A reforma política da Polícia Federal pode acabar com o PT

Igor Gielow
Folha

A Operação Lava Jato, agora na apropriadamente apelidada etapa do Juízo Final, pode fazer aquilo que todo governo em crise promete: uma reforma política. Ao atacar de frente os corruptores, a Polícia Federal tem a oportunidade de expor o elo que costuma escapar nos escândalos do gênero.

A confirmar as suspeitas, ao fim poderá estar claro que empresas fornecedoras da Petrobras roubaram da estatal por meio de propinas e superfaturamentos, e usaram parte deste mesmo recurso para molhar a mão de políticos e operadores que permitiram a instalação do esquema.

É quase um círculo perfeito, no que tange o financiamento dos políticos. Em campanhas, dinheiro desviado pode ser reinvestido legalmente em quem abriu a porta do cofre.

Depois do mensalão e das duras condenações aplicadas particularmente aos atores não-políticos do esquema, o pagamento aos políticos precisava de novos e menos arriscados mecanismos.

A reforma política proposta pelo governo não resolve os problemas e ainda cria outros. Mas involuntariamente a PF fará avançar essa agenda, se conseguir ir até o fim. Resta saber o que sairá disso, visto que agentes que irão debater as novas regras poderão fazê-lo do banco dos réus.

PT CORRE RISCO

O escândalo da Petrobras ameaça a todos, mas só um partido corre risco existencial com ele: o PT.

Em seus governos, o partido colocou a estatal no topo da agenda; fez controle inflacionário ao represar reajustes de combustível, enquanto Lula embebia as mãos com petróleo, à Getúlio. Para cada descoberta no pré-sal, contudo, parece ter havido uma contrapartida obscura.

PMDB, PP e outros estão citados, mas o PT tinha o leme. Depois de sobreviver ao mensalão e sofrer derrotas apesar de reeleger Dilma, o que sobrará do partido se o que se insinua na Lava Jato for comprovado?

7 thoughts on “A reforma política da Polícia Federal pode acabar com o PT

  1. Autoridades dos ESTADOS UNIDOS estão investigando o envolvimento da Petrobras e de seus funcionários em um suposto esquema de pagamento de propinas, segundo reportagem publicada neste domingo pelo “Financial Times” em sua página na internet. Conforme o jornal, fontes familiarizadas com o assunto contaram que o DEPARTAMENTO DE JUSTIÇA dos Estados Unidos abriu uma investigação criminal sobre a empresa, que tem ADRs (do inglês American Depositary Receipt) listados em Nova York, enquanto a Securities and Exchange Commission (SEC), que regula o mercado de capitais americano, está buscando um inquérito civil.

    A reportagem lembra que a estatal, a maior empresa brasileira, é alvo de investigações pela Polícia Federal e pelo Ministério Público que podem culminar na revelação de “um dos maiores casos de corrupção da história do país”. O jornal também destaca que muitos dos problemas apontados na Petrobras teriam ocorrido quando a presidente reeleita Dilma Rousseff estava à frente do conselho de administração da empresa.

    “As autoridades dos Estados Unidos estão investigando se a Petrobras ou seus funcionários, intermediários ou prestadores de serviços violaram a Lei de Práticas Corruptas no Exterior [tradução livre de Foreign Corrupt Practices Act], uma lei anticorrupção que torna ilegal subornar funcionários estrangeiros para ganhar ou manter negócios”, indica a reportagem, citando as mesmas fontes como origem da informação.

    No Brasil, segue o texto, promotores alegam que a estatal e seus fornecedores superfaturaram custos de projetos e aquisições em “centenas de milhares de dólares e repassaram parte dos recursos para políticos da coalizão governista liderada pelo Partido dos Trabalhadores”. Segundo o Financial Times, o Departamento de Justiça e a SEC declinaram de comentar o assunto e a Petrobras não respondeu o pedido de entrevista.

  2. se a lava-jato for investigar pedra sobre pedra, chegará em politicos do PSDB. e aí como será o comportamento da PF, da imprensa e do judiciario? vao arquivar igual fizeram em 2009 com essa mesma CPI? vao tentar fazer o mesmo que geraldo brindeiro sempre fez no governo FHC? eis a questao.

  3. Em tom de brincadeira, Anderson, vamos ver se há homens neste País…
    Que botem este PSDB para correr, pois estes é tiraram a Petrobrax da Lei de Licitações há 20 anos atrás, abrindo-lhe as portas para aproveitadores da pior espécie, como vemos.

    Deve ser por isto que a tucanalha chora tanto por terem sido derrotados pela Dilma.
    Não é pelo governo perdido, não!
    E sim porque não vão poder mamar nas tetinhas da Petrobrax por mais 4 longos anos, pelo menos…

    Auditoria nas contas da Petrobrax desde 1985!!! De leve, vamos fazer passeata na Paulista…
    Auditoria na Dívida Pública, desde 1985, também!!! De leve, vamos fazer passeata na Paulista…
    Auditoria nas urnas eleitorais eletrônicas desde o seu início!!! De leve, com passeata na Paulista, também…
    Vai ser tanta passeata que ali vai virar um passeio só, permanente, contra toda esta politicalha vagabunda que nos pseudo-governa desde 1985.
    Só agora estamos nos dando conta do que fizeram e fazem, até hoje. Fora com eles, pois.
    E olhem, eu não sou radical… (:o))))

  4. Na minha modesta opinião deverá acontecer o espírito de corpo dos concursados da Policia Federa, a começar, pelo orgulho de pertencer a uma briosa e respeitada instituição, vista pelos brasileiros de bem, desde priscas eras, como exemplo raro de honestidade no exercício de função extremamente desgastante, mas necessária ao país.

    Como órgão de estado, ela é uma polícia dos brasileiros e não de governos, embora os dirigente e políticos de plantão se esforcem para uma inversão desses valores, como uma policia de governo, o que absolutamente não é.

    A Policia Federal não é um órgão policial político. A presidente Dilma, o ex-presidente Lula, o ministro da Justiça, não podem dizer a PF o que fazer e não fazer…

  5. Ora, mas esta é muito fácil. Se acabarem com o PT, o que sobrar do mesmo ou vai jogar o filé mignon do discurso coitadista e vitimista que é o da esquerda desde que a mesma existe para o PSB disputar com a nanicada vermelha (PSTU, PC do B, PSOL, PCO e companhia), ou vai se dissolver dentre estes.

    Lógico, isso sendo otimista e relevando a possibilidade mais evidente: a convocação do sub-proletariado (Lumpenproletariat de Marx, traduzido aqui por “movimentos sociais” e as já conhecidas facções) alimentado há décadas para a luta armada. Militância paramilitar é o que não falta à eles. Aí é o salve-se quem puder.

    Não precisa ser inteligente, basta estudar um pouquinho pra saber disso. O resto é acobertamento, distorção ou cortina de fumaça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *