A livre expressão no Blog e a falta de respeito entre comentaristas

Carlos Newton

Este Blog foi criado em busca da utopia da livre expressão e do respeito entre os comentaristas. Suas regras são simples, ninguém está proibido de participar, basta não ofender aos outros. Caminhamos bem durante anos, mas pouco a pouco o Blog foi se modificando. Hoje as ofensas prevalecem, não se sabe mais para que serve este espaço.

Recordar é viver. Esta mudança de rumo começou quando o comentarista Vicente Limongi Netto apoioi aqui o senador Collor de Mello, para o qual então trabalhava e tinha até obrigação profissional de defendê-lo. Foi o que bastou. A partir daí, não teve mais sossego. Sempre que escrevia um artigo ou fazia um simples comentário, era um festival de ofensas, sempre ligadas a Collor. Sem a menor dúvida, Limongi passou a ser perseguido de forma implacável, mas não pelo que escrevia, apenas por ter defendido Collor.

Este sábado, publicamos um artigo dele sobre o gravíssimo problema da insegurança em Brasília, tema que vem sendo abordado aqui também pelo comentarista Francisco Vieira. Praticamente não houve comentários sobre o assunto, apenas ofensas e mais ofensas a Limongi e a Collor.

É como se o jornalista Vicente Limongi Netto estivesse proibido de aqui escrever. Enquanto viver, não poderá publicar um só artigo nem comentar nenhum assunto, porque imediatamente outros comentaristas passarão a ofendê-lo, e ele não pode sequer replicar, vejam bem que condenação ampla, geral e irrestrita.

Este tipo de comportamento coletivo, sectário e irracional, é conhecido também pelo nome de censura. Pensem nisso, porque censura é um procedimento covarde e inaceitável. Aqui na Tribuna da Internet, que um dia sonhou em ser um espaço aberto e verdadeiramente democrático, nenhum tipo de censura pode ser aceitável, especialmente quando a censura se confunde com linchamento moral.

Nota-se este procedimento também em relação a Leonardo Boff e Mauro Santayana, dois homens de bem, dignos de respeito e que merecem ter espaço para apresentar suas ideias. Afinal, se é para este Blog se tornar um espaço de pensamento único, é melhor acabar logo com ele.

###
PS1- Por fim, ao escrever esse texto, me veio à cabeça o trabalho incansável de dois grandes juristas: Sobral Pinto e Jorge Béja, que se notabilizaram por defender os despossuídos e os perseguidos, sem nada lhes cobrar. Toda pessoa tem direito de defesa, não importa o que tenha feito. Lembro que Dr. Sobral tinha horror do comunismo, era católico praticante, ia todo dia à missa, mas defendeu com uma garra impressionante o direito de Luiz Carlos Prestes ser comunista. Que lição de vida, hein?

PS2 – Li, há pouco, que Francisco Bendl quer parar de escrever. Espero que pense melhor e não nos deixe. As disputas e divergências passam, o importante é o que fica.

32 thoughts on “A livre expressão no Blog e a falta de respeito entre comentaristas

  1. Esse senhor não aceita críticas a seu patrão, já chamou a todos de porcos. Da mesma forma que ele tem o direito de defender o seu patrão os outros tem de atacá-lo . Quem sempre usou palavras de baixo calão e ameaças físicas, talvez se aparando no conforto físico e na lei do idoso foi ele. As vezes chega a ser tão covarde que ontem me chamou de Machado de Assis, para não assumir nem uma crítica direta. Talvez esse senhor não goste do Machado por causa do conto ” O Medalhão “. O corporativismo entre jornalistas superou o bom senso. Não sei sobre o Bendl, mas eu fui….

      • Voltei somente para agradecer o apoio. Veja a política que ele gosta.
        1) Tudo foi causado por uma acirrada rixa regional. Péricles, que andava armado, prometeu matar Arnon, que pôs um Smith Wesson 38 na cintura e marcou discurso para desafiá-lo. Péricles conversava com o senador Arthur Virgílio Filho (PTB-AM), pai do atual líder do PSDB, Arthur Virgílio Neto. Arnon provocou e Péricles partiu para cima, gritando “crápula!”.
        Arnon não deixou o rival se aproximar: sacou o revólver, mas antes que atirasse, Péricles, mais rápido, apesar dos 67 anos, jogou-se ao chão, enquanto sacava sua arma. O senador João Agripino (UDN-PB), tio do atual líder do DEM no Senado, José Agripino (RN), atracou-se com Péricles para tirar-lhe a arma. Kairala tentou ajudar, mas foi atingido pelo segundo disparo de Arnon. Os dois contendores foram presos; em dias, o Senado deu licença para que fossem processados. Ambos acabaram absolvidos.

        Kairala, de 39 anos, tinha três filhos, entre 2 e 6 anos, e deixou a mulher grávida. Era um suplente, assumira seis meses antes e devolveria o mandato ao titular, José Guiomard, no dia seguinte. No Senado, teve tempo de fazer 13 discursos e apresentar só dois projetos. Levava a mesma inicial carismática – JK – consagrada por seu colega de bancada Juscelino Kubitschek.
        Em 8 de junho de 1967, houve outro tiroteio, só que na Câmara. Dias antes, os deputados Nelson Carneiro (MDB-RJ) e Estácio Souto Maior (MDB-PE), pai do piloto Nelson Piquet, discutiram asperamente na disputa pela presidência da União Interparlamentar. Souto Maior então deu um tapa em Nelson. Às 12h30 daquele dia, este encontrou Souto Maior conversando com o deputado Milton Reis (MDB-MG), em frente à agência do Banco do Brasil, no hall inferior.
        2- Antonio Albuquerque (PTdoB-AL)
        Cargo que disputa: deputado estadual
        Preso em 2008 na Operação Ressurgere
        Acusação: responde por crime de pistolagem e formação de quadrilha. Foi preso juntamente com o deputado Cícero Ferro e outros aliados. O parlamentar teria participação no assassinato do policial militar José Gonçalves da Silva Filho, em 1996. Foi solto por habeas corpus. Em depoimento à Justiça, um ex-tenente-coronel da Polícia Militar ratificou as acusações
        3- Cícero Ferro (PMN-AL)
        Cargo que disputa : deputado federal
        Preso em 2009 na Operação Taturana
        Acusação: envolvimento no esquema de desvio de verbas da folha de pagamento na Assembleia Legislativa, descoberto pela Polícia Federal na Operação Taturana. O processo tramita em segredo de justiça, onde o parlamentar está identificado como C. P. F. Por conta deste processo, Ferro chegou a ser afastado da Assembleia, mas retornou ao mandato por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Também é acusado de ser o autor intelectual do assassinato do vereador Fernando Aldo.
        4- João Beltrão (PRTB-AL)
        Cargo disputado: deputado estadual
        Preso em 2008 na Operação Ressurgere
        Acusação: ser o mandante do assassinato do cabo Gonçalves, da Polícia Militar, assassinado em Maceió a tiros em 1996; em abril deste ano, foi denunciado pelo Ministério Público Estadual, acusado de matar o bancário Dimas Holanda, em 1997. Sete pistoleiros usaram o carro do deputado para executar a vítima.
        5- A TV Senado foca a todo momento, na transmissãoda eleição do presidente, no meio dos demais senadores, um senhor todo vestido de branco, não aparece o sapato, mas se aparecesse mostraria que está calçado com uma sandália, bem nordestino. Trata-se do ex-senador Ney Maranhão que foi fiel ao então presidente Fernando Collor até ao último momento do processo de impeachment. Veio a Brasília para assistir a volta de Collor ao parlamento.
        Ney Maranhão é uma pessoa singular,nordestino autêntico, político à antiga, bom contador de casos, sua origem política é o PTB de João Goulart a quem também foi fiel e, por isto, cassado em 1964, junto com a queda do presidente.
        Conheci o senador Maranhão em 2002, no período em que fui porta voz do presidente Collor. Certa vez vi na pasta aberta do senador Maranhão um revolver 38 e comentei:
        “O senhor carrega sempre este 38?”.
        O senador respondeu:
        “Não, meu filho, não é sempre que estou com este revolver. Tenho uma pistola 45 para andar em Recife, basta tiro dela para estourar o motor de um carro. Na fazenda no interior tenho uma metralhadora e o “38″ uso aqui em Brasília, é arma leve, só serve para atirar nos amigos”.

        PS. : Agora fui de vez. Abs.

    • Sei que sou insignificante em termos de comentario, mas tenho certeza do meu carater e amor a meu Brasil,por isso não posso compactuar com a forma agressiva que um determinado jornalista defensor do senador Color de Melo agiu com meus colegas Bendl,Virgilio e Dorothy.Sei que o CN não é obrigado a defender nenhum de nos,mas considero que o ditado popular é correto”pau que da em chico tem que dar em Francisco” e assim sendo não concordo com a defesa do citado jornalista pelo moderador da coluna.Se o cidadão agrediu ou se sentiu agredido tem todo direito de rebater ou em caso contrario tambem levar o troco na mesma moeda.Só pra lembrar o citado senador não é nenhum santo e as acusações que recaem sobre ele são incontestaveis e o Brasil inteiro sabe disso,portanto como tem foro privilegiado terá recurso pra se defender.Quanto ao jornalista,precisa aprender a conviver com criticas sejam elas boas ou ruins e saber respeitar a opnião dos outros de forma civilizada.

  2. Caríssimo CN,

    O comentarista a quem o senhor se refere, que apoia aqui – ERRADAMENTE, POIS DEVE FAZE-LO NOS INQUÉRITOS POLICIAIS E NAS BARRAS DOS TRIBUNAIS ONDE O SENADOR É ACUSADO DE ENVOLVIMENTO EM VÁRIOS ESCÂNDALOS DE CORRUPÇÃO. VIDE 20 MILHÕES DA UTC – o senador Collor de Mello constrange a todos os articulistas e leitores da TI com frases e palavrões somente publicáveis em sites de pornografia. me SOLIDARIZO com Bendl, Virgilio e demais que são atacados COVARDEMENTE pela tosca figura.

    sds

  3. Eu acho que:
    1) não publicar comentários ofensivos, como muitos blogs o fazem.
    2) ignorar completamente, porque quem ofende quer se notabilizar.

    • Carlos,
      A internet, tanto nos blogs como nas redes sociais, faz com que muitas pessoas, ao discutirem qualquer tema, passem por cima da mais elementar boa educação quando se dirigem aos outros, seja pelo escudo do anonimato seja por não estarem diretamente frenta à frente uns com os outros, e se escudam na distância física.
      Esta possibilidade de escrever, aparentemente impunemente, o que pensa traz à tona o que de melhor e pior há no interior das pessoas. Os preconceitos, a inveja, a agressividade, a irresponsabilidade, a facilidade de mentir, ficam todos mais evidentes.
      Isto para não falar nos comentaristas, em todos os blogs, alguns até mesmo pagos por terceiros, que se infiltram especificamente para espalhar uma orientação política e combater as outras.

      Não me agrada que as pessoas usem pseudônimos para comentar no blog, mas reconheço que em um ou outro caso sintam essa necessidade por medo de restrições profissionais quanto a terem sua identidade revelada junto com suas opiniões. Mas de mdo geral não assinar em baixo do qie se escreve é falta de coragem. Como diz o ditado, ” se não sabe brincar não desça para o playground”.
      Este é o preço da democracia, Carlos. Não se pode ouvir só o que a gente quer, nem só do jeito que a gente quer.
      Na minha opinião, o blog deveria ter uma moderação muito específica, e que fosse do conhecimento de todos, onde os posts com ofensas pessoais fossem barrados. Todos os outros seriam liberados. Tenho certeza que os nossos bons comentaristas têm maturidade suficiente para simplesmente desconsiderar os comentários depreciativos. E, evidentemente, para valorizar ou não os comentários de acordo com a postura e a educação de quem os escreve.
      Quanto ao receio que você tem do Bendl parar de escrever (eu não encontrei esta intenção nos comentários que li) só posso dizer que ele é um dos melhores comentaristas deste blog, pela honestidade intelectual, pela fina educação e pelo bom senso com que encara os problemas, e que se ele parar vai nos fazer muita falta. Mas é, naturalmente, uma decisão que só cabe a ele.
      Um abraço do
      Wilson

  4. me sinto inteiramente a vontade para escrever praticamente tudo o que penso e quero, por isso dou total apoio ao colunista na sua tentativa de moderacao.

    • Willy Sandoval,

      Não adianta MODERAR somente uns comentários e publicar aqueles que somente deveria ser publicados em sites de pornografia onde provavelmente o autor se deleita e nutre o seu mau caratismo.

      sds

  5. O cidadão a que se refere, sempre foi e é notório defensor de políticos e empresários cuja moral rasteja pelas raias da sujeira. Em defesa de seus “protegidos” chega a nominar, com substantivas e chulas palavras de desrespeito (porcos, por exemploo), aqueles que se manifestam contrários às suas colocações; e sempre atirou a primeira pedra. Mas concordo plenamente: fácil notar a regularidade em que a incidência de comentários grosseiros e insanos vem ocorrendo e que o bom senso aconselha passar batida a leitura.

    • Caro Luiz Álvaro,

      É ridícula a lista de INDEFENSÁVEIS que a tosca figura tenta PROTEGER. Em breve o mesmo bradará VIVA JACK, O ESTRIPADOR.

      sds

  6. Peraí, Carlos: Limongi como assessor de Collor tem que cumprir “obrigação profissional de defendê-lo” aqui, na Tribuna? Você não acha que ele escolheu a tribuna errada para exercer seu “profissionalismo”? Aliás, se Limongi defende Collor profissionalmente em tribunas legítimas – ou em qualquer outro lugar – adotando a mesma linha de conduta que adota aqui, eu temo pelo futuro do senador.

    Além disso, Carlos, da maneira que você colocou as coisas, quem chegar de surpresa vai até sentir peninha do Limongi ao ler seu post, quando todos que aqui frequentam sabem muito bem que não é assim que a banda toca. Em que pese sua suposta amizade com ele e o site ser seu, esse negócio de “aos amigos, tudo, e aos inimigos, a lei” faz um mal danado a qualquer atividade aberta ao público.

  7. CN, melhor que ele se afaste, pois todos foram xingados gratuitamente por ele. Suas falas não agregam nada, aliás desagregam e tentam nos limpar mentalmente.

  8. A melhor forma de contrapor os defensores de crápulas é simplesmente passar batido pelo que escrevem. Acompanho diariamente esta tribuna, e quando vejo algum nome de autor que considero desprezível segundo minha inteligência (ainda em construção), passo para o próximo artigo. Não sou obrigado a ler o que desprezo, escrito por seres que nem conheço profundamente, mas que me parecem alienados do contexto que os rodeia.

  9. Manifestei em comentario suspeita sobre o Collor, quando da sabatina do Janot, nao haver efetuado a denuncia que faz agora, o Limongi respondeu sem ofender-me. Nao me chamou de “anonimo” ou “entendido”, como um conhecido queridinho do blog aqui anteontem. Muitos querem empurrar na marra ideias e outros desesperados por terem perdido com seus candidatos. Partem para a intolerancia e apelacao para a ignorancia nas redes sociais.

  10. Eu não entendo porque tanta confusão. Eu, por exemplo, já tentei ler o texto de várias pessoas que escrevem periodicamente na tribuna da internet. Alguns, eu não consigo ler todo o texto e outros eu não perco meu precioso tempo. O motivo, segundo a minha leitura, e de que alguns indivíduos que colaboram com este espaço confundem verdade com crença e tornam-se defensores de causas perdidas. Eu so posso lamentar as pessoas que não questionam as suas crenças. Eu mesmo já tomei algumas decisões que posteriormente compreendi que foram totalmente infundadas (por exemplo, votar no Lula em minha juventude). Hoje, cada vez torna-se mais claro, que o político brasileiro, independente de sigla política, não está trabalhando em prol da sociedade. Ele faz parte do interesse constituído de aproveitar o mandato para enriquecer a si próprio, sua família e seus correligionários. Hoje, eu penso o político como um ser que deu errado em sua profissão (médico, professor, administrador, etc) e a política foi o que lhe restou. Na política, este ser desprezível encontra tudo o que a maioria dos seres humanos tanto sonhou, ou seja, poder e dinheiro. Então, nós elegemos pessoas totalmente desqualificadas técnica e desprovidas de ética. Os resultados não poderiam ser diferentes do que estamos assistindo. Infelizmente esta e a realidade para mim. Saída: ou os homens mudam e não precisaremos de sistemas para vigia-los ou aprimora-se o sistema para poder controlar e punir os homens que se desvirtuam no poder. Simples assim. Boa tarde a todos.

  11. Posso perguntar por que você lê e comenta neste blog ?
    Tem muito blog na internet, e sei do que tratam, que nem me dou o trabalho de ir ler as matérias, pois sei de antemão que dificilmente concordarei com elas.
    Logo, nem vou lá.
    E você, por que vem aqui atacar gregos e troianos ?

  12. Sr. Carlos Newton,
    O referido Sr., em um dos seus comentários sobre o Verdadeiro Budismo, escrito por mim, ele desrespeitou o Seu BLOG, a mim e aos Budas SAKYAMUNI e NICHIREN DAISHONIN, autores do texto que retransmiti. Por mim, tudo bem, mas a Lei do Dharma o aguarda. Quem morrer, verá!.

  13. Eu fico CN. Quem andou se insultando por aqui foi porque quiz. No seu lugar estaria muito chateado com tudo isso, mas fazer o que? O site eh amplamente democratico e quem tem maturidade sabe aproveitar os otimos textos que voce publica.

  14. Parabéns, CN, a Tribuna não pode se transformar, como estava se transformando, na tribuna mais fascista da internet, não pela opinião de seus leitores, mas pelos insultos rasteiros e covardes, contra quem escreve aqui.

  15. Uma coisa é respeitar o direito do outro opinar, outra muito diferente é aceitar a outra opinião. Ora, ter uma opinião por si só já pressupõe que ela seja melhor que a outra. Aceitar ou “respeitar” a outra opinião só é possível se não tenho certeza de minha opinião/ideia ou por não acreditar em nenhuma delas. Assim, não há como ter respeito a opiniões/comentários que pretendem manipular, no subterfúgio de frases mal-intencionadas, ou estão afiliadas com o que de mais horrendo, abjeto, nojento em termos de violação da liberdade e da vida de seus próprios cidadãos a humanidade já presenciou. Quem defende bandido, ou é advogado, ou bandido é. Ou numa hipótese menos pior, é muito, mais muito ingênuo. Não há como ser relativista ou complacente com estes comentaristas. Não é uma questão de opinião, nestes casos, é uma questão da sobrevivência de nossa sociedade, nossa civilização ocidental. Como Popper disse: “Não devemos aceitar sem qualificação o princípio de tolerar os intolerantes, se não corremos o risco de destruição de nós próprios e da própria atitude da tolerância”. É tolerância zero para esse pessoal.

  16. Newton, você nunca se prevaleçeu por ser o dono do Blog. Você é uma pessoa de bem e do bem. Sua opinião para mim é sempre desejada e livre. Qualquer pessoa pode questionar o que você escreve, mas dizer o que voce deve fazer, não. Faça e escreva o que quizer, os que lhe respeitam saberão entender o teu momento e dar o desconto devido. Se este Blog fosse de uma facção religiosa ou política ainda poderiamos entender as queixas. Mas aqui no Blog sendo todos de boa fé podem escrever e dizer o que quizerem. Sei que aqui alguns jogam pedras usando de palavras e frases aparentemente elegantes. E quando jogamos em resposta um pedregulho se sentem ofendidos, machucados, doloridos e quase sempre insinuam o alijamento do frequentador. Já aconteceu comigo. Confesso que também já reclamei quando um frequentador partiu para ofender minha família, pois assim é demais. O resto é o resto, ninguém de bom senso, vai deixar de participar. A democracia não se alimenta do SILÊNCIO DOS CEMITÉRIOS. Tem que haver acirramento, discussão, defesa inclusive daqueles que que nós condenamos. Devemos dar o direito de qualquer pessoa externar seus sentimentos; seja de aplauso ou revolta. Na democracia vaia, crítica, ironia, aplauso, louvação tem o mesmo valor. Seria triste que aqui só frequentassem “Sacerdotisas de Vesta”. Para encerrar: Nenhum Blog dá a oportunidade de exercitarmos a domocracia tão livremente como o Blog Tribuna da Internet.

    • Antonio, eu concordo com voce o blog é sem duvida o melhor do Brasil mas precisamos separar o joio do trigo(será que este cidadão não ta querendo semear o joio na nossa seara e dividir todos de que tem boa indole?)se não tomarmos atitudes agora perderemos toda colheita.Com a palavra o CN.

  17. Colegas desta e de outras trincheiras virtuais de luta pela alforria do Brasil, a intenção dos que fomentam o ódio é exatamente afastar os que praticam o bom combate de idéias, especialmente Virgílio, Bendl, Dorothy e demais bem intencionados, não é hora de recuar. O partido do crime está acuado e o momento exige que mantenhamos acessa a chama da indignação. Quem insulta outrem deve saber que terá como resposta o insulto de alguem.

  18. Já postei neste espaço, comentário sobre varios escrivinhadores que se limitam a criticar gratuitamente, não colocam o que pensam, não oferecem o contraditório, simplesmente
    procuram disseminar a cisânia. Certamente com o intuito de forçar que escribas de uma fidalguia, de um verbo proficuo como BENDL, pense em abandonar este espaço, que deve se primar pelo respeito e pela tolerância. Escuridão nunca mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *