A sucessão de Lula, uma semana antes da desincompatibilização. A mais vergonhosa, mistificadora e sem projeto de toda a história. Teremos saudades da “República Velha”, quando candidatos tinham plataforma

Na Primeira República, (a conhecida “República Velha” ou “carcomida”) apesar de todas as acusações e até injúrias, as coisas se passavam a descoberto, com regras impostas pelos governantes, e o povo não sabia de nada. O presidente escolhia seu sucessor, só havia um partido, o Republicano, tudo se encerrava dessa forma.

Não havia campanha, a eleição era em 1º de março e a posse em 15 de novembro. O país, enorme, a eleição levava muito tempo. Mas 3 meses antes da eleição, o candidato (único, naturalmente, excetuando Rui, quando disputava, que usava o voto independente) lia a sua “PLATAFORMA” de governo. Era no “Clube dos Diários”, na Rua do Passeio, num prédio em frente à belíssima escultura de Mestre Valentim, hoje no Jardim Botânico.

Era uma grande festa, dita democrática, pelo menos existia um projeto ou compromisso de governo, embora logo depois da posse tudo ficasse esquecido. O “Clube dos Diários” desapareceu (na época tinha representatividade), hoje apareceu a inútil, inexistente, imprevidente e humilhada ANJ (Associação Nacional de Jornais).

Foi assim até 1930, pulemos logo para 2010, nesses 80 anos, várias ditaduras e os naturais períodos de transição para “salvar a cara” dos ditadores. Representatividade, convenções partidárias, escolha democrática dos candidatos, tudo igualzinho ao passado.

Os governantes inventaram a “reeeleição”, e só não obtiveram a BIREEELEIÇÃO, ficou impossível.

Esgotada a possibilidade do “terceiro mandato”, (que FHC também não conseguiu), Lula partiu para a entronização de um candidato que não atrapalhe a sua volta em 2014. Concordando inteiramente: Lula acertou em cheio implantando Dona Dilma.

É lógico que não concordo com ela e sim com ele. E concordo com ele pela sabedoria (?) de pretender eleger quem não tem voz, não tem vontade, não tem voto. Se for eleita, terá que perguntar tudo a ele, que acabará explodindo: “Mulher, faça alguma coisa por você mesma, tudo eu, tudo eu”?

Outra vitória retumbante de Lula foi patrocinar uma candidata que não tem um voto dentro do partido, diz ela que é o PT. (O Santos Aquino, que sabe das coisas, diz que ela era do PDT, saiu levando muita gente. Brizola havia morrido, ela adora vulgaridade, recitou, “rei morto, rei posto”, mudou imediatamente).

Como as coisas estão complicadas no Planalto-Alvorada, não há vice, a “base” se esfacelou. Lula continua querendo Meirelles, está difícil. Portanto esperemos, as dúvidas são muitas.

Rapidamente, então, examinemos o outro candidato, arrogante, insignificante, prepotente, petulante, imprudente e eleitoralmente masoquista. Com todas essas indicações, nem precisa a redundância de dizer que se chama José Serra.

Sem um pingo de coragem, fugiu no 1º de abril, passou 15 anos fingindo que havia recebido uma “bolsa de combatente”, era exatamente o contrário. Esgotou o “caviar do exílio”, voltou, passou a se alimentar com a feijoada ou o churrasco do Poder. Não largou mais.

(Excetuado o período da “corretora de valores”, que empresários poderosos de São Paulo movimentaram para ele. Apostavam NELE E NO FUTURO, NADA MUITO DIFICIL. Apesar disso tudo, está com enormes problemas, tão grandes que teve que retardar a saída do governo).

Repetindo: como não tem o mínimo de coragem cívica, ao dizer que é presidenciável, completou: “Meu adversário não é Lula”, o que contornou a disputa, e inflou o ego do próprio Lula. Também não tem vice, insistiu durante quase um ano no nome de Aécio.

Em setembro-outubro escrevi aqui, depois repeti: “Se o governador de Minas aceitar ser vice do governador de São Paulo, podem dizer que eu sou o pior analista do mundo”. Era fácil de afirmar, por causa deste fato: quem garante a Aécio vice, que Serra será presidente?

Não é desprendimento de Minas e sim incerteza em São Paulo. Podendo ganhar 8 anos de senador, por que o atilado Aécio iria aceitar a migalha não garantida de 4 anos de vice subordinado?

Portanto, o jogo preliminar, perdão, primário, começa dentro de uma semana. Serra terá que passar o cargo a um vice ainda mais insignificante, o ex-stalinista Alberto Goldman, que não tem votos nem prestígio.

Nesse item, Dona Dilma leva vantagem circunstancial pelo fato do eleitor maior permanecer no cargo. A luta se travará entre os vices, e na contagem dos palanques, que não terão a menor importância.

***

PS – Importantes os minutos da televisão. (Com a ressalva para o Enéas, que com 26 segundos, teve a criatividade de usar o tempo para lembrar, “Meu nome é Enéas”).

PS2 – Para terminar por hoje, por hoje, uma referência ao dinheiro que será gasto. A “capacidade” e a falta de constrangimento dos dois (lógico, Serra e Dilma) de GERAR DINHEIRO, SÓ COMPARÁVEL À DE FHC E LULA, DE ENDIVIDAR O PAÍS.

PS3 – Para lembrar e estarrecer a todos: FHC foi conversar com Joaquim Roriz, o CORRUPTO DOS CORRUPTOS, que iniciou Arruda no crime de se aproveitar dos dinheiros públicos.

PS4 – Com Arruda quase vice de Serra, este afirmou, “nem sei quem é esse Arruda”. Agora, o ex-presidente procura Roriz, mas garante: “Não tenho procuração ou credencial do PSDB para conversar com Roriz”. Ha!Ha!Ha!

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *