A presença de dois Lulas

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn


Carlos Chagas

Recebido com tapete vermelho, loas e fanfarras em Brasília e especialmente no Congresso, o Lula emitiu com precisão uma série de conceitos sobre a Constituição e a passada Assembléia Constituinte,  mas botou tudo a perder em termos de lógica e de bom-senso quando misturou juventude, política, Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e imprensa. A impressão que se teve foi de dois Lulas: um ameno, preciso  e portador de inequívocos conhecimentos e de inconteste liderança popular; outro destemperado, mesquinho e desinformado.

Na segunda parte, começou criticando a juventude, que para ele despreza a política por não haver lido as biografias de Getúlio Vargas e de Juscelino Kubitschek. Se os moços  conhecessem a História,  estariam elogiando a política. Em seguida verberou a imprensa,  “que avacalha a política”.  Acrescentou que negar a política é praticar a ditadura.

Não é nada disso.  Se os jovens desprezam a política, será por conta dos políticos, não da imprensa, que também podem desprezar. Quem “avacalha” a política não são os meios de comunicação,  mas quantos fazem da política uma gazua para assaltar o poder público. Getúlio, no período em que foi ditador, censurou a imprensa com crueldade igual à dos  militares, anos depois. Foram eles que negaram a política e praticaram a ditadura. Jamais a juventude e muito menos a imprensa.  Ressalva se faça a Juscelino, que não censurou e tornou-se grande exemplo de presidente cultor da  democracia.

A gente fica pensando sobre as causas dessa raiva permanente manifestada pelo ex-presidente contra a mídia, já que dela se valeu para chegar ao poder. Claro que sofreu injustiças por parte de jornais, revistas, rádios e televisões,  antes e depois de seus oito anos no palácio do Planalto, mas onde estaríamos caso tivesse seguido o conselho de alguns companheiros para estabelecer a censura? 

A política a que o Lula se refere será a do mensalão? Do fisiologismo a que se dedicou, herdado pela Dilma, trocando ministérios por apoio parlamentar e privilegiando nulidades?

Perdeu o primeiro-companheiro excelente oportunidade de ficar calado, abreviando suas declarações repetitivas e injustas contra a imprensa, acrescidas agora de ampla confusão a respeito da política e das ditaduras. Como falou estar pronto para concorrer em 2018, é bom tomar cuidado… 

CARTAS MARCADAS

Seis companheiros disputam a presidência nacional do PT, dos quais cinco criticam o governo Dilma e querem Lula de candidato, no próximo ano. Apenas um apóia a reeleição da presidente, precisamente aquele que vencerá a consulta, o atual presidente Rui Falcão. Tem-se a impressão de um jogo de cartas marcadas, com cinco jogando para a plateia e um  interessado em aumentar seus cacifes, tudo engendrado pelo Lula. Sempre ficará aberta uma porta, na hipótese de sobrevirem inusitados diante da conquista do segundo mandato de Dilma.

ANTES TARDE DO QUE NUNCA

Decidiu o ministro da Justiça promover ainda hoje um encontro entre os secretários de Segurança do Rio e de São Paulo, mais autoridades federais. A proposta é elaborar um plano capaz de interromper o festival de depredações encenado pelos animais do black-bloc, que apesar de repudiados pela população dos dois estados, só fazem aumentar o ritmo da bagunça. Sempre será possível prever com algumas horas de antecedência  onde esses vândalos vão aparecer, mas mesmo admitindo-se a falta de estruturas de inteligência das respectivas polícias,  fácil parece identificar os baderneiros em meio à baderna.  Mais fácil ainda, cercá-los e prendê-los. O problema é não soltá-los.

 

 

5 thoughts on “A presença de dois Lulas

  1. Lula vai esperar Dilma completar o segundo mandato. É uma manobra bem arriscada. Dilma vai continuar a fazer tanta merda que o PT vai sucumbir e o primeiro companheiro vai perder as eleições e o PT vai desaparecer (GRAÇAS A DEUS!)
    Quanto aos black blocs, o problema é mais complexo. Seria necessário uma autoridade suficientemente forte para ordenar o fuzilamento sumário deste marginais.

  2. Como o artigo se reporta à política, abaixo os gastos dos nossos parlamentares recém publicado pelo jornal Zero Hora:

    Desde o começo desta legislatura, os 513 deputados já consumiram da cota para o exercício da atividade parlamentar R$ 460.587.194,04 em despesas como divulgação do mandato, locação de veículos e combustíveis. Eis a turma que integra o podium:
    1º Lira Maia (DEM-PA) – R$ 1.218.122,94
    2º Padre Ton ( PT-RO) – R$ 1.166.257,23
    3º Jhonatan de Jesus – (PRB-RR) – R$ 1.161.831,75

    A principal despesa do deputado Lira Maia, foi com locação de veículos. Quase todo o valor gasto foi para a empresa Tropical Rent a Car, que recebeu R$ 250.612,00. A segunda maior despesa de Maia é com divulgação. Boa parte do gasto foi feito este ano. Foram R$ 234.000,00 pagos a Global Gráfica da Amazônia LTDA. O ressarcimento deste valor foi pedido com a apresentação de apenas duas notas, uma de fevereiro, no valor de R$ 150.000,00, e a outra de outubro, no valor de R$ 84.000,00.
    O levantamento foi feito com base em dados abertos do Portal da Transparência da Câmara (Levantamento ZH).

    Enquanto tivermos um Congresso inútil e perdulário como tem sido a característica dos últimos anos, impossível acreditar que um dia possamos nos desenvolver como País, além de nossos representantes se destinarem apenas a defender interesses próprios em detrimento dos cidadãos brasileiros para o qual foram eleitos.

  3. Ah é!

    Quem avacalha a politica sao os jornalistas, com mentiras?

    Realmente esses “anjinhos” politicos são falseados a todo momento..

    ACORDE SENHOR.

    Quem se sentir ofendido com tanta “calunia”, processe seus desafetos.

    SABEM POR QUE ELES NÃO FAZEM ISTO, POR QUE TEM SEUS RESPECTIVOS RABOS PRESOS.

  4. Por que o “BLACK BLOC” em Roma são manifestantes e aqui VÂNDALOS E BADERNEIROS ?
    A Globo e a mídia em geral estão de mal a pior mesmo.

    “O protesto convocado pelo “Movimento pela habitação” acabou no lançamento de vários objetos por parte dos manifestantes como garrafas, moedas e ovos e a resposta dos Carabinieri (polícia militar italiana) com gás lacrimogêneo.
    O confronto gerou uma pequena batalha campal na rua do Tritone, onde um blindado policial foi atacado por um grupo de encapuzados, enquanto os comerciantes da região fecharam suas lojas.
    Alguns manifestantes usaram as bandeiras que levavam para agredir os agentes, e os policiais responderam com seus cassetetes. Várias pessoas ficaram feridas, entre elas um policial.”

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/10/manifestantes-e-policia-se-enfrentam-no-centro-de-roma.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *