A importância de dar maior poder de compra à classe média

Flávio José Bortolotto

O capitalista Nick Hanauer fala correto quando diz que, para acabar com o desemprego, é mais eficiente “dar poder de compra a uma classe média consumidora”, e, digo eu, principalmente aos pobres consumidores, do que baixar o imposto dos ricos.

A meu ver, também não adianta muito elevar bastante o imposto dos ricos, porque o capital escoa facilmente para a Suíça/paraísos fiscais e até para a bonita Bélgica. Olhem o caso da França atual.

Em Economia, para tudo tem um Ponto Ótimo, para a arrecadação de impostos também, e quase sempre é dado pela intersecção de duas curvas, uma de Oferta e outra de Demanda. Quem sair fora disso, nada contra a maré e constata que é duro dar socos em pontas de facas. É tudo uma questão de bom-senso e equilíbrio.

Mas isso nada tem a ver com a solução da crise, voltar ao pleno emprego com estabilidade de ereços. Em 1929 armou-se uma crise financeira semelhante à atual, e após muito desemprego, fome e tumultos, o grande presid. Franklin Roosevelt enfrentou-a com o programa New Deal, cujo principal alicerce foi o Glass-Steagall Act (Banking Act de 1933). Entre outras coisas, separava os bancos comerciais dos bancos de investimento, das seguradoras e casas de corretagem etc., etc., para que cada organização nunca ficasse “too big to fail” (muito grande para falir).

Também importante, Roosevelt criou o FDIC (seguradora que garantia toda conta de depósito em banco até US$ 50 mil cada conta). A lei é mais ampla, porém esse dado é o mais importante.

A coisa foi bem até 1992 quando o presidente Bill Clinton (pois é, os Democratas são tão bonzinhos) permitiu, lógico, junto com o simpático Partido Democrata, a Abrogação=Anulação da importante Lei Glass-Steagall. Não que os Republicanos atuais sejam muito melhores, mas esse demérito não tiveram.

Aí, a coisa ficou como o diabo gosta, agora as corporações eram “too big to fail, e as águias financeiras sabiam muito bem disso”. Houve expansão de bolhas até estourarem em 2007/2008, com recessão/estagnação.

A solução é trazer de volta a famosa Lei, fazer um novo New Deal, aperfeiçoado. E porque o simpático presidente Barack Obama não faz isso? Porque nenhum dos “ratos” (líderes políticos) tem coragem de ir colocar o sininho no pescoço do gato (setor financeiro).

É uma senhora sinuca de bico, mas depois de muito quebra-quebra isso vai ter que ser feito.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *