A operadora “Oi” invadiu minha casa, me roubou a paz e plantou o terror

Imagem relacionada

Charge do Lute (lutecartunista.com.br)

Jorge Béja

A casa onde moramos, sozinho ou com nossa família, casa de luxo ou casa modesta, em qualquer bairro, comunidade, Estado ou cidade… A casa de todos nós é o asilo inviolável. É lugar sagrado. Desde o Império, todas as Constituições do Brasil asseguram, como um dos muitos Direitos e Garantias Fundamentais da Cidadania, a inviolabilidade da casa em que moramos. E a inviolabilidade é ampla, é larga, é abrangente. É sem fim e absoluta.  Inviolabilidade pessoal, familiar, material, imaterial, física, psíquica… Inviolabilidade contra tudo que venha de fora para dentro de nossas casas e que nos tire a paz, o sossego, o descanso; que traga aborrecimento, perturbação, dor, aflição, desgosto, desespero, ansiedade, depressão, insônia; que cause doença ou agrave a já existente em nós, e em nossa família…

Tudo é grave, torpe, sórdida e covarde violação à garantia da inviolabilidade da casa de todos nós. Mesmo que a porta não tenha sido arrombada, o agressor invadiu nossa casa e o estrago está feito.

TORTURA DIÁRIA – A concessionária de serviços de telecomunicações Oi, que explora concessão pública federal — que pertence ao povo brasileiro —, há meses e meses que nos submete, a mim e minha família, a um ataque inclemente, impiedoso e cruel. A tortura é diária. De segunda a sábado, das 8/9 da manhã até o final da noite, são 10, 20, 30 e muito mais ligações diárias que recebemos da Oi oferecendo planos, serviços e “vantagens”.

Não adianta dizer que não queremos. Não adianta pedir que não ligue mais. Não adianta porque não somos atendidos. A Oi insiste e não para. A Oi invadiu minha casa e nela permanece. E faz imenso estrago. O identificador de chamadas registra as mais distantes procedências dos números dos telefones que a Oi utiliza para ligar. São muitos os identificativos das regiões do país (DDD); 21, 71, 41, 19… para citar apenas quatro deles. Até ligações de números não identificados a concessionária usa para nos tirar a paz e disseminar doença e revolta.

ESCÁRNIO E COVARDIA– De tanto reclamar, direta e ainda que polidamente para toda a diretoria da Oi, cujos e-mails assim terminam (@oi.net.br), inclusive para Marco Norci Schroeder, que figura como presidente da concessionária, semana retrasada nos ligou a funcionária dona Andrea Couto. Disse que era da Oi-Ouvidoria. Dona Andrea informou que a única solução era a troca do número do meu telefone! Isso mesmo, trocar o número do telefone!. Ainda que o número do telefone de minha casa não fosse o mesmo há 60 anos, a sugestão é escárnio, é deboche, é covardia.

É comparável a uma pessoa que vai à presença do Chefe de Policia pedir socorro contra os ladrões que todos os dias invadem sua casa e dele (Chefe de Polícia) ouvir a recomendação para que a pessoa mude de residência, que troque de endereço!.

RECUPERAÇÃO JUDICIAL– A “Oi S.A” e todas as demais empresas de telefonia que lhe são agrupadas, encontram-se em regime de Recuperação Judicial, que nada mais é do que o primeiro passo, para se levantar financeiramente, ou quebrar para todo e sempre. Segundo a Wikipédia (Enciclopédia Livre) a dívida é de R$ 64,5 bilhões, são 70 milhões de clientes e 138 mil funcionários.

Mas a Oi não vai conseguir mais receita com esse expediente torturante. Se insistir com as enxurradas de ligações para seus assinantes, perderá clientela e receita. Por que, então, a empresa não faz suas ofertas impressas na própria conta-fatura que envia mensalmente aos assinantes?

No dia 10 do corrente mês de Abril, o Juiz da 7ª. Vara Empresarial do Rio, Doutor Fernando Viana, nomeou o escritório de advocacia Arnoldo Wald para ser o único administrador da Recuperação Judicial do Grupo Oi. É o que consta da nota pública que Ricardo Malavazi Martins, Diretor de Finanças e de Relações com Investidores, assinou e publicou nos meios de comunicação.

O MAL VENCEU O BEM – Se já é difícil e demorado buscar direitos na Justiça contra uma empresa sadia e inteira, o que dizer contra uma empresa enferma e manca! Diante desse quadro de penúria financeira, ética e moral da empresa “Oi S.A. – Em Recuperação Judicial”… Diante da frouxidão do governo federal, que já deveria ter cassado a concessão pública que outorgou à empresa, mas cruzou os braços, tal como fez com a Samarco, que continua operando como se nada de grave tivesse acontecido lá em Minas Gerais… Diante da  inutilidade de ir reclamar na Anatel, que nada poderá fazer para nos acudir… Diante da ineficácia, prática e imediata, de uma ação judicial contra a Oi, para fazer cessar o terror que implantou na minha casa (e certamente na casa de muitos e muitos outros assinantes-consumidores), pois seria mais um pleito entre milhares de outros que tramitam por este país inteiro contra a concessionária… Diante do desespero, da fadiga, da prostração, física e psíquica em que nos encontramos, meus familiares e eu, por conta do terror que a Oi espalhou ao invadir nossa casa… Diante da recusa da Oi em nos atender neste justo pedido que reiteradamente temos feito… Diante do escárnio que foi a sugestão para a troca do número do nosso telefone que há quase 60 anos é o mesmo…

PEDIDOS DE SOCORRO – Diante de tudo isso e como derradeira tentativa que faço antes de tomar qualquer decisão extremada de minha parte, que dela a Oi já está ciente e sabe de antemão qual será, Só me resta:

  • apelar ao Juiz Doutor Fernando Cesar Ferreira Viana, titular da 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça Rio, que conduz e preside o processo de Recuperação Judicial da Oi (autos nº 0203711-65.2016.8.19.0001);
  • apelar ao notabilíssimo advogado e professor Doutor Arnoldo Wald, que teve seu respeitado e competente Escritório de Advocacia nomeado pelo referido Juiz para ser o único Administrador da Recuperação Judicial do Grupo Oi ( o site do STF registra mais de 300 acórdãos e decisões monocráticas com citações ao professor e doutor Arnoldo Wald que, também como eu, em épocas distintas, percorremos o mesmo caminho: cursamos a antiga Faculdade Nacional de Direito no Rio. Depois, fomos alunados na Universidade de Paris II, Sorbonne e, de longa data, também integramos o Instituto dos Advogados Brasileiros, IAB e para quem, no final da década de 70, toquei Liszt e Chopin ao piano numa festa residencial em Teresópolis);
  • apelar a Ricardo Malavazi Martins, Diretor-Oi de Finanças e de Relações com Investidores e que assinou e divulgou o comunicado oficial da referida nomeação judicial.

QUE NOS ACUDAM! – A todos estou encaminhando exemplares deste artigo a quem suplico a adoção de medidas para que me acudam e façam cessar essa insuportável situação que vivemos, minha família e eu. Que nos acudam! Que nos socorram! Eis minha profissão de fé, de esperança. E também faço apelo aos leitores da Tribuna da Internet para que, nos habituais comentários, me enviem outras sugestões, antes que seja tarde demais.

36 thoughts on “A operadora “Oi” invadiu minha casa, me roubou a paz e plantou o terror

    • O problema é que as ligações são mensagens gravadas. Em minha casa é assim. Desta forma não dá para pedir um minutinho para uma gravação.

    • Exatamente. Fiz isto com meu número de celular: troquei de operadora levando o número (portabilidade). Mandei a Oi para os quintos onde continua chafurdando na incompetência (e por isto se encontra em situação pre-falimentar).

  1. Caro Dr Béja

    Posso afirmar que a ANATEL sempre resolveu meus problemas da TIM e SKY.

    Sugiro, que antes de entrar na justiça, pegue um dos protocolos que abriu na OI, e entre com uma reclamação na ANATEL.

    Use o telefone 133 de 8hs às 20hs.

    Essas empresas, tem departamentos especiais, para resolver “broncas” vindas da ANATEL.

    Elas perdem pontos, ao não atender reclamações da ANATEL, que se refletem nas tarifas.

    Boa Sorte!

    • Grato, Eduardo.
      Por favor, o número da Anatel é mesmo este que você forneceu? 133?. Liguei e fica mudo.
      Grato pela leitura, solidariedade e ajuda. Aqui em casa não aguentamos mais.

          • Dr. Béja

            Após a reclamação na ANATEL, a OI, terá um prazo de 5 dias úteis para entrar em contato com o Senhor.

            Logo, tenha cuidado de não confundir o contato da OI, por causa da reclamação, com o problema de oferecer planos, e desligar o oriundo da ANATEL.

            Eduardo RJ

          • Muitíssimmo obrigado, Eduardo, por demonstrar todo o interesse e nos ajudar. Vou ter o cuidado para atender às ligações, dentro do prazo de 5 dias, que pode ser a Oi ligando por causa da reclamação na Anatel. O que desanima é a sugestão que a própria Oi nos deu, semanas atrás, a de trocar o número do telefone aqui de casa, número que temos há 60 anos.

  2. Sinceramente os serviços prestados por todas as operadoras são de qualidade duvidosa. Os brasileiros honestos estão todos abanados e sofrem nas mãos dos aproveitadores. Até hoje não entendo a existência destas agências reguladoras. Se elas funcionassem este tipo de sofrimento não deveria acontecer. Também, já estou cansado do serviço que me é prestado pela minha operadora de TV. Ainda tem da filantropia que o “Kibe” (kassab) que fazer com as operadoras, perdoando dívidas e transferindo patrimônio do governo para as mesmas.

    Se o povo deixasse de votar acredito que a situação irá melhorar.

  3. Não é difícil entender como essa empresa chegou no ponto de falência ao qual chegou. Irreversível, diga-se de passagem, basta avaliar a estratégia comercial “infeliz” que adotou. Serviço terceirizado desgastante também para os operadores, que recebem bônus como prêmio por sucesso alcançado. Daí a tortura à qual submetem os cidadāos. Dessa situação, o que mais me incomoda é imaginar as modormias (carro, motoristas, cartão corporativo, bônus, etc.) que a “brilhante” diretoria, que institui essa forma de trabalho, recebe impunemente.
    Ainda continuo recebendo essas ligações (e também de outras empresas que acham que ficar torturando os consumidores é uma forma inteligente de cativar e conquistar clientes. São muito fracos, são extremamente burros), mas venho usando outra estratégia. Quando recebo ligações da Oi, vou conversando, pergunto se eles sabem da dívida de 65 bi, impagável; se eles acham que eu vou cair no conto de um serviço melhor, etc., etc. Pergunto de vão intalar uma antena também no meu bairro, já que, mesmo falidos, instalaram uma exclusiva para o ex presidente. Ou seja, perco meu tempo mas faço eles perderem também. Pelo menos tenho a esperança de que uma das muitas empresas de marketing terceirizados da Oi que nos aporrinham o juízo me risquem de sua lista. Nada espero dos órgãos públicos.

    • Caro Ricardo.

      Parece que é assim: Quando a empresa deve pouco, um quantia pagável, o bandido que está montado no Estado nada faz para cobrar. Amigo do EMPRESÁRIO LADRÃO, espera que a dívida se torne impagável para dizer que não pode fazer nada, pois “bem que gostaria de cobrar, mas a empresa não tem condições de honrar os pagamentos…”

      A mesma coisa aconteceu com os devedores crônicos da Previdência…

  4. Acho que todos os usuários vem sofrendo com essa amolação sem fim. E não só da parte da Oi, que fazem ligações indesejadas quase todos os dias, bem como entopem sem parar as caixas de mensagem dos celulares para empurrar planos e serviços que não interessam aos clientes. E geralmente a gente não tem como bloquear esse assédio.
    E quanto às dívidas, provavelmente os contribuintes acabarão sendo convocados a arcar com os prejuízos deixados pela gestão privada supostamente tão competente e superior, que parece servir só para embolsar lucros.

  5. Caro Béja, espero que resolvas o problema.

    Aqui em casa só resolvi depois que fiz gravação de fita de piadas do saudoso Chico Anysio e quando a Oi ligava eu colocava o gravador para funcionar com o personagem Justo Veríssimo.

  6. Também sou vítima. Hoje, mais uma vez, ligaram pra minha casa. Eu estava almoçando e, óbvio não parei para atendê-los. Para minha surpresa disseram a quem atendeu que não tinha importância eu não atender, pois iriam passar os benefícios pra outra pessoa. Tive que rir. E torço pra que nunca mais me ofereçam nada.

    • Pois é, prezado Gilson. Você recebeu uma ligação hoje. Aqui em casa são 20, 30, 40..ligações por dia. Há meses e meses. Imagine como nos sentimos. Ainda mais com a sugestão da ouvidora-Oi, Andrea Couto. Ela disse que a única alternativa seria trocar o numero do nosso telefone, número que nos acompanha há 60 anos. Eu era menino e o número já existia. Naquela época com apenas 6 algarismos. Depois, foram acrescentando à frente o 2. Até que hoje o mesmo número começa com 22_ _ – _ _ _ _.. Hoje são 8 números. Mas os 6 primeiros continuam e não queremos, nesta altura da vida, trocar de número. É perder uma importante parte da história da minha vida.

  7. Deixo-os no telefone e vou fazer outra atividade.
    Criei um código para a família, após X chamada, desliga e faz outra chamada.
    Estamos providenciando a mudança de operadora.

  8. Pesquisando encontramos bloqueadores para fixo e móveis, “criam dificuldades para venderem facilidades”.

    É preciso ser um hacker para criar caros anti vírus, …..

  9. Prezado Doutor
    Não é só a OI que age assim; a VIVO também! E não adianta reclamar, nem mudar de operadora! Infelizmente, todas são iguais, inclusive quanto a reclamações no PROCON. Mas ninguém faz nada, apesar de serem essas empresas uma concessão!

  10. Ilustre, Dr.Jorge Béja,

    no site da ANATEL, poderá enviar email de reclamação, no PROCON da Assembleia em conjunto com o MP RJ, tem um setor de reclamações contra empresas de telefonia.
    boa sorte.

  11. Caro Dr.Béja,

    Eu tinha muitos problemas com telemarketing.
    Em alguns dias não se fazia outrta coisa senão atender telefone tentando vender de tudo, faltava só oferecerem cuecas. Torrei o meu saco com isso, atpe que um dia descobri que é possivel o bloqueio dessa barbaridade atravéz do cadastro no PROCOM-RS. Foi um santo remedio nem a Oi liga mais..
    Veja se é possível aí no RJ também.
    Abaixo o link para sua orientação:

    O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor – PROCON-RS poderá expedir comunicações às empresas e impor sanções no caso de transgressão ou violação das regras do Cadastro para Bloqueio do Recebimento de Ligações de Telemarketing, mas não indeniza ou repara eventuais danos individuais causados.

    Não há custos para o preenchimento do cadastro.
    Como proceder:

    •1ª Etapa 1.O consumidor clica em Cadastro de Bloqueio ao lado
    2.Preenche o Cadastro e clica em ENVIAR
    3.Se tudo estiver correto, o consumidor receberá em seu email a senha para acesso ao sistema

    •2ª Etapa
    1.O consumidor clica em ‘LOGIN’
    e acessa ao sistema de bloqueio com o login e senha fornecidos
    2.Cadastra até 3(três) telefone(s)
    3.Após 30(trinta) dias do telefone ser cadastrado, o mesmo ficará impedido de receber telemarketing.

    http://www.proconbloqueio.rs.gov.br/

  12. Convivo com igual problema Também tentei brecar o abuso com quem de direito na Oi e não adiantou absolutamente nada.

    Acabei descobrindo que o governo estadual do Rio de Janeiro,na pessoa de seu Governador é o responsável direto pelo abuso cometido pela telefônica.

    Explicando: em alguns estados, São Paulo, com certeza, essa invasão não é mais permitida de muito tempo. No Rio de Janeiro, pelo que apuramos, o argumento do governador é o de que deixa rolar como está, para evitar o desemprego dos empregados da Oi.

    Minha mulher resolveu o impasse há mais de um mês… tirou o telefone da tomada. O que significa que o prejuízo ficou aumentado para a Oi, que não mais recebe os valores dos pulsos em dinheiro, somente o valor da assinatura, até que o problema dela seja resolvido.

    A saída para isso, é fácil. É usar o celular e só atender as ligações das pessoas que constam da lista de contatos. Qualquer outra ligação que não seja identificada, ela simplesmente não atende a chamada e bloqueia o número que ligou.

  13. Caro Dr. Béja, a Anatel, para que serve???? bons salários e aumentar tarifa, Sim, qual é a função dessas Agências chamadas reguladoras, que só prejudicam o Cidadão.
    O serviço está pessimo, linhas cruzadas, e muitas deficiências, Ministério das Comunicações, deveria mudar de nome: Ministério das descomunicações.
    Que Deus nos ajude, estamos em grande Senzala.
    Muita saúde e longa vida.,

  14. Caro Dr. Béja, na minha casa, as ligações só pararam depois que deixei de atender o telefone por mais de um mês.
    Por circunstâncias da vida, passo metade do ano no Canadá. Aqui não tem Procon, nem muitas leis que protejam o consumidor, mas tem respeito e medo de perder o cliente.
    E tem um povo que não compra por impulso, não paga por etiqueta e pesquisa preço. A maioria das grandes lojas te vende o produto pelo preço do concorrente, é só mostrar o encarte.
    E o papel toalha enxuga, o detergente dura, as embalagens vedam, até as etiquetas de preço saem facilmente.
    Enfim, tudo funciona e a base é o respeito! Espero que seu problema seja resolvido sem mais transtorno.

  15. Obrigado, Teresa Fabrício. De tão longe, nos acompanhando e aconselhando. Não conheço o Canadá. Mina esposa tem um sobrinho-neto de 28 anos que há 2 anos trabalha em Montreal. O rapaz é um talento. O banco canadense não larga ele e o exalta a todo momento. E ele está feliz. A mãe dele, que é sobrinha da minha esposa, vai duas vezes por ano. Numa, se encontram em Nova York, que é perto. Noutra, em Montreal.
    Ele conta maravilhas daí. Tudo funciona. Há ordem e respeito. Progresso nem precisa, porque todo o Canadá já progrediu o suficiente. Nada falta. Imagino como a senhora deve sentir diferença entre o nosso Brasil e o Canadá. Felicidades e muito obrigado pela atenção.

  16. Prezado Béja,

    SOMOS REFÉNS DAS OPERADORAS
    Não terá sido apenas o senhor a sofrer esse tipo de inconveniente não. Desde o início de DEZEMBRO do ano passado eu comecei a receber LICAÇÕES DE COBRANÇA da OPERADORA CLARO me informando que eu estava devendo uma conta de R$ 2.180,63 (nos valores da época) no número 62-99218-6414.
    Como prova de “boa vontade”, até aceitavam que eu parcelasse o passivo em mais de duas vezes. E todo o santo dia tinha que repetir para a atendente que nunca possuíra linha telefônica da Claro!

    Sempre que eu procurava saber do que se tratava, já que não uso essa operadora, as atendentes diziam não está a par da situação (pois não tinham acesso aos dados cadastrais) e pediam que eu ligasse para o número 1052.
    -Quando ligava para o número 1052, a atendente desse número dava de ombros e mandava eu ligar para o 0800 7236626;
    -Já no número 0800 7236626, me indicavam o número 106-21;
    -Ao ligar no 106-21, diziam que o meu problema deveria ser resolvido no número 1052…
    E tudo se iniciava e findava em uma enorme perda de tempo e de paciência.

    Tentando resolver o problema, fui a uma loja da empresa Claro e soube que o referido número fora adquirido na cidade goiana de Uruana, onde nunca estive, nem sei onde fica, cujo endereço estava no cadastro da fatura da conta.
    O funcionário da loja, ao fazer a pesquisa “no sistema”, confirmou que, embora a conta estivesse com o meu nome e o meu CPF, realmente não havia contrato feito ou assinado, o que, segundo ele, caracterizava uma fraude.
    Mesmo sabendo tratar-se de uma fraude e após eu ter comparecido à loja, as ligações de cobrança continuaram a acontecer pelo menos uma vez por dia na parte a manhã, de segunda a sábado, e outras vezes pela manhã e à tarde durante os meses de janeiro e fevereiro.
    Em março eles diminuíram e neste mês ainda não recebi nenhuma, provavelmente por já terem INCLUÍDO O MEU NOME NO SERASA…

    Abraços.

    • Francisco, que drama! Imagino que o senhor e sua família tenham perdido a paz. E sem a paz é muito difícil viver. E com saúde. Paz é saúde. Integra a saúde.

      Da minha parte me acho tão combalido que não tenho conselho nem sugestão para lhe dar. Comparando, sua situação é bem pior do que a minha.

      Mas siga o conselho do leitor EduardoRJ. Ele recomenda que reclame junto à prestadora de telefonia e obtenha o número do protocolo.

      Depois, passados 5 dias, e o terror persista, então reclame na Anatel pelo telefone 1331. Eles vão pedir que o senhor conte o que está acontecendo e também vão pedir o nº do protocolo da reclamação.

      Diz o nosso EduardoRJ que as empresas de telefonia, todas patifes, têm medo e respeito quando acionadas pela Anatel. Anos atrás, quando o Embaixador Sardenberg era o presidente da autarquia, as empresas tinham medo. Não da Anatel, mas do presidente Sardenberg, homem íntegro, passado ilibado, nosso ex-embaixador nos EEUU e na ONU. Homem de muitas letras e energia. Creio que o embaixador semeou sua rigidez em defesa do povo na Anael que presidiu. E que está rendendo bons frutos.
      Grato por ter lido, se solidarizado e por ter relatado essa outra tortura que as concessionárias de serviço público ( que ironia, concessionária de serviço público, que ao povo pertence, invadindo nossas casas, nos roubando e tirando nossa paz!). Tudo será resolvido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *