A obstinação, (positiva) de Lindberg Farias

Há mais de 1 ano, anunciou: “Sou candidato a governador, haja o que houver”. Sergio Cabral ficou em pânico, começou a trabalhar contra o prefeito e sua candidatura.

A história (triste) do
PT, no Estado do Rio

Quando Vladimir Palmeira foi escolhido candidato a governador pelo PT, os tempos eram outros. O partido era forte aqui, política e eleitoralmente, e o candidato era muito mais forte, pessoalmente.

Vladimir vetado por Lula

Dentro da sua política de não admitir o crescimento de ninguém, por mais íntimo ou partidário que fosse, Lula torpedeou o candidato, que se elegeria e firmaria projeção nacional.

Lindberg não é Vladimir

O prefeito de Nova Iguaçu é uma boa figura e sua obstinação em resistir aos vetos dos próprios correligionários, mostra isso. Ganhou o apoio do diretório estadual e o tempo de televisão no horário eleitoral, FALSAMENTE GRATUITO, ficará com ele. Grande vitória.

Vladimir era um LÍDER NACIONAL e foi vetado, o prefeito tem que ficar atento.

Nova Iguaçu e
o efeito Cabral

Como eu disse, o governador ficou assustado com a candidatura Lindberg. Agora, mostra satisfação que não consegue esconder. E confidencia a amigos: “A candidatura do prefeito (nem fala seu nome) vai durar até eu conversar com o presidente Lula”.

Inconfidência inexistente

A vida pública brasileira desceu a níveis tão baixos, que dentro de pouco tempo, em vez de paletó e gravata, usarão escafandros e aquelas vistosas aparelhagens de respiração, para reabastecimento de oxigênio.

Governador contra Presidente

Digamos que o presidente Lula tenha dito mesmo a Sérgio Cabral, “deixa o prefeito de Nova Iguaçu, que ele desistirá da candidatura.

Hoje, nada surpreendente. Mas que o governador, “recebendo uma garantia dessas”, (admitamos por hipótese e por causa da ruína da República), divulgue por todos os lados e formas, inimaginável.

Em campo, pré candidatos,
em todos os estados

Lindberg Farias tenta uma caminhada que lembra 1998. Nesse ano, o poderoso (eleitoralmente) prefeito de Duque de Caxias, José Camilo Zito, tinha tudo para ser candidato a governador. Foi vetado pela família Alencar, com a alegação: “Ele é muito provinciano, não pode governar um estado que inclui a ex-capital do país”.

Lindberg é o contrário

Caxias, não deu o governador. Aprendendo, Lindberg faz o trajeto contrário: urbano, vindo dos grandes centros, não pode ser acusado de provinciano. De tudo o que quiserem, menos disso. (Usei muito espaço, é que a eleição do Estado do Rio para os 4 cargos mais importantes (governador, vice, e duas vagas de senador, dependerá da INTERVENÇÃO de Lula, que adora isso).

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *