da República e da Democracia, pela conselheira decana, Clea Carpi da Rocha, e pela presidente do Instituto dos Advogados do Brasil, Rita Cortez.

Encontro cívico marcante. Meu coração ficou envaidecido com o convite para figurar na mesa de honra da abertura dos trabalhos. Mando daqui um abraço forte e respeitoso para o guerreiro Francisco BendI, agora morando nos braços de Deus, por haver solicitado que, depois da cerimônia na OAB, eu escrevesse na Tribuna da Internet sobre a iniciativa.

NOVO PARTIDO – “União Brasil”, belo e cívico nome. Com canelas, tênis e saliva em dia, prontos para encarar Lula e Bolsonaro. Fico na expectativa. Porque, é sabido, no Brasil, que as boas atitudes geralmente logo acabam diluídas e fracassadas.

Lula não esconde o triunfalismo. Cutuca os adversários. Passou a bater no mito de meia pataca como se não visse outros adversários no horizonte político sucessório. Garante que tem bala na agulha.

Bolsonaro, por sua vez, continua indeciso. Sem partido. Aparentemente tranquilo e educado. Para inglês ver. Mas está.

FIDELIDADE PARTIDÁRIA – Nessa linha, espera-se que a fidelidade partidária seja exigência da nova sigla. A união não pode ficar só no papel. O partido tem que evitar bola dividida. Também será preciso acompanhar as nuvens e as pegadas da árdua caminhada.

Avaliar se no meio do caminho o novo e empolgado partido não se transformará em clone do guloso “centrão”, grupo político famoso por mudar de lado quando os acontecimentos ficam sombrios e colocam em risco os interesses pessoais de seus membros.

Se for assim, tudo continuará como dantes, no quartel de Abrantes. Com brigas, safanões e insultos por todo lado. O que alegrará Lula e Bolsonaro.

NOTÍCIA ALVISSAREIRA – A consagrada atriz Fernanda Montenegro foi ungida pelos anjos da Casa fundada por Machado de Assis, para ocupar cadeira na Academia Brasileira de Letras.

Assim, ventos da abertura teatral voltam a ser plantados nos jardins, móveis e corredores da ABL. Com aplausos de Dias Gomes e Janete Clair, além de Nelson Pereira dos Santos, o grande cineasta que era membro da Academia Brasileira de Letras.

3 thoughts on “A homenagem a Bernardo Cabral, o novo partido e a imortal Fernanda Montenegro

  1. As vezes eu escrevia o nome dele errado, e ele dizia e reclamava que era para sacanea-lo. Agora, você não escreveu o nome dele correto, nem uma única vez.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *