A “nota” da Petrobras e a “nota” da Moody’s

Mauro Santayana
Jornal do Brasil

A agência de classificação de “risco” Moody´s acaba de rebaixar a nota de crédito da Petrobras de Baa2 para Ba2, fazendo com que ela passe de “grau de investimento” para “grau especulativo”.

Com sede nos Estados Unidos, o país mais endividado do mundo, de quem o Brasil é, atualmente, o quarto maior credor individual externo, a Moody´s é daquelas estruturas criadas para vender ao público a ilusão de que a Europa e os EUA ainda são o centro do mundo, e o capitalismo um modelo perfeito para o desenvolvimento econômico e social da espécie, que distribui, do centro para a “periferia”, formada por estados ineptos e atrasados, recomendações e “notas” essenciais para a solução de seus problemas e a caminhada humana rumo ao futuro.

O que faz a Petrobras? Produz conhecimento, combustíveis, plásticos, produtos químicos, e, indiretamente, gigantescos navios de carga, plataformas de petróleo, robôs e equipamentos submarinos, gasodutos e refinarias.

De que vive a Moody’s ? Basicamente, de “trouxas” e de conversa fiada, assim como suas congêneres ocidentais, que produzem, a exemplo dela, monumentais burradas, quando seus “criteriosos” conselhos seriam mais necessários.

CRISE DO SUBPRIME

Conversa fiada que primou pela ausência, por exemplo, quando, às vésperas da Crise do Subprime, que quase quebrou o mundo em 2008, devido à fragilidade, imprevisão e irresponsabilidade especulativa do mercado financeiro dos EUA, a Moody,s, e outras agências de classificação de “risco” ocidentais, longe de alertar para o que estava acontecendo, atribuíram “grau de investimento”, um dos mais altos que existem, ao Lehman Brothers, pouco antes que esse banco pedisse concordata.

Conversa fiada que também primou pela incompetência e imprevisibilidade, quando, às vésperas da falência da Islândia – no bojo da profunda crise europeia, que, como se vê pela Grécia, parece não ter fim – alguns bancos islandeses chegaram a receber da Moody´s o Triple “A” (ilustração), o mais alto patamar de avaliação, também poucos dias antes de sua quebra.

Afinal, as agências de classificação europeias e norte-americanas agem, antes de tudo, com solidariedade de “classe”. Quando se trata de empresas e nações “ocidentais”, e teoricamente desenvolvidas – apesar de apresentarem indicadores macroeconômicos piores do que muitos países do antigo Terceiro Mundo – as agências “erram” em suas previsões e só vêem a catástrofe quando as circunstâncias, se impõem, inapelavelmente, seguindo depois o seu caminho na maior cara dura, como se nada tivesse acontecido.

NAÇÕES EMERGENTES

Quando se trata, no entanto, de países e empresas de nações emergentes, com indicadores econômicos como um crescimento de 400% do PIB, em dólares, em cerca de 12 anos, reservas monetárias de centenas de bilhões de dólares, e uma dívida pública líquida de menos de 35%, como o Brasil, o relho desce sem dó, principalmente quando se trata de um esforço coordenado, com outros tipos de abutres, como o Wall Street Journal, e o Financial Times, para desqualificar a nação que estiver ocupando o lugar de “bola da vez”.

Não é por outra razão que vários países e instituições multilaterais, como o BRICS, já discutem a criação de suas próprias agências de classificação de risco.

Não apenas porque estão cansados de ser constantemente caluniados, sabotados e chantageados por “analistas” de aluguel – como, aliás, também ocorre dentro de certos países, como o Brasil – mas também porque não se pode, absolutamente, confiar em suas informações.

Se houvesse uma agência de classificação de risco para as agências de “classificação” de risco ocidentais, razoavelmente isenta – caso isso fosse possível no ambiente de podridão especulativa e manipuladora dos “mercados” – a nota da Moody´s, e de outras agências semelhantes deveria se situar, se isso fosse permitido pelas Leis da Termodinâmica, abaixo do zero absoluto.

QUEM ACREDITA NELAS?

Em um mundo normal, nenhum investidor acreditaria mais na Moody´s, ou investiria um cent em suas ações, para deixar de apostar e aplicar seu dinheiro em uma empresa da economia real, que, com quase três milhões de barris por dia, é a maior produtora de petróleo do mundo, entre as petrolíferas de capital aberto, produz bilhões de metros cúbicos de gás e de etanol por ano, é a mais premiada empresa do planeta – receberá no mês que vem mais um “oscar” do Petróleo da OTC – Offshore Technologies Conferences – em tecnologia de exploração em águas profundas, emprega quase 90.000 pessoas em 17 países, e lucrou mais de 10 bilhões de dólares em 2013, por causa da opinião de um bando de espertalhões influenciados e teleguiados por interesses que vão dos governos dos países em que estão sediados aos de “investidores” e especuladores que têm muito a ganhar sempre que a velha manada de analfabetos políticos acredita em suas “previsões”.

Neste mundo absurdo que vivemos, que não é o da China, por exemplo, que – do alto da segunda economia do mundo e de mais de 4 trilhões de dólares em ouro e reservas monetárias – está se lixando olímpicamente para as agências de “classificação” ocidentais, o rebaixamento da “nota” da Petrobras pela Moody´s, absolutamente aleatório do ponto de vista das condições de produção e mercado da empresa, adquire, infelizmente, a dimensão de um oráculo, e ocupa as primeiras páginas dos jornais.

E o pior é que, entre nós, de forma ridícula e patética, ainda tem gente que, por júbilo ou ignorância, festeja e comemora mais esse conto do vigário – destinado a enfraquecer a maior empresa do país – que não passa de um absurdo e premeditado esbulho.

42 thoughts on “A “nota” da Petrobras e a “nota” da Moody’s

  1. Assim como o capivara disse que a Moody’s nao entende de Petrobras, o autor fez o mesmo ridiculo. Nenhuma empresa vive apenas de capital humano
    Ninguem quer auditar o seu balanco , nem o Insituto Mulla. O Soros e tao burro que a cada dia diminui a participacao da Petrobras em seu fundo. A arrogancia paralixa o pensamento.

  2. Mauro Santayana não diz que uma das diferenças entre Brasil e China é que lá o Corrupto é fuzilado.

    Enquanto aqui Maluf e várias outras Vossas Excelências estão livre, leve e soltas.

  3. Eu não entendo como o zé serra pode já estar pregando a venda da Petrobras. Eu acho que o zé precipitou-se como o juiz que não teve paciência de esperar a hora certa para dar o bote nos bens do Eike, a ganancia foi tanta que deu o bote na hora errada , tinha gente de olho, dançou. O zé do precatório age da mesma forma que o juiz porque acredita que já convenceu o povo que a Petrobras dá prejuízo, que a Petrobras não presta, e já quer dar o bote, a ganancia é tanta de acabar com a Petrobras que acha que não tem gente cuidando do nosso maior bem. zé serra pilantrópico faz parte do jogo do PSDB, do FHC, e do aecim, e do seu fiel escudeiro do DEM, Agripino do detran. Não dá para entender o PSDB com essa mania de vender patrimônio público. Bem que a folha poderia tentar explicar porque paulista não gosta de petróleo, não gosta de ferro, ouro, manganês, cassiterita. Eu acho que paulista gosta mesmo é de aplicar o dinheiro em paraíso fiscal, não dá trabalho, e o rendimento é bom, sem produzir nada, mas o dinheiro rende. Esperteza de especulador.

  4. Imagina que aecim da tribuna do senado ameace a presidente com o impeachment, mas depois, na calada da noite, manda um emissário do PSDB com recado para Presidente : Se a senhora vender a Petrobras, eu mando a folha parar de te atacar. Aí eu pensei , se eu fosse a presidente eu deixaria a folha bombardear, o aecio esbravejar, o FHC rosnar e o Agripino grasnar, porque se eles conseguirem depor a presidente, eles que vendam a Petrobras para serem amaldiçoados.

  5. A DilmAnta, acreditava nela, até a semana passada. Atualmente não, rebaixar a petrobras não pode, não é? É brincadeira!!! Vá para outra praça, defender o indefensável, seu petralha mitiguento , aqui não cola

  6. “E o pior é que, entre nós, de forma ridícula e patética, ainda tem gente que, por júbilo ou ignorância, festeja e comemora mais esse conto do vigário – destinado a enfraquecer a maior empresa do país – que não passa de um absurdo e premeditado esbulho.”

    Perfeito.

  7. Mais um texto lamentável. Uma agência que não vale nada, não sabe de nada e quer destruir a Petrobrás.
    Acorda! Quem quer destruiu (e já destruíram boa parte) é Lulla/Dillma.
    Ou será que o autor, assim como Dillma e os demais adeptos do pestismo, também acredita que FHC continua comandando tudo? Parem de beber! Já mão chega o “borracho” querendo guerra civil.
    Para destruir o resto da Petrobrás é só deixar a Dillma mais uns dois/três meses e tudo vai para o buraco.
    Continuo esperando um acesso de brasilidade de Fernando Henrique. Precisa se decidir já! Encaminha processo crime contra Dillma. Afinal ella quer passar a ele os desmandos, desvios e a corrupção do governo petista.

  8. Vamos acabar com a Petrobras porque o maldito PT controlou a inflação utilizando a Petrobras para manter estável o preço do Diesel, onde já se viu usar uma estatal para esta finalidade. Vamos acabar com a Petrobras porque foi na administração do PT que a Petrobras chegou no pré sal, uma reserva fantástica de óleo e gás natural, sem contar a tecnologia desenvolvida através de vultosos investimento em pesquisa em desenvolvimento. Vamos acabar com a Petrobras porque ela só tem ladrão. Vamos acabar com a Petrobras porque o pré sal é um engodo do PT para roubar o povo brasileiro. Morte ao Lula, vamos esfolar a Dilma aquela vaca nojenta, vamos tirar o escalpo da Dilma porque ela é centralizadora, negligente, gerentona que faliu lojinha de 1,99. Impeachment !

  9. Será que todos os estados brasileiros pensam como são paulo do PSDB , da folha ? Aqui no Estado Rio a Petrobras é amada e respeitada trouxe muitos benefícios para os cariocas e fluminenses. investimentos que transformou a região de Itaboraí. Macaé , Cabo Frio cidades que cresceram, com a Petrobras. Para acabar com a Petrobras vai ter acabar com o Rio de Janeiro. Com certeza o Rio de janeiro vai proteger a Petrobras dos tucaneiros vendilhões da pátria, hipócritas , mentirosos.

  10. Como faço, sempre que alguém indica matérias, busquei a enviada pelo colega Renato – link acima.
    Li com atenção, respeito e estupefato. Uma funcionária da Petrobrás que, em sua análise, apresenta os equívocos da Globo (a cada momento tem um) e também se diz defender a empresa da qual faz parte. Um dado momento ela diz ” Quando fui posar para a foto, que aparece na reportagem, minha intenção não era apenas defender os empregados da injustiça e hostilidades que vem sofrendo sendo questionados sobre sua honestidade, porque quem faz isto só me dá pena pela demonstração de ignorância. Minha intenção era mostrar que a Petrobras é um patrimônio brasileiro, maior que tudo isto que está acontecendo, que não pode ser destruída por bandidos confessos que posam neste jornal como heróis, por juízes que agem por vaidade e estrelismos apoiados pelo estardalhaço e holofotes que vocês dão a eles, pelo mercado que só quer lucrar com especulação e nunca constrói nada de concreto e por um jornal repulsivo como O Globo que não tem compromisso com a verdade nem com o Brasil.”
    Acho que estou louco, muito louco. Quando alguém que trabalha na empresa Petrobrás – desconheço a função/nível de responsabilidades, etc, faz tais afirmações, a mim parece que tudo foi para o “saco”. Ela não deve saber nada do que lá ocorre. Se acho que os culpados estão na Globo ou nos “bandidos e juízes”, tem muita gente contaminada e dominada. Os chefes da moça estão contando as safadezas que fizeram e ajudaram a fazer e ela quer culpar quem está aqui fora?
    Não sei quem está influenciando quem, mas tem um pessoal que anda tomando água contaminada ou coisa pior.
    Quando leio coisas assim, fico a imaginar a linha de raciocínio que cérebros assim produzem. A globeleza se juntou com juízes candidatos ao Oscar, mais bandidos (?) avulsos e assaltaram a Petrobrás! Seqüestraram alguns dirigentes (Paulo Costa, Duque, Cerveró e sabe Deus quantos mais), e os forçaram a mentir que participaram da corrupção, que deram valores à partidos, à políticos e tantos mais. Ficaram com parte do assalto e agora estão devolvendo uma parte do que levaram. E assim estão destruindo a empresa.
    Por favor, estou idoso mas não senil.
    Muito me admira pessoas com algum conhecimento, acreditarem numa babaquice destas. Se esta moça trabalhasse comigo, certamente mandaria fazer um exame mental.
    E em quem acredita nisto, também.
    Recomendo que leiam, tirem suas conclusões, e me ajudem a entender.

  11. Não adianta estrilar contra as “Agências de Rating Internacional”. Quem depende de Capital Internacional , está submetido ao seu poder. Façamos nosso Dever de Casa, produzamos nosso CAPITAL NACIONAL via Empresas com Matriz no Brasil, e podemos RIR para a classificação das Agências. Dependentes como somos do Capital Internacional, tanto a Cia. Mista Petrobras SA, como o Governo Federal do Brasil, temos portanto que nos curvar ao seu JUGO, independente de todo o resto. Queremos AUTONOMIA, INDEPENDÊNCIA, paguemos o PREÇO, como os grandes Países pagaram, pois não existe “almoço grátis”.

    • Prezado Bortolotto
      Teu comentário me fez retornar aos anos 90 quando o PT combatia, com razão, as dependências do FMI. Parece que apenas trocamos de sócios, com a grande diferença que hoje, pelos números apresentados, devemos muito mais do que naquela época.
      Também os bancos, acusados de assaltantes dos pobres, nos governos petistas viraram sócios majoritários da nação.
      Abraço

  12. Caro Santayana, se o Sr. possui qualquer vínculo, vantagem, dependência ou crença com relação ao partido dominante, você está dispensado de ler o restante do comentário.
    O lulopetismo é a doença da opacidade, da nebulosidade da visão, uma espécie de cegueira aos fatos dos seguidores (rebanho). Presumo que uma parte significativa deste rebanho tenham claros benefícios financeiros ou de outra natureza. Entretanto, os maiores beneficiados deste partido/seita são a “própria elite” do mesmo, pois estes estão ricos sem trabalhar um dia sequer na vida. Que lição estes senhores deixam para a sociedade, para os nossos filhos? Que o crime compensa? O que temos que perguntar é que país nós queremos deixar para os nossos filhos. Infelizmente, o nosso caro Santayna deve depender financeiramente de maneira direta ou indireta do partido dominante. Este tipo de dependência não mais permite o pleno exercício do que mais caracteriza os seres humanos: a liberdade de pensar.

    • Na minha opinião, o PT não pode deixar a lição de que o crime compensa, porque seus membros, quando acusados de crimes e condenados com base em ficções jurídicas do tipo “domínio do fato” e “não vou condená-lo não porque tenha provas, mas porque a literatura o permite”, eles vão para a cadeia. Já o PSDB, pode fazê-lo prazeirozamente, como demonstram os casos do Mensalão Mineiro, do Banestado – mesmo juiz e mesmo “delator premiado”, de bolso, do caso Petrobras, e do Trensalão de São Paulo, para ficar apenas em três exemplos.

      Mesmo residindo, por razões profissionais, no exterior, tenho acompanhado – silenciosamente – este site e já vi comentários acusando frontalmente o Sr. Mauro Santayana, a quem tenho a honra de conhecer pessoalmente, de ser de agente da KGB a assalariado do PT ou do governo. Como advogado e amigo, tenho colecionado “prints” dessas ataques, e pretendo sugerir, no devido tempo, que ele mova ações de indenização contra meia dúzia de despreocupados “linguas soltas”, com base na identificação judicial dos IPS dos referidos comentaristas, que pode ser obtida, se assim for solicitada pela justiça, por meio de provedores de internet dos mesmos, assim como por meio do Carlos Newton, e dos “webmasters” da empresa.

  13. Prezado Sr. ANTONIO FALLAVENA, Saudações.
    Ao completar o meu comentário, o que muito me envaidece, o senhor lembrou que o PT a partir de 2003 quando assumiu o Governo, trocou Dívida Externa em US$ Dollares por Dívida Interna, logicamente em Reais. A Diferença: Quando devemos Externamente ,( geralmente com Juros mais baixos), e não temos US$ Dollares para pagar, temos uma bela crise internacional que nos desprestigia aos olhos de todos, e normalmente pegar “Novo Empréstimo do FMI” que impõe CONDIÇÕES. Quando temos uma Dívida Interna, e o Governo se vê apertado para pagar, pode simplesmente EMITIR Reais a vontade, logicamente causando INFLAÇÃO, e assim em 01 ano, via Inflação, reduzir a Dívida Interna em 50% ou mais, como o BC calibrar, às custas dos Credores que tem Títulos Futuros a Receber. Esse é o risco que corremos. Pode acontecer. Abração.

    • Caros CN, ANTONIO FALLAVENA e Flávio José Bortolotto … Bom dia!

      No nosso Brasil é assim: Quando o Governo vai baixando os juros, imediatamente a inflação volta a começar a subir … acompanho isto há tempos!!!

      Não creio que o problema seja o Banco, seus acionistas – pois temos BB, CEF etc … creio que são os que aplicam nos bancos que, quando passam a ser menos remunerados por juros, passam a ter remuneração na inflação!!!

      Será mesmo???

  14. Prezado Sr. LIONÇO RAMOS FERREIRA, Bom Dia.
    Concordo com sua observação: No Brasil quando o Governo Fed. vai baixando os Juros, a Inflação começa a subir, e o Governo Fed. se vê obrigado a elevá-los novamente para frear a Inflação. E assim avançamos “em gangorra”.
    Isso acontece, a meu ver, por causa do gigantesco DEFICIT do Governo Fed. Num PIB de R$ 5.500 Bi, o Gov. Federal Arrecada +- 70% de 36,5% do PIB, o que dá 0,7 x 0,365 x R$ 5.500 Bi = R$ 1.405 Bi/Ano.
    Isso não é pouco. Mas para ZERAR seu Orçamento, o Governo Fed. ainda necessita R$ 810 Bi/Ano, que também é RETIRADO da Produção, via Venda de Títulos do Tesouro, ( Giro da Dívida Pública anual). Isso é igual a quase 60% de todos os Impostos Federais. É essa necessidade brutal de Captação do Gov. Fed. que leva os Juros à estratosfera, e pressiona a Inflação.
    O Gov. Fed. tem que ir REDUZINDO seu brutal DEFICIT. Abração.

  15. Apesar de meio confuso, até que gostei do quinto comentário do Renato.
    Querendo fazer ” gozação ”, disse algumas verdades.
    Incrível : não citou suas paixões : PRESIDENTE FERNANDO HENRIQUE E SENADOR AÉCIO NEVES.

Deixe uma resposta para Dou o cartão mas não dou a senha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *