A renovação que não querem, a renovolução que não virá

Apesar dos 84 por cento de popularidade (só isso?) do presidente Lula, a verdade é que continuamos no retrocesso, caminhamos para completar 510 anos de não fazer.

NÃO FIZEMOS com a chamada Abolição da Escravidão, uma farsa.

NÃO FIZEMOS com a Republica, na qual tanto falam. Todos são Republicanos no dizer, no especular, no articular, no coordenar, mas não no realizar. Em 8 de novembro de 1891, preso quando discursava como senador, o grande Saldanha Marinho, deixou a frase que cultivam abnegada e desgradamente: “Esta realmente não é a Republica dos nossos sonhos”. Continua não sendo, 118 passados.

NÃO FIZEMOS com a Independencia, tão desnecessaria, irrelevante e sem sentido, quanto a Abolição e a Republica. Que independencia foi essa, que nos deixou apenas lembranças? Uma, distante (as margens do Ipiranga) e outras sempre presentes. Dividas que nos maltratam desde de 1822.

Por que falar em “divida” junto com a Independencia? É que Portugal devia à Inglaterra que dominava o mundo. Portugal achava que já roubara tudo do Brasil, o Imperio era dispensavel. Não interessava mais, Dom João VI já se escondera aqui, fugido de Napoleão.

A Inglaterra não sabia sequer onde ficava o Brasil, só perguntava, com a prepotencia dos arrogantes: “Quem vai pagar ou assumir a divida de Portugal?”. O Brasil assumiu, logico. Dizem, “a cada minuto nasce um trouxa”.

Essa afirmação serve para pessoas mas tambem para empobrecer paises. Assumimos, começamos a pagar juros e a assistir a “divida” crescer na razão direta dos pagamentos, perdão, das amortizações.

Eram 175 mil libras. Em 1969, (147 anos depois), chegou a 200 BILHÕES de dolares, fora mais de 600 BILHÕES que fomos desperdiçando com juros. Atingiu 1969 e até hoje. Ou no ano passado, quando o presidente Lula, juntando “Abolição, Republica e Independencia”, inventou a polvora e retumbou: “NÃO DEVEMOS MAIS NADA DA DIVIDA EXTERNA”.

Ninguem acreditou nem ele mesmo. mas era uma colossal “BOLSA-JUROS”, que dava às multinacionais, já identificadas e favorecidas pela DOAÇÃO, PRIVATIVAÇÃO, NEOLIBERALISMO. Registre-se, ressalte-se, ressalve-se: nada foi feito pessoal ou diretamente por Lula e sim por TODOS OS OUTROS QUE VIERAM ANTES DELE.

Exclui-se Prudente de Moraes, que em 1896 expulsou do seu gabinete, um audacioso Rotschild (eram 5, todos poderosos e arrogantes), que vinha cobrar juros.

Inclui-se Campos Sales, que em 1900, foi a Londres, andou de carro aberto com os Rotschilds, foi a Old Bond Street, (a famosa zona bancaria) pagou tudo que eles nos roubavam. E diziam que era R-E-N-E-G -O-C-I-A-Ç-Ã-O.

Lula não fez nada, não anulou nada, não renovou nada, não modificou nada, para ele não interessa nem RENOVAÇÃO nem RENOVOLUÇÃO. Podia ter anulado as FALCATRUAS, FRAUDES e FALSIFICAÇÕES, comandadas pela Comissão de Desestatização.

Fortunas foram feitas com essas MOEDAS PODRES, que na pratica valiam menso de 1 CENTAVO, mas o governo FHC recebia pelo VALOR DE FACE, 100 vezes menos. Não tenho noticia de que FHC tenha se aproveitado do DINHEIRO ESPECIFICO, ou como se diz hoje, virtual. Mas se aproveitou de tudo, inclusive, com esses recursos, PAGOU A PROPRIA REELEIÇÃO.

PS – Não há duvida: se FHC, eleito por 4 anos, ficou 8, Lula, eleito por 8, pode ficar 12. Seria a mesma coisa.

PS 2 – FHC se utiizou de de Sergio Motta, que morreu logo, depois de fantastica negociata com Golbery. Lula usa pseudonimos não para negociatas, mas por causa do terceiro mandato seguido. FHC e Lula, E-R-R-R-A-D-I-S-S-I-M-O-S.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *