A reação dos “intocáveis” a favor do corrupto Aécio Neves

Resultado de imagem para aecio neves charges

Charge do Jota A (O Dia/PI),

Bernardo Mello Franco
Folha

Ao recorrer contra o afastamento imposto pelo Supremo, a defesa de Aécio Neves afirmou que ele não pode “ser tratado como um funcionário público qualquer“. A expressão ajuda a entender o levante que uniu senadores de partidos rivais em defesa do tucano.

O Senado se reuniu na última terça-feira para discutir se deveria confrontar o tribunal. Réus e investigados da Lava Jato fizeram os discursos mais inflamados, tratando os parlamentares como intocáveis. “O que nós estamos vendo no Brasil hoje? Está se perdendo o respeito“, esbravejou Romero Jucá, que parece ter perdido a fé num acordão para estancar a sangria “com o Supremo, com tudo“.

COLLOR E BARBALHO – O senador Fernando Collor disse que os colegas deveriam se insurgir em defesa de Aécio. Ele chamou os últimos dois procuradores-gerais da República de “canalhas“, “calhordas” e “sujeitinhos à toa“. Para sensibilizar o plenário, disse que o Legislativo estaria sendo “achincalhado” e “criminalizado” pelo Judiciário.

O peemedebista Jader Barbalho, preso e algemado no escândalo da Sudam, foi além. “Hoje me parece que existem membros do Poder Judiciário sonhando com ditadura“, acusou, sem citar um único nome. O senador Renan Calheiros, alvo de 17 inquéritos no Supremo, engrossou o coro. “Estamos vivendo no Brasil um Estado policialesco“, sentenciou.

ACABAR COM TUDO – Em outro trecho do discurso, Jucá descreveu investigações que envolvem congressistas como “atentados” contra a democracia e “o povo deste país“. Ele alegou que a Lava Jato teria a intenção de “acabar com a classe política, os partidos, o governo“.

O senador Aécio foi gravado quando pedia R$ 2 milhões a um empresário. No diálogo, ele acrescentou que o dinheiro deveria ser entregue a alguém “que a gente mata ele antes de fazer delação“. Ao defender o tucano, Jucá citou Jesus Cristo e comparou os juízes a Pilatos. “A turba agora julga, condena e executa“, protestou. Faltou dizer quem encarnaria o ladrão Barrabás.

8 thoughts on “A reação dos “intocáveis” a favor do corrupto Aécio Neves

  1. Por que o Bernardo Franco só fala de uns partidos e não cita o seu partido, o PT, como um dos maiores interessados? Ou a Gleise quer que se puna o Aécio?

    • Sr. Paulo, apenas uma participação bem pequena.

      Lá naquela Casa Bandida de Vossas Excremetências tem mais de 30 que estão na Lava-Jato do Super-Juiz, atolados até o pescoço em assaltar os cofres públicos.
      Entre eles estão os Petralhões, Tucanalhões, DEMtralhas, e o famoso Quadrilhão do Quércia…..
      São “inimigos” até a página 2, nas paginas seguintes fazem de tudo para se livrarem da Cela de Apartamentos no Parque Ibirapuera.
      Alguns Petralhões e Tucanalhões até dão tapinhas nas costas…..

  2. Esses canalhas ainda tem o disparate de dizer que vivemos uma democracia ?
    Vivemos uma demônio-cracia , onde já se viu democracia com voto obrigado , só mesmo no brasil/ilusão , mundo de bob …. Esses espertalhões querem continuar a roubar nós pagadores de tributos , e o judiciário nos ilude com decisões pra la de absurdas, que nem o mais leigo consegue entender .

  3. Para moralizar este país a médio prazo só ha uma saida , um estado de exceção. Os poderes desta nação não tem nada de democràticos, pelo contrário, é um antro de perdição, um covil de delinquentes, que devido seus desmandos promovem a desordem social e excitam a violência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *