A responsabilidade que hoje pesa sobre a Justiça

Sandra Starling

Leio que o Prêmio Nobel de Literatura deste ano, Patrick Mondiano, tem uma convicção: “Não podemos escapar de nossa época. Ali está sua angústia. Nós respiramos o que está no ar. Somos prisioneiros de nosso tempo… Mesmo que vivamos em torres de marfim” (O Tempo, Magazine, 10.10.2014).

Ousaria acrescentar que, além de prisioneiros de nosso tempo, somos também responsáveis por nossas heranças pessoais. Daí meu artigo – quase uma súplica – de hoje.

Tenho lido e relido que o próximo ano no Brasil será muito difícil para a maciça maioria de nosso povo, seja quem for o próximo governante. Tarifas represadas, rearranjos econômicos, dependência que temos em relação a parceiros no mundo, desemprego e inflação espreitam nossa gente. Dias muito difíceis virão, exigindo medidas duras e que recairão – como sempre – sobre os mais necessitados. Mesmo setores empresariais sofrerão com medidas que terão de ser tomadas.

Sou filha de juiz de direito. Evidentemente, do tempo em que esses eram pagos pela arrecadação (as coletorias) municipal. Conforme a comarca, eram tão poucos os recursos que não davam para cobrir as despesas. Numa dessas cidades, a situação foi muito difícil para nós. Passamos muitas vezes a humilhação de ter negada a compra do pão porque meu pai, que não recebia em dia, não pagara ainda a “caderneta”. Os mais velhos sabem de que falo quando uso esse termo: era comum o comerciante ir anotando o que as pessoas compravam fiado e que só pagavam no fim do mês.

FAZENDO ECONOMIA

Andávamos com papelão para tapar os buracos dos sapatos, e as roupas que usávamos eram cuidadosamente reformadas de uns para os outros filhos. Mamãe era muito boa na cozinha e conseguia fazer milagre com os mantimentos levados para casa. Assim, embora nunca tivéssemos passado fome, também não gozávamos de luxo algum. A não ser quando chegava da capital uma caixa de sapatos, forrada com papel celofane e lotada de doces que tia Nelsina nos mandava. Quanta alegria!

Alugávamos casa do dr. Lomelino Ramos Couto, ali na rua Macau de Baixo, onde hoje mora minha amiga Corinha… Também ficávamos muitas vezes devendo o aluguel e o conserto dos dentes da meninada, feito pelo dr. Vandinho.

Leio agora que juízes no Brasil inteiro querem auxílio-moradia de R$ 4.700 onde a comarca não possuir imóvel a isso destinado. E também que – não sei se em toda parte – muitos querem ainda auferir R$ 7.500 a título de reembolso de gastos escolares.

Não concordo que isso venha a acontecer, sobretudo no momento difícil que vamos atravessar. Apelo, por isso, ao sentimento de justiça que deve presidir todos os gestos dos magistrados. Afinal, na antiga Lei de Introdução ao Código Civil, hoje Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro, se lê: “Art. 5º – Na aplicação da lei, o juiz atenderá aos fins sociais a que ela se dirige e às exigências do bem comum”. (transcrito de O Tempo)

8 thoughts on “A responsabilidade que hoje pesa sobre a Justiça

  1. Dª Sandra, esse tempo que a senhora relata, de moral e ética, transformou-se na imoralidade que aí está, aqueles que deveriam honrar a Srª Justiça, a estupram e vilipendiam, com as raríssimas exceções de Juizes que “SÃO JUIZES.
    Rui Barbosa, o “AGUIA DE HAIA”, morre todos os dias de vergonha, ao ver a justiça que se pratica no BRASIL, tendo sua cabeça recheada de “viboras”, dando um péssimo exemplo, para o resto do corpo, que está canceroso: mordomias sem fim, vagabundagem que provoca a lentidão do passos de cágado, que RUI já dizia, Justiça tardia não é justiça, é o que temos, e uma NAÇÃO, com uma Justiça desse quilate, é tudo, MENOS NAÇÃO.
    ESTOU COM RUI, TENHO VERGONHA DE SER HONESTO, E NÃO CONSIGO DESMENTIR DE GAULLE.
    POBRE PAÍS, QUE VIVE NA HIPOCRISIA, TRANSFORMANDO MENTIRAS EM VERDADES.

  2. Mas os franceses acabaram com a picaretagem do De Gaulle no finalzinho dos anos 60 e o enxotaram naquele quebra quebra de 1968 e no VOTO logo a seguir. O milico oficial do exército francês De Gaulle abandonou suas tropas nas mãos dos nazistas, se mandou para a Inglaterra e os resistente passaram o diabo sob a ocupação da Getapo e da SS. Pobre Jean Moulin e muitos outros. Foram torturados até a morte na luta. Depois, De Gaulle faturou SEM ARRISCAR A PELE, apoiou o colonialismo francês no Vietnã até ser derrotado pelo Giap em Dien Biem Phu em 1954. E ainda é citado com tendo dado lição de moral ao Brasil. Aqui tem cada um.

  3. ANTIGAMENTE A FRASE ERA ASSIM:
    “Cabeça de juiz e bumbum de bebê nunca se sabe o que vai sair.”
    HOJE CONTINUAMOS SEM SABER O QUE SAI DE BUMBUM DE BEBÊ
    MAS SABE-SE PERFEITAMENTE O QUE SAI DE CABEÇA DE JUIZ.

  4. Caro Iaco, pela minha lembrança da juventude, pela da imprensa da época, não foi De Gaulle, que “entregou a FRANÇA a sanha nazista”, e o pouco que li a respeito de De Gaulle, o povo francês o “considera um Herói”. Não tenho o saber da história da França,
    o pouco que conheço, é considerada à Pátria da Luz e da Liberdade, e acho que a frase, no “disse mais não disse”, para o Brasil se encaixa, ‘O BRASIL NÃO É SÉRIO”, A TURMA QUE ESTÁ AÍ A NOS COMANDAR, TRANSFORMA MENTIRA EM VERDADE, OLHA O QUE A CANDIDATA DILMA, FALA, sou filiado ao PT-Sonho, não sou vaca de presépio, penso, e tenho consciência de minha CIDADANIA, portanto não sou solidário para a corrupção desenfreada em todos os campos de ação do governo, que segue religiosamente o des governo de FHC, Lula e Dilma, conseguem enganar: se o Bolsa família atende 50 milhões, 1/4 da população atual, mais 30 milhões de salário mínimo miserável, que não dá dignidade ao trabalhador por um “sustento de família de 4 pessoas por uma semana, os Direitos básicos da Cidadania no CAOS: saúde, escola, segurança, transporte, são VERDADES VERDADEIRAS, e não as mentiras da candidata, que vivemos no Paraíso, se isto é o Paraíso, o inferno como será!???
    Agradeço vosso comentário, peço desculpas a todos, por essa “escrivinhação”, permitam fechar com frase de Sócrates: “O que temos deixaremos, o que somos levaremos”, informação de a 3 mil anos, com validade ao Infinito, Pensar e meditar, a vida humana é passageira e curta, e por ela, responderemos ao Senhor do Universo.
    Oremos pelo nosso Brasil à DEUS.

  5. Não disse que De Gaulle ENTREGOU a França à sanha nazista. Disse que ele, como milico comandante de tropa, abandonou sua tropa E SE MANDOU PARA A INGLATERRA após a invasão nazista. Cita-o constantemente, mas não sabe que ele viveu em Londres após se mandar? Pátria da luz e liberdade é chavão, meu caro. Tem uma história de repressão brutal e TRAMBIQUES FINANCEIROS QUE REMONTAM AO TEMPO DO FINANCISTA ESCOCÊS LAW, além de repressor colonialista até o presente no Mali. Precisa o comentarista ler um pouquinho Victor Hugo e conhecer sua vida para constatar a falta de seriedade lá. Quanto às desonestidades e impunidades daqui, a recente da França com o Sarkozy nos envolvimentos com o Kadafi e com a idosa Liliane Bettencourt empatam. Esculhambe os daqui, mas sem esse farsante estrangeiro para nos ditar regra, por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *