A pior profissão no Brasil é ser policial, pois pode ser morto a qualquer momento

Resultado de imagem para policial sepultado

São cenas trágicas que se repetem, em todo o país

Francisco Vieira

São três as piores profissões do Brasil. Primeiro, POLICIAL, pois só em ser policial você já está condenado à pena de morte em qualquer assalto sem despertar a menor compaixão. Até mesmo para fazer amigo é difícil, pois existe a ideia preconcebida de que todo o policial é burro e arrogante, mesmo que seja professor universitário no horário de folga.

Segundo, PROFESSOR de escola pública, pois é terrível ficar em uma sala de aula infestada de bandidos, atrapalhando a aula e intimidando quem quer aprender, e você falando sozinho, repetindo dez vezes a mesma coisa para as paredes e chegando em casa com a cabeça a mil. Afinal, quem manda nas aulas e nas escolas brasileiras são os bandidos.

E terceiro, MÉDICO de hospital público. Para trabalhar em um deles, o médico precisar se tornar indiferente à morte alheia, à tortura de crianças, aos gritos e berros e à dor dos seres humanos. Ou se torna indiferente ou acaba perturbado com tanta miséria e, até mesmo, se pendurando pelo pescoço em alguma corda, caso queira ali permanecer.

IR EMBORA – A outra opção é fazer como alguns médicos aqui do Distrito Federal, com os quais conversei, fizeram. Acabado o plantão na emergência, pega a roupa de cama, fecha a porta do armário e… sai para nunca mais voltar.

Dos três, o médico tem a melhor opção de escolher onde e quando trabalhar. Se o médico errar, a terra cobrirá; se o professor errar, basta revisar a nota e aplicar nova prova; agora, se o policial culposamente cometer um erro, será colocado no rol dos bandidos comuns e ficará desempregado ou até mesmo preso. Este ano, no Estado do Rio de Janeiro, já foram mortos 86 policiais.

Quando se culpa um policial por atirar em área aberta, e acertar um inocente, com um fuzil que tem a capacidade de matar em um raio de 1,5 km de distância (portanto, em uma circunferência de 3 km), indiretamente se está dizendo: “Não atire, deixe os bandidos em paz!”, já que é impossível, em qualquer disparo efetuado em área aberta, saber se algum inocente será ou não atingido.

BALAS PERDIDAS – E quanto mais tiros são disparados, maiores serão as chances de um inocente vir a ser atingido, o que explica por que o Rio tem tanta bala perdida, já que os bandidos possuem metralhadoras e fuzis automáticos que dão rajadas, o que obriga a polícia a trabalhar com esse mesmo tipo de arma.

Melhor seria desarmar logo a Polícia. Pelo menos o policial seria poupado de responder por mortes acidentais decorrentes das leis da Física.

Veja contra quem os policiais do rio estão lutando. Não é caso de bandido ladrão de galinha que está roubando para comer, não. É caso de coisa mais complexa, organizada, de guerrilha urbana mesmo, no padrão das FARCs.

É caso de coisa mais complexa, organizada, de guerrilha urbana mesmo, no padrão das FARCs.

http://veja.abril.com.br/brasil/trafico-usa-roupa-especial-para-se-esconder-nas-matas/

 

9 thoughts on “A pior profissão no Brasil é ser policial, pois pode ser morto a qualquer momento

  1. O meu colega e xará Chico Vieira escreveu um artigo com propriedade, sóbrio, verdadeiro e indiscutível.

    Acertou com rara felicidade, inclusive, a ordem das profissões no Brasil que são desconsideradas pelo poder público, menosprezadas quanto às suas importâncias, negligenciadas criminosamente pelos governantes quanto à indispensável oferta desses serviços à população que deveriam ser de qualidade, e não de protestos dessas categorias que ganham mal, que trabalham sem as condições devidas, que não são valorizadas como deveriam.

    Parabéns pelo ótimo alerta e colocação feitas com relação à saúde, segurança e educação, simplesmente as áreas mais significativas de qualquer nação, porém, no Brasil, jamais colocadas como prioridades, mas conforme decisões políticas, invariavelmente voltadas para a exploração e roubos contra o povo e país!

  2. Um amigo antigo, que nem sei se ainda esta vivo, sempre dizia: ” Só quem gosta de um policial, é a mãe ou a mulher.
    A mãe sempre, a mulher nem sempre. Esta é sina de um policial, trabalhar numa terra onde o crime é a regra e a honestidade, a exceção.
    Se fizerem uma pesquisa séria, descobrirão que a grande maioria da população detesta a polícia, vê a instituição como um aparelho meramente repreensor.
    O sistema policial também em nada ajuda, são policias desintegradas, brigando entre si e parte de seus membros envolvidos com corrupção.
    Com a criminalidade em expansão no pais, o primeiro ato de combate ao crime passa fundamentalmente pela reforma total do aparelho policial. Sem isso e sem outras reformas, a coisa vai ficar cada vez pior, vamos voltar ainda aos tempos do velho oeste, só que com armamentos ultramodernos e principalmente nas mãos dos bandidos.
    Outra coisa, um policial quando enfrenta um bandido, tem frações de segundo para decidir o que fazer. Quando é julgado, o ministério público e o judiciário, tem todo o tempo do mundo para o julgamento e quase sempre decidem contra o agente da lei.
    A luta entre a policia e a bandidagem é totalmente desigual, os bandidos não tem regras a cumprir, já polícia não pode se afastar da legalidade.
    O policial sempre tem tudo a perder, o bandido, nada, até a vida deles não dão valor.

  3. O texto do Francisco Vieira é correto e verdadeiro.
    Todo policial corre risco de vida diariamente e têm parte da culpa dessa situação os maus policiais O Trafico de drogas e roubos de carros se fortalecem, porque tem a cobertura desses maus policiais.
    No Rio de Janeiro, a polícia está numa guerra, lutando contra uma guerrilha formada por traficantes e milícias, que já tomaram conta de grande parte do território do Rio de Janeiro.
    Reitero o que venho dizendo: a tendência é piorar.
    .

  4. Governos corruptos e uma sociedade que prima pela malemolência. E por favor, não é no Rio: é no Brasil!

    Certamente, as forças policiais precisam de muitas coisas, inclusive de reformas.
    Falta de equipamentos, principalmente de proteção pessoal, armamento mais moderno e racional (por onde andarão as armas de choque e laser?). Mas também falta qualidade e seleção melhor.

    Como ficou nosso país! A polícia com medo. O que dizer-se de nós, os desarmados, abandonados a própria sorte?

    faz muito, o caso era para forças especiais e o próprio exercito.

    mas quem não tem nenhuma das duas, que pegue nas armas disponíveis: reze muito.

    Um dia, quando menos se espera, vai pegar fogo. E ai, quem segurará?

    Fallavena

  5. Toda a população, desarmada, corre ainda mais risco de vida, no Brasil.

    Já demos os nomes aos bichos, quem manda no Brasil? Um bando de bandidos, o crime organizado, seja PCC, CV, ou PMDB, PT, PSDB, sejam as “filiais”…..

    Tudo malcomunado: desembargadores, juízes, delegados, policiais, garotos de 9 anos, 10 anos, advogados graúdos, advogados de cursinho noturno e porta de cadeia, políticos de todos os níveis , ministros, governadores, grandes empresários, pequenos empresários, vendedor de pipoca e papelotes….
    Ate a mídia televisiva, colocando imagens de substancias proibidas, como cocaína, no horário nobre, só pra aumentar as vendas nas ruas, no varejao…
    Crack ? Crack ! O Brasil quebrando, despedaçando-se.
    Infelizmente, num lugar assim, só mesmo armando toda a população, até os dentes.

  6. Professor e a Precarização da educação Pública
    Se para o policial já é ruim, a situação do professor não é das mais agradáveis, sou um desses “apenados” do magistério Público, o nosso trabalho é uma prisão espiritual, hoje é comum a atuação das facções criminosas dentro das escolas, elas dominam os alunos e esses atuam dentro das escolas, vendendo drogas ou aliciando outros alunos.
    Somos agredidos de diversas formas, desde a psicológica até a física, nossos carros são destruídos, riscados e até incendiados e não são casos raros. O que temos nas escolas públicas são bandos alunos que não estão lá para aprenderem, mas para bagunçarem, pois o espaço da escola é de certa forma protegido da polícia, vão para fumar a maconha, para namorar e até para consumirem bebidas alcoólicas, que são jogadas por cima dos muros. O estado não dá a mínima importância e ainda incentiva os alunos vadios, pois como a secretaria de Educação da Bahia não quer repetência nos obriga a aprovarem tais indivíduos, tenho “alunos” que frequentam muito pouco e quando o fazem é para criarem, tumulto atrapalhando a vida dos poucos alunos que estão na escola para aprender. O número de adolescentes grávidas é bem significativo, bem como a evasão que chega a 45%, e com o uso indiscriminado de celulares dentro das salas, é ampla a prática de filmarem os professores, depois fazem montagens das mais variadas maneiras, incluindo cenas em que aparecem professores numa atitude de intimidade com alunas no intuito de intimidar e chantagear, mas como as montagens são toscas, fica fácil desmascarar os “infratores”, ainda assim ficam os traumas para os professores. A Secretaria de educação continua cega e surda que tem como critério por toda a culpa do fracasso da Educação nas costas dos professores.
    Por fim, como sempre digo, “O problema não é trabalhar, mas suportar alunos que fazem das nossas vidas um inferno”.

  7. Antonio Henrique
    Acabo de fazer um “Ctrl-c e Ctrl-v” de seu comentário. Vai para pasta de textos e trabalhos. Estou escrevendo muito, mas muito mesmo sobre os temas abordados nele.
    Só para teres uma pequena visão da coisa, os textos/trabalhos iniciais versam sobre as diferenças entre educação e ensino.
    Amigo, está tudo misturado e não foi por acaso. A busca do poder para alguns e seus grupos não tem limites! E quando podes utilizar parcelas idiotizadas de uma sociedade, bom, vira brincadeira de criança.
    Gostaria de trocar ideias com o colega Tribunário. Assim, autorizo nosso chefe CN a lhe repassar meu email para contatos.
    Abraço e saúde.
    Fallavena

  8. Antonio Henrique Dantas Silva, padeço desse mau, pois não posso deixar passar os colegas de profissão que jogam contra a educação. Um bando de sangue-suga do sistema. Tenta trabalhar dentro de uma unidade escolar, que até diretor quer ter fuzilar devido ser um cidadão correto na sua função. E os professores que aliciam sexualmente os alunos, e quase todos faz cara de paisagem dentro de unidades escolares.

  9. A minha ansiedade é só uma, que Sérgio Cabral devolva tudo que roubou, fique preso por muito tempo, veja o mal que tem causado a tantas pessoas, não só o funcionalismo público, como também o povo em geral, a violência aumentou de intensidade tamanha, está difícil combater a criminalidade, tenho me perguntado, qual o sentido da vida, são tantas barbáries que assistimos dia após dia, são pessoas sendo esfaqueadas por criminosos, sendo mortos por tiros, uma grávida sendo alvejada e o filho foi ferido na barriga da mãe, outra vinha de festa julina e perdeu o nenê ao ser atropelada pelos bandidos, o que está acontecendo com o ser humano, os valores à vida estão descartados, não é só por ser criminoso, mas é a indiferença a vida do ser humano, está banalizada, não tem mais valor, quantos policiais já forma mortos, até aonde vai chegar, parece que estamos em guerra, mas nossa guerra é contra a corrupção, a criminalidade que está impune pelo exemplo que vem de cima, é preciso extirpar de vez esta mal, o Rio de Janeiro está agonizando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *