A sucessão que não serve ao país. Monótona, melíflua, monocórdia. Do que dizem, o que se aproveita? O quer fazer nesses CHATOS 17 dias? Unanimidade: os dois incompetentes. Mas como é preciso, IMPLORAM a Deus.

Helio Fernandes

Serra e Dilma continuam esgotando a paciência do cidadão-contribuinte-eleitor. Além das inserções intercaladas, roubam 20 minutos diários, quando se perfilam diante das televisões, pretendendo emoções que não sentem, compromissos que não sabem como cumprir, programas e projetos de governo que “esqueceram” de mostrar no primeiro turno. Agora, garantem que APRESENTARÃO HOJE OU AMANHÃ.

Por que não aproveitaram a campanha sem tempo e prazo fixado? Se fixaram na baixaria, em vez de elaborarem programas, assumirem compromissos, desviavam suas equipes para “desenterrar MORTOS DO PASSADO”. Como os dois são vulneráveis, foram igualmente atingidos, a campanha não se travou a partir de compromissos, projetos, mostrarem a forma como resolveriam os problemas, não trataram de coisa alguma.

Os dois candidatos estavam armados de estilingue, não perceberam que se transformariam em boomerang, Se atingiam mutuamente, não sentiam nada, se julgam tão importantes e competentes que se consideravam inatingíveis. Só que fora os exaltados de sempre, os outros usam a RELIGIOSIDADE que Dilma e Serra descobriram agora, e pedem a Deus que faça o dia 31 chegar imediatamente, ultrapasse o calendário.

Os dois candidatos, ridículos e intragáveis, só falam em SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA. Usam as três palavras, garantem igualmente, serão as prioridades. Mas nem de longe, MOSTRAM DE ONDE VIRÃO OS RECURSOS.

Num dos “debates”, Dona Dilma afirmou: “Nosso governo gastou 40 BILHÕES EM SANEAMENTO”, mas uma das carências do país é justamente a falta de esgoto. O país cheira mal, e a palavra de Dona Dilma não serviu de desodorante.

Serra também exorbitou no insensato, dizendo “não sou homem de duas caras”, quando se sabe que ele tem uma para cada oportunidade, a palavra exata, poucos são ou serão tão OPORTUNISTAS.

***

PS – Esperemos os programas de governo e os compromissos dos candidatos. Garantindo que a primeira reforma seja a PARTIDÁRIA, para que o cidadão-contribuinte-eleitor, nas próximas sucessões, não fique tão sem escolha, opção ou alternativa como agora.

PS2 – Depois, os outros compromissos, que ultrapassam as três palavras que repetem como mágicas. É preciso resolver em profundidade, tudo o que não foi resolvido até agora, tomemos por base a primeira ELEIÇÃO DIRETA que não se consumou.

PS3 – Angustiados, assistindo essas exibições inúteis e sem sentido, lamentemos o que eles NÃO dizem, mas GARANTEM QUE FARÃO.

PS4 – Dilma e Serra foram a Aparecida, se benzeram, faziam o “sinal da cruz” a todo momento. Perguntinha obrigatória: era a primeira vez que iam la? Dava a impressão. Foram o ano passado, o outro, o outro, quando?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *