A lista de mil e uma utilidades

Carlos Chagas

Serviu para concluses variadas a divulgao da lista com 102 produtos americanos importados pelo Brasil e que sero sobretaxados a partir do fim do ms, alguns aumentados em at 100%. Primeiro, registre-se a reafirmao de nossa soberania, ficando demostrado no termos medo de cara feia nem de vigarices explcitas. Porque depois de vrios anos de luta, conseguimos que a Organizao Mundial do Comrcio aceitasse reclamao contra os subsdios dados pelo governo de Washington a seus produtores de algodo, estabelecendo concorrncia desleal contra nossa agricultura. Veio a ordem para que os Estados Unidos interrompessem o abusivo benefcio e eles deram de ombros. Nem ligaram. A OMC, em seguida, autorizou-nos a retaliar, subindo os percentuais do imposto de importao de produtos americanos.

Outro resultado dessa inevitvel reao brasileira que determinados produtos ficaro mais caros, inclusive remdios que vem l de cima. E trigo. A populao vai pagar.

Uma terceira concluso de que a trplica vir breve. Apesar de os americanos divulgarem estar dispostos a negociar, no se duvida de que tambm preparam a sua lista. Nossos produtos de exportao sero sobre-taxados, tero seus preos aumentados no mercado, prejudicando os exportadores nacionais.

Ressalte-se ainda, do conhecimento dos produtos americanos que ficaro mais caros para entrar em nosso territrio, a hilariante existncia de suprfluos de que nem tnhamos conhecimento. Por exemplo: importamos tripa de porco e sebo de boi, apesar do tamanho do nosso rebanho. Tambm pras, cerejas e ameixas, no obstante a extenso de nossos pomares. O que dizer das batatas fritas e do chiclete sem acar que vem de l? E do ketchup? Para que importarmos calas jeans, creme de barbear, dentifrcio e xampus, se produzimos aqui, melhor e mais barato?

Vale repetir, a lista serve para revelar desperdcios sem conta, porque os dlares gastos nessas bobagens, se ficassem no Brasil, poderiam ser aplicados em escolas, hospitais e outras necessidades. Debite-se esses exageros petulncia de nossas elites. arrogncia das camadas privilegiadas que se gabam de comer lagostas do Maine e usar jias de ouro da Califrnia. Bem feito, pelo menos vo pagar mais pela ostentao, ainda que fique bvio para a populao normal o prejuzo com relao a produtos essenciais. A comear pelos referidos remdios, muitos que no fabricamos.

ANIMAIS FEROZES, S NA JAULA

A nao nem se estarrece mais, de to repetidos esses dramas. Um animal, ainda por cima embriagado, dirigiu vinte quilmetros na contramo, a 120 por hora, na rodovia Raposo Tavares. No final, matou um casal que viajava em sentido contrrio. Em poucas semanas estar em liberdade.

Nem preciso lembrar outros exemplos. Esto todos os dias nas pginas de jornal, sob formas variadas. Arrastaram um menino por diversos quarteires. Atropelaram e mataram famlias inteiras.

Fosse na China e rapidamente teriam recebido um tiro na nuca. No vamos chegar a tanto, apesar do obvio resultado que fluiria de um plebiscito nacional sobre a pena de morte.

Mas condenar esses animais jaula por toda a vida seria o mnimo a esperar de um estado democrtico organizado. Jamais a impunidade registrada de formas to variadas.

IGNORNCIA IMPERDOVEL

Muito se tem combatido a obrigatoriedade do diploma de jornalista, atitude maliciosa de quantos pretendem enfraquecer a profisso ou amold-la aos prprio interesses.

O diabo que um dos argumentos utilizados vem sendo a m qualidade do ensino nas respectivas faculdades. Infelizmente, se no isso, quase isso.

Tome-se a pgina 8 do jornal O Globo de ontem, numa reportagem sobre a taxa de investimentos verificada no Brasil nos ltimos governos. Com direito a fotografias, so mostrados diversos presidentes da Repblica e os resultados econmicos de seus perodos.

Logo o primeiro apresentado como Emlio Garrastazu Neves…

Do reprter ao editor de rea, do digitador ao diagramador, do editor-chefe aos diretores, so todos responsveis pelo vexame. Porque um jornal no pode ir para a rua com uma barbaridade dessas. Sem que ningum se tenha dado conta da monumental ignorncia. Ainda mais porque Neves foi o Tancredo, em tudo e por tudo muito diferente do Emlio.

A MODA PEGOU

O presidente Lula conhecido por dizer impropriedades de improviso. No vai mudar. O grave assistirmos a moda pegar. Dessa vez foi o senador Tasso Jereissatti, alis, contumaz na prtica. A pretexto de apressar Jos Serra a entrar em campanha, declarando-se candidato e passando a viajar pelo pas, o ex-governador do Cear exortou o governador de So Paulo a “cair na vida”. Se as coisas no mudaram depois da plula e da independncia das mulheres, “cair na vida” significa… Bem, deixa para l.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.