A Lua branca que levava conforto à tristeza de Chiquinha Gonzaga

Resultado de imagem para chiquinha gonzagaPaulo Peres
Site Poemas & Canções

A regente, pianista e compositora carioca Francisca Hedwiges de Lima Neves Gonzaga (1847-1935) invoca a verdade de que a “Lua Branca” concede abrigo ao amor, para substituir o sofrimento que uma perda acarretou. A modinha “Lua Branca” faz parte do LP Ternas e Eternas Serestas lançado, em 1980, pela Atlantic/Wea.

LUA BRANCA
Chiquinha Gonzaga

Ó, lua branca de fulgor e desencanto
Se é verdade que ao amor tu dás abrigo
Vem tirar dos olhos meus o pranto
Ai, vem matar essa paixão que anda comigo
Ai, por quem és, desce do céu, ó, lua branca
Essa amargura do meu peito, ó, vem, arranca
Dá-me o luar de tua compaixão
Ó, vem, por Deus, iluminar meu coração
E quantas vezes lá no céu me aparecias
A brilhar em noite calma e constelada
E em tua luz então me surpreendias
Ajoelhado junto aos pés da minha amada
E ela a chorar, a soluçar, cheia de pejo
Vinha em seus lábios me ofertar um doce beijo
Ela partiu, me abandonou assim
Ó, lua branca, por quem és, tem dó de mim

3 thoughts on “A Lua branca que levava conforto à tristeza de Chiquinha Gonzaga

  1. Francisca Edwiges Neves Gonzaga, mais conhecida como Chiquinha Gonzaga foi uma compositora, pianista e regente brasileira. Filha de uma negra com um militar, teve como padrinho o Duque de Caxias. Foi uma mulher que viveu adiante de seu tempo, sempre apaixonada pela música – piano e violão eram seus companheiros prediletos. Produziu muitas composições, destacando-se “Abre Alas” e Lua Branca.
    Lua Branca é uma linda súplica de amor
    “Se é verdade que ao amor tu dás abrigo
    Vem tirar dos olhos meus o pranto
    Ai, vem matar essa paixão que anda comigo” “Desce do céu, ó Lua Branca”.
    Gravada, lindamente, pela Deusa Maria Betânia, Verônica Sabino, Dilermando Reis e Francisco Petrônio, a incrivel Joana . Lua Branca ilumina as noites de serestas em qualquer lugar deste mundo. Ouvi em Diamantina, tanto na Vesperata, como pelos Seresteiros que andam pelas ruas da cidade. Pode-se dizer que Chiquinha Gonzaga viveu iluminada pela Lua Branca.
    Linda homenagem à Chiquinha Gonzaga, Paulo Peres. Você também é iluminado.

  2. Chiquinha Gonzaga, compositora, maestrina, pianista é responsável por inúmeras composições. Ô Abre Alas uma marchinha para o carnaval está viva até hoje nos salões de folias.
    A Globo fez uma mini série com Chiquinha Gonzaga em que os atores Regina Duarte e Caio Blat viveram uma linda história de amor, reproduzindo, o romance de Chiquinha durante o com um amor muito mais novo que ela. Foi o segundo casamento dela. O primeiro com um rico proprietário de terras, não deu certo poque ela tinha ciumes da música que ela trazia na alma.
    https://youtu.be/7eCrMNfIvfE
    Ó Abre Alas
    Marchinhas de Carnaval

    Ó abre alas
    Que eu quero passar
    Ó abre alas
    Que eu quero passar

    Eu sou da Lira
    Não posso negar
    Eu sou da Lira
    Não posso negar

    Ó abre alas
    Que eu quero passar
    Ó abre alas
    Que eu quero passar

    Rosa de Ouro
    É que vai ganhar
    Rosa de Ouro
    É que vai ganhar

  3. Fiquei curioso a respeito do Hedwiges do nome de Chiquinha Gonzaga. Encontrei o que segue no Google. O texto é fácil, até eu entendi.

    Hedwig is a German feminine given name, from Old High German Hadwig, Hadewig, Haduwig. It is a Germanic name consisting of the two elements hadu “battle, combat” and wig “fight, duel”. … A German and Dutch diminutive is Hedy.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *