A Lua surgiu e inspirou um poeta chamado Guimarães Rosa

O médico, diplomata, romancista, contista e poeta João Guimarães Rosa (1908-1967), nascido em Cordisburgo (MG), é um dos mais importantes escritores brasileiros de todos os tempos, sendo o romance “Grande Sertão: Veredas”, em que ele qualifica como uma “autobiografia irracional”, a sua obra mais conhecida. Entretanto, Guimarães Rosa também enveredou pelos veios poéticos, conforme o poema “Luar”, cujos versos revelam todo o poder que a Lua exerce na imaginação, na criação e na inspiração do poeta.

LUAR
Guimarães Rosa

De brejo em brejo,
os sapos avisam:
–A lua surgiu!…

No alto da noite as estrelinhas piscam,
puxando fios,
e dançam nos fios
cachos de poetas.

A lua madura
Rola, desprendida,
por entre os musgos
das nuvens brancas…
Quem a colheu,
quem a arrancou
do caule longo
da via-láctea?…

Desliza solta…

Se lhe estenderes
tuas mãos brancas,
ela cairá…

         (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

2 thoughts on “A Lua surgiu e inspirou um poeta chamado Guimarães Rosa

  1. Peres, desculpe a abordagem: penso que, por ser muito boa a sua coluna de poesias e canções é que ela tem ótimas vibrações e por isso conversamos com um amigo virtual que estava falando de sua dor. A poesia e a música, sabemos todos, tem um efeito terapêutico: musicoterapia, Literapia, poematerapia, versoterapia…
    Interpretações religiosas tb fazem parte da Cultura Nacional, por exemplo, hoje, ler este belo poema de GR me faz lembrar que, no final da década de 1970, uma professora da Faculdade de Letras da UFRJ, fez belíssima dissertação de mestrado interpretando o Esoterismo presente na obra de Guimarães Rosa. No Banco de Teses da citada faculdade a mesma lá se encontra. Abraços de bom domingo !

    • Antonio, agora entendi o objetivo da conversa dos amigos virtuais e peço a Deus que tudo se resolva, rapidamente. Saiba que, ontem coloquei aquele comentário porque pensei se tratar de pessoas de certas religiões cujo objetivo é dominar todos os meios de comunicação.

      Abs,
      Paulo Peres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *