A quem interessa esse absurdo ataque especulativo que fazem contra a vacina Coronavac?

Homem segura embalagem e ampola da vacina produzida pela Sinovac

Coronavac é excelente e imunizou a população chinesa

Dimas Covas
Estadão

No mundo das finanças a especulação é uma espécie de aposta, geralmente não racional e sem fundamentação empírica, que tem em vista auferir ganhos exorbitantes.

Se no mercado financeiro especular pode ser um atalho para o lucro, o que ganham aqueles que o fazem na área da saúde e da ciência? Há algum sentido em apostar contra o que é feito com o objetivo de salvar vidas?

ATAQUE À CORONAVAC – Temos observado um ataque especulativo contínuo, inexplicável e absurdo à Coronavac, vacina desenvolvida pela biofarmacêutica Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

É necessário esclarecer o contexto em que os ensaios clínicos de fase 3 da vacina foram realizados no Brasil. Diferentemente de outros estudos, o perfil do grupo de 12.500 voluntários que receberam vacina ou placebo foi exclusivamente de profissionais da saúde, pessoas extremamente expostas à infecção, num cenário de altíssima transmissibilidade do Sars-Cov-2.

Diante disso, a eficácia global de 50,7% – e que chega a 62,3% se as duas doses do imunizante forem aplicadas com intervalo igual ou superior a 21 dias – é fantástica, aliada à proteção de 83,8% a 100% observada para os casos que requerem algum tipo de assistência médica.

COMPARAÇÃO INVIÁVEL – Mas a quem interessaria promover uma inexistente comparação de eficácia das vacinas, tendo os imunizantes sido testados em cenários epidemiológicos e perfis de voluntários distintos? A ciência ainda não permite esse tipo de correlação e não é possível afirmar que uma vacina seja melhor do que a outra.

Especulou-se sobre a efetividade da vacina entre os idosos. Foi dessa forma que um estudo apresentado recentemente quis pôr em dúvida o potencial da Coronavac na proteção das pessoas com mais de 70 e 80 anos de idade, mas, na prática, o levantamento usou informações sobre casos positivos nessa população após a aplicação das duas doses, sem levar em consideração quantas dessas infecções de fato evoluíram para quadros graves ou óbitos – justamente o que a vacinação busca evitar.

ALGUMAS VERDADES – É sabido que vacinas não são barreiras definitivas para infecção. Mais ainda: o fator protetivo de imunizantes na população idosa tende a ser menor do que nos adultos jovens em razão do enfraquecimento do sistema imunológico com o avanço da idade.

A precariedade desse estudo alimentou uma falsa polêmica, suscitando um debate histérico sobre a necessidade de uma suposta “terceira dose” da Coronavac para os já imunizados. O esquema de imunização é completado com duas doses.

O que se estuda – para todas as vacinas contra a covid-19 disponíveis – é a possibilidade da repetição anual do ciclo vacinal, como é feito com a vacinação contra a gripe.

VACINA EFICAZ – A Coronavac tem-se mostrado eficiente em proteger os indivíduos e em reduzir o contágio pelo novo coronavírus na população. Os ensaios clínicos de fase 4 coordenados pelo Butantan em Serrana, no interior de São Paulo, comprovaram que, com 75% da população-alvo imunizada, houve drástica redução da circulação viral e a geração de uma espécie de “cinturão imunológico” na cidade, além de queda de 95% na incidência de mortes, de 80% no número de casos e de 86% nas hospitalizações por covid-19. A pesquisa confirmou o efeito indireto da vacinação, já que foi possível comprovar a proteção de populações não imunizadas, como crianças e adolescentes.

Em relação às variantes, os testes de fase 3, que fundamentaram tanto a aprovação de uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária quanto pela Organização Mundial da Saúde, já demonstraram que a vacina induz resposta imune satisfatória contra as cepas P1 – predominante no Brasil neste momento – e P2.

IMPORTANTE PESQUISA – É preciso destacar pesquisa divulgada pelo ex-secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde Wanderson de Oliveira, que aponta ser a Coronavac a vacina que mais protege contra casos graves de covid-19.

Mais dados do mundo real comprovam a efetividade da vacina na redução da transmissão do Sars-Cov-2, como a vacinação, no início deste ano, de 20 mil profissionais de saúde no Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP.

Foi possível observar que o número de casos registrados no HC após a vacinação não acompanhou a tendência de crescimento exponencial da doença observado na capital paulista.

NOVA FÁBRICA – Com apoio do governador João Doria, o Butantan, além de ter tornado viável a primeira vacina contra o coronavírus usada pelo Programa Nacional de Imunizações, está montando, mediante doações da iniciativa privada, uma nova fábrica que produzirá a Coronavac de forma integral, com capacidade para entregar 100 milhões de doses por ano. Tal investimento não se justificaria se a vacina não se tivesse comprovado segura, eficaz e eficiente.

A evolução da pandemia de covid pode demandar ajustes pontuais no imunizante, de maneira a aperfeiçoá-lo. Mas é só. Especular contra a Coronavac não leva a lugar nenhum. Quem apostar vai perder.

Dimas Covas é médico, cientista, professor da USP e presidente do Instituto Butantan

12 thoughts on “A quem interessa esse absurdo ataque especulativo que fazem contra a vacina Coronavac?

      • Covid-19: OMS aprova inclusão da CoronaVac em lista de uso emergencial
        Imunizante poderá ser incluído no consórcio Covax Facility
        Share on WhatsApp Share on Facebook Share on Twitter Share on Linkedin
        Publicado em 01/06/2021 – 12:29 Por Stephanie Nebehay – Repórter da Reuters – Genebra
        Reuters
        A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou a CoronaVac, vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech, para uso emergencial, fazendo da vacina a segunda produzida na China a obter endosso da organização, informou a OMS nesta terça-feira (1°).

    • A coronavac tem demonstrado ser boa, de acordo com opinião que ouvi de especialistas na TV.

      As vacinas aprovadas pela União Européia são:

      Comirnaty (BioNTech, Pfizer)
      COVID-19 Vaccine Moderna
      Vaxzevria (previously COVID-19 Vaccine AstraZeneca)
      COVID-19 Vaccine Janssen (Johnson & Johnson)

      As outras vacinas estão para as listadas acima como um Fusca está para uma Mercedes Benz! E o Brasil teve oportunidade de comprá-las mas o Idiota Jair Covid não quis porque é machão!

    • Se a Copa América foi mais uma das imposições de Bolsonaro. Por conseguinte: qual a intenção dele para com a população, senão contaminá-la e levá-la à desgraça?

  1. Depois das duas doses da coronavac, ainda tomei a vacina contra gripe(influenza).
    Dois meses depois, tive uma coriza de pensar que estava “derretendo” e febre de 37,5°C.
    Ficou uns três dias nesta agonia e só tomei antitérmico; fiz teste e deu negativo, mas, minha vizinha que semanas antes tinha tido a mesmas complicações, deu teste positivo para corona sar.
    PS: Agradeço a Deus por ter tomado as vacinas.
    PS2: E ao SUS.

Deixe um comentário para Eliel Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *