A maquiagem das contas e o conceito de dívida líquida

Wagner Pires

Não há razão para qualquer país do mundo utilizar o conceito de dívida líquida para balizamento e controle de seu estoque. Não, os juros da dívida incorrem sobre toda a dívida. Portanto, é um engodo falar-se em dívida líquida. O rombo só é devidamente dimensionado quando visualizada a dívida bruta, sobre a qual, como já disse, incorre os juros.

Quanto à contenção dos preços da energia elétrica ou a transferência de sobrepreços para o Tesouro Nacional (que até então vinha sendo feita através da conta de desenvolvimento energético, a chamada conta CDE), essa política equivocada terá de ser suspensa. Os mais de R$ 9 bilhões que ficaram a encargo do Tesouro, serão agora transferidos à tarifa pública de energia elétrica e arcados pela população.

Todos os preços e tarifas públicas que o governo represou para mascarar a inflação real, sem dúvida, agora terão de ser reajustados.

O pior é que será dificílimo acabar com esta inércia negativa nas contas do governo, tomando-se o cuidado para que esse freio, necessário, não repercuta em uma terrível recessão daqui por diante. Por isso, a necessidade de um ajuste fiscal gradual.

ECONOMIA RECESSIVA

O problema é que, mesmo sem o ajuste, já estamos vivendo uma economia recessiva. Com toda certeza, 2015, 2016 e os anos seguintes não serão fáceis para o Brasil. De maneira alguma. Ao que parece, o ano que está chegando será para consolidação dos ajustes, enquanto 2016 seja o ano do arrocho financeiro para o país e toda a população. Lembrando que os ajustes para o salário mínimo já estão comprometidos para 2016, pelo resultado do PIB, neste ano, que irá compor o cálculo do reajuste naquele período.

O quadro econômico do país, para quem não vive de rendas e investimentos no setor financeiro, isto é, para a maioria da população, reflete uma realidade dramática para a maioria das famílias brasileiras, a ser vivenciada a partir dos próximos meses, passando a atingir o auge do aperto já no início de 2016.

A realidade que começamos a enfrentar já em 2014 foi proporcionada por sucessivos erros da equipe econômica de governo, que quis sustentar, artificialmente, toda a economia nacional por meio da dívida pública, de forma irresponsável, atolando o país em uma armadilha de estagflação.

Agora a população está sendo chamada a arcar com as consequências dos atos irresponsáveis desta equipe de governo. E não pagaremos essa conta em menos de quatro anos.

 

3 thoughts on “A maquiagem das contas e o conceito de dívida líquida

  1. Tem toda a razão o ilustre articulista Sr. WAGNER PIRES em explicitar que: os Juros incidem sobre a Dívida Pública Bruta. A Presidenta DILMA, embora com a melhor das intenções, com suas Medidas Econômicas criou INSEGURANÇA nos Mercados, o que é fatal para o Investimento Privado. Para compensar a desaceleração de Investimentos Privados, especialmente em ano de eleição, teve que “dar pedaladas” e tentar “esconder o aumento do Deficit Publico” via “criatividade Contábil”, e aumentar o Investimento Público, para compensar. Para esfumaçar a situação, toldar a visão do Povo, porque dos Mercados não esfumaçou a situação, uma vez que estes enxergam até no escuro, alardeava aos quatro ventos a situação de nossa Dívida Pública Líquida. Com isso manteve baixo o DESEMPREGO e a INFLAÇÃO dentro do teto da Meta de 6,5%aa, e ganhou as Eleições.
    O Ministro da Fazenda por quase 9 anos, o Sr. GUIDO MANTEGA foi vítima de sua própria competência, porque fez tudo o que foi necessário para sua Patroa ganhar a Eleição Presidencial, e agora para reconquistar a CONFIANÇA do Mercado, esta friamente lhe demite antecipadamente, e nomeia um novo Ministro da Fazenda, Sr. JOAQUIM LEVY, ( de agora em diante Czar da Economia), que deve restabelecer o TRIPÉ que MANTEGA teve que abandonar momentaneamente para ganhar as Eleições Presidenciais, andando SÓ NUM PÉ, e restituir a CONFIANÇA DO MERCADO.
    Sou mais otimista que o Sr. WAGNER PIRES, com baixíssimo crescimento mas sem Recessão, em 2015 e 2016 o Sr. JOAQUIM LEVY “arrumará a casa”, e o País voltará a crescer a partir dali.
    Assim é a vida Política.

  2. Pingback: A maquiagem das contas | Debates Culturais – Liberdade de Idéias e Opiniões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *