A paz não é apenas um desejo, mas necessita da responsabilidade de todos

Imagem relacionadaMário Assis Causanilhas

No Carnaval de 1970, Dalva de Oliveira fazia um grande sucesso com a música “Bandeira Branca”, que dizia: “Bandeira branca, amor, / eu peço Paz, / pela saudade que me invade,/ eu peço Paz...”. Décadas depois, vez por outra vemos movimentos, sempre na mesmice de eleger um belo domingo de sol, mobilizar as elites intelectuais, políticas, mundanas, empresariais… ONG’s, artistas, todos vestidos de branco, na orla de Ipanema – Leblon ou no entorno da Lagoa, pedindo… paz!

Há pouco mais de 40 anos pedia-se paz por amor, hoje pedem paz por causa da violência. A exclusão e as desigualdades sociais e econômicas geraram ao longo do tempo um quadro grave de desintegração e decadência da sociedade brasileira.

GUETOS OU NAÇÕES? – Referimo-nos aos guetos que, coincidentemente, se acentuaram a partir da extinção do BNH (Banco Nacional da Habitação), que mal ou bem realizava projetos na área da habitação popular.

Esses guetos, caracterizados de favelas, se transformaram em micronações com códigos próprios. Seriam, assim, as cidades “informais”. Possuem valores sobre vida, cidadania e relações sociais muito distintos dos valores do Estado “formal”. Dessa forma, as transgressões às regras vigentes na cidade “formal” são normais e aceitas pelos moradores dos guetos.

Daí o incremento da crueldade na prática dos delitos e o desrespeito pela vida e patrimônio. Tendo sempre como pano de fundo o sentimento de impunidade que viceja em ambas as sociedades ou cidades : a “formal” e a “informal”.

DESEJO UNÂNIME – Observo que a paz é um desejo unânime. Das elites, dos despossuídos de Vigário Geral ou da Baixada, cujas manifestações se caracterizam pelas “barricadas” que interrompem o trânsito nas vias centrais e rodovias para reivindicar a paz na forma de segurança para as suas vidas. As manifestações das elites não interrompem o trânsito porque, antes, as autoridades já providenciaram.

Por paradoxal que possa parecer, a paz também é desejo dos presidiários e do chamado “crime organizado”. “Paz, Justiça e Liberdade”, clama o PCC ou o “Comando Vermelho”.

É desejo dos artistas globais que, em uníssono, proclamam: “Paz, a gente é que faz…”. Como?

AUTOESTIMA – Penso que para atingirmos um ambiente de paz precisamos fazer o resgate da autoestima do povo excluído, promover a inserção na economia formal da grande massa de marginalizados sociais e econômicos. Melhorar as condições de vida dessa massa, oferecendo reais perspectivas de ascensão social.

A exclusão e a desigualdade geram um caldo de cultura onde proliferam a violência, a degradação do meio ambiente e a perda da dignidade humana e dos valores éticos e morais de uma sociedade civilizada.

Para nós do Rio de Janeiro, a paz não significa apenas a sensação de um ar de segurança física e patrimonial.

ATO DE CIDADANIA – Paz é o fim dessa “guerra civil” não declarada, mas caracterizada pelos assaltos à mão armada, invasão de residências, balas perdidas, roubos e furtos de veículos, rebeliões nos presídios, chacinas, homicídios como uma das principais causa-mortis, menores abandonados nas ruas, tráfico, consumo de drogas, cracudos, mendigos, desordem urbana, fim dos mafuás montados nas ruas e calçadas, stress, violência no trânsito, assaltos nos coletivos, transporte “pirata”, eufemisticamente chamado de alternativo, desemprego, subemprego, miséria.

A paz é um desejo mas também uma responsabilidade de todos. É um ato de cidadania, como o voto.

O voto pode ajudar no restabelecimento das condições para uma sociedade civilizada. Quem reparte o pão, alimenta a paz.

10 thoughts on “A paz não é apenas um desejo, mas necessita da responsabilidade de todos

  1. Para “artista” Global é muito fácil se vestir de branco, fazendo “pombinha da paz” com as mãos e comparecer em eventos sociais. Depois entram no carro blindado com seus seguranças armados rumo ao aeroporto de volta pra casa em Miami. A típica e clássica hipocrisia.

  2. -Você sabe o que aconteceu depois de cada uma dessas passeatas pedindo “PAZ”? P.n.!

    -Paz é uma consequência natural quando se consegue colocar bandido na cadeia e, por isso, AS PASSEATAS NÃO DEVERIAM PEDIR A PAZ, mas pedir mudanças nas leis para que bandido fique preso na cadeia, visando tornar possível aos cidadãos (homens, mulheres e crianças) saírem às ruas.

    -E a menos que queiram “sensibilizar” a turma do Marcola e do Beiramar a entregarem as suas armas nas delegacias e se ficharem todos nos canteiros de obras como serventes de pedreiro, as passeatas nas ruas não passam de PERDA DE TEMPO. Para que elas surtam efeito, devem ser feitas na dependências do Congresso Nacional.

    O resto é onda tirada entre uma picanha na chapa e um chopp gelado.

    “De nada adianta as ovelhas pedirem paz se os lobos não mudarem de dieta.”

    Abraços.

  3. Com o advento da mente o ideal com as religiões ou ideologias , que são a mesma coisa: o inferno das ideias. O paraíso se foi e a paz é apenas um delírio que só existe nos ingênuos.
    Na realidade a paz, ou melhor, alguma paz social, numa democracia, depende de boas leis e muito rigor na punição a quem infringi-las.
    Infelizmente aqui no Brasil isso não existe e ainda foi agravado com os 13 anos do partido do crime no governo.

  4. Só que na história humana, a guerra é a regra e a paz a exceção.

    Não é preciso ser vidente, para antever que quebra do dolar provocará a terceira guerra mundial. Há uma tese de mestrado (sumiu da internet) de uma americana, dizendo que existem em circulaçao no mundo, cerca de 2 (dois) quatrilhoes de dolares. O total do PIB mundial não passa de 80 trilhões.

    Quem quizer saber mais e só acessar A MAIOR FRUDE DA HISTORIA e também O BANCO CENTRAL DOS EUA: O TEMPLO E SEUS SEGREDOS SUJOS.

    • É disso que esses caras estão sobrevivendo há muito tempo, e mantendo a hegemonia mundial, da venda de papeis pintados a preço de ouro para o mundo otário, um tremendo 171 planetário. E a cachorrada vira-lata ama ser enganada, usada e depois enxotada com os pés nos fundilhos. Enquanto isso eles seguem naquela de empurrar com a barriga, até a explosão final.

      • Será?
        Os EUA ganham muito dinheiro com exportações no agro-negócio e em tecnologia. Já são auto-suficientes em petróleo, sem falar no carvão , embora muito poluidor, têm a vontade. Milho, trigo e carne são os maiores produtores. Faturam bilhõe com turismo e cinema,etc,etc,etc.
        Só o PIB da califórnia é igual ao do Brasil.
        E por aí vai.
        Acho meio delirante essa de que se o dólar deixar de ser valor de referência de mercadorias no mundo irá afetar tanto assim aquela nação.

        • A quantidade de dólares espalhada pelo mundo não tem lastro, não passam de papéis pintados vendidos a peso de ouro para um mundo assaz otário. Basta um vacilo dos EUA para tudo virar pó. Sabe quem vai querer comprar os dólares guardados no colchão ?

  5. O fio de esperança existe. O fato é que, muitos ainda não, ao que parece, mas a grande maioria do conjunto da população cansou-se de tantos estelionatos eleitorais e golpistas ditatoriais. POR QUÊ DEMOCRACIA DIRETA JÁ, LEÃO ? O QUE É ISSO ? É de comer, é de beber, é do bem, é do mal, engorda ? No passado, General Mourão Filho ( nada a ver com o Mourão fincado no brejo do Bolsonaro), deixou registrado em seu livro um pensamento muito sério que me obrigou a refletir profundamente sobre a Democracia enquanto conquista evolutiva da Humanidade da qual abrir mão seria loucura total. Disse o General: ” Ponha-se na presidência, ou num poder qualquer, qualquer medíocre, louco ou semi-analfabeto (ou, ou, ou mentiroso, ladrão, corrupto…), e vinte e quatro horas depois a horda de aduladores estará à sua volta, brandindo o elogio como arma, convencendo-o de que é um gênio político e um grande homem, e de que tudo o que faz está certo. Em pouco tempo transforma-se um ignorante em um sábio, um louco em um gênio equilibrado, um primário em um estadista. E um homem nessa posição, empunhando as rédeas de um poder praticamente sem limites, embriagado pela bajulação, transforma-se num monstro perigoso”. Daí eu cheguei a conclusão de que a Democracia é um bem de suma importância que não pode ficar à mercê de um $istema político tão vulnerável, face ao qual qualquer tipo de gente pode tomar de assalto o poder, no voto, ou no golpe, à paisana ou fardada. Daí, eu olho para o meu Brasil, não só para a presidência da república como olhou o General Mourão Filho, mas tb para os estados e municípios, e vejo em muito lugares o poder tomado de assalto por quadrilhas, algumas com ramificações até internacionais, e a luta desesperada de Policiais Federais sérios, idealistas, para desarticulá-las, me convenço de que fiz a coisa certa ao propor há mais de 20 anos a Democracia Direta, com meritocracia eleitoral, que me parece blindada ao ataque de quadrilhas e à tomada do poder por criminosos e organizações criminosas, à paisana ou fardadas, até porque não vem escrito na testa de ninguém quem é e quem não é criminoso, e só depois dos crimes praticados e apurados é que a gente fica sabendo quem é quem, na verdade, sobretudo porque na Democracia Direta a eliminação de eventuais bandidos infiltrados na administração pública é sumária.

  6. Jamais sairemos do fundo do abismo em que nos encontramos sem levarmos à tona a pedra de toque capaz de resolver o Brasil para os próximo 100 anos, no mínimo, tal seja sua majestade o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, do qual fugir implica apenas em agravar ainda mais a situação e afundar ainda mais no abismo.

    • Só o ceticismo leva o indivíduo ao bom senso e o brasileiro , com a educação-ensino existente no país não aprende isso.
      Já , os anglo-saxões , talvez receba uma educação que o leva a ser mais tranquilo diante dos problemas, mais céticos, mas em seus países também tem “brasileiros” que geralmente integram os quadros do Partido Trabalhista que quase levaram o Reino-Unido a ser uma Itália ou Espanha, não fosse uma Margareth Thatcher que o sucedeu e colocou aquela nação nas das primeiras da Europa, que sempre foi o seu lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *